Performance e matéria em A fúria do corpo

  • Olívia Barros de Freitas Universidade do Estado da Bahia, Pós-Crítica.

Resumo

Resumo: Este artigo aborda a narração performática em A fúria do corpo (1981) de João Gilberto Noll. A fundamentação teórica deste estudo entende a obra como um cruzamento de dois subgêneros, conforme classifica Bakhtin, cuja expressão se dá em linguagem performática, de acordo com a definição de Ravetti. A literatura de Noll tem sua estrutura interna firmada nos caminhos do corpo na linguagem, no enredo e no tempo; trata-se de uma literatura que se apropria de traços da performance, em sentido político e social. A narrativa sob a perspectiva do corpo proporciona uma aguda exposição do enunciador, do corpo e do indivíduo em si, além do local em que se passa a enunciação. Considerando aspectos da narração, analisamos como a performance do corpo se apropria, na obra, de fatores históricos, ao transparecer dados relativos à integração social do homem.

Palavras-Chave: Literatura. Romance. Performance. Corpo.

Downloads

Não há dados estatísticos.
Publicado
2017-02-15
Métricas
  • Visualizações do Artigo 104
  • PDF downloads: 139