Ensino remoto e letramento digital

as novas práticas sociais de comunicação na pandemia Covid-19

Autores

DOI:

https://doi.org/10.30620/gz.v9n1.p183

Palavras-chave:

Ensino remoto, Letramento digital, Pandemia

Resumo

No Brasil, o ensino remoto foi adotado como medida emergencial durante a pandemia da Covid-19 que se alastrou ao redor do mundo a partir do final do ano de 2019, na tentativa de possibilitar que alunos da educação básica e superior tivessem acesso às aulas de forma online. Desse modo, esse trabalho busca analisar o ensino remoto como instrumento de possíveis práticas de multiletramentos, sobretudo, de letramento digital para alunos que experienciaram essa modalidade. Adotou-se como metodologia a pesquisa de campo e bibliográfica, cujos dados foram coletados via questionário eletrônico e observação participante. Esse estudo baseia-se, principalmente, nos autores: Santos (2020), Street (2014), Warschauer (2006) e outros. Os resultados indicam que o ensino remoto poderá motivar os macroletramentos e as competências computacional, multimídia e informacional, porém, o acesso à internet e a falta de recursos tecnológicos são entraves nesse processo.

[Recebido: 1 ago. 2021 – Aceito: 20 ago. 2021]

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Débora Suzane Gomes Mendes, Universidade Estadual do Maranhão - UEMA

Professora da Universidade Estadual do Maranhão (UEMA). Mestre em Educação pela Universidade Federal do Maranhão (UFMA). Especialista em Psicopedagogia Institucional, Clínica, Empresarial e Hospitalar (Faculdade Santa Fé), Metodologia do Ensino Superior (UFMA), Informática na Educação (IFMA), Metodologias para a EAD (UNIASSELVI). Graduada em Licenciatura Plena em Pedagogia pela Universidade Federal do Maranhão (UFMA). Membro pesquisadora no Grupo de Estudos e Pesquisa Tecnologias Digitais na Educação (GEP-TDE/UFMA/CNPq). É pesquisadora em Educação, atuando, principalmente, nas seguintes áreas: Formação de Professores da Educação Básica, Desenvolvimento de Metodologias de Ensino associadas às Tecnologias Digitais da Informação e da Comunicação (TDIC) e TDIC na Educação. Tem experiência na área de Educação com ênfase na construção e desenvolvimento de práticas pedagógicas com o uso das TDIC e formação inicial e continuada de professores da Educação Básica.

Danielle Gomes Mendes, Universidade Estadual do Maranhão - UEMA

Graduada em Licenciatura Plena em Pedagogia pela UFMA, Mestre em Educação pela Universidade Federal do Maranhão (PPGEEB-UFMA), especialista em Metodologia do Ensino Superior (UFMA), Informática na Educação (IFMA), Metodologias para a EAD (UNIASSELVI), Psicopedagogia Institucional, Clínica, Empresarial e Hospitalar (Faculdade Santa Fé). Atualmente, é professora no Curso de Licenciatura em Pedagogia da UEMA.

Referências

BARDIN, L. Análise de conteúdo. São Paulo: Edições 70. 2011.

BERVIAN, P. A.; CERVO, A. L. Metodologia Científica. São Paulo: Atlas, 1996.

BONILLA, M. H. S.; OLIVEIRA, P. C. S. Inclusão digital: ambiguidades em curso. In: BONILLA, M. H. S.; OLIVEIRA; PRETTO, N. D. L. (Org.) Inclusão Digital: polêmica contemporânea. Salvador: EDUFBA, v. 2, 2011. p. 10-70.

DUDENEY, G.; HOCKLY, N.; PEGRUM, M. Letramentos digitais. São Paulo: Parábola Editorial, 2016.

FRADE, I. C. A. S. Alfabetização Digital: problematização do conceito e possíveis relações com a pedagogia e com aprendizagem inicial do sistema de escrita. In: COSCARELLI, C. V.; RIVEIRO A. E. Letramento Digital – aspectos sociais e possibilidades pedagógicas. Belo Horizonte: Autentica, 2011.

HODGES, C.; MOORE, S.; LOCKEE, B.; TRUST, T.; BOND, A. The difference between emergency remote teaching and online learning. In: Educause Review, Washington, 27 mar. 2020. Disponível em: https://er.educause.edu/articles/2020/3/the-difference-between-emergency-remote-teaching-and-online-learning. Acesso em: 12 jul. 2021.

KLEIMAN, A. B. (Org.). Os significados do letramento: uma nova perspectiva sobre a prática social da escrita. Campinas, SP: Mercado de Letras, 1995.

MARCUSCHI, L. A. Gêneros textuais emergentes no contexto da tecnologia digital. In: MARCUSCHI, L. A; XAVIER, A. C. Hipertexto e gêneros digitais: novas formas de construção do sentido. Rio de Janeiro: Lucerna, 2004. p. 13-67.

MOREIRA, J. A. M. et al. Transitando de um ensino remoto emergencial para uma educação digital em rede, em tempos de pandemia. In: Dialogia. São Paulo, n. 34, p. 351-364, jan./abr., 2020.

PAPERT, S. Logo: computadores e educação. São Paulo: Editora Brasiliense, 1985. Publicado originalmente sob o título de Mindstorms: children, computers and powerful ideas. New York: Basic Books, 1980.

PINHEIRO, R. C. Conceitos e modelos de letramento digital: o que escolas de ensino fundamental adotam? In: Linguagem em (Dis)curso – LemD, Tubarão, SC, v. 18, n. 3, p. 603-622, set./dez. 2018. Disponível em: https://www.scielo.br/j/ld/a/jGVd8vDLd3SNSJHg9SbmtfH/?format=pdf&lang=pt. Acesso em: 29 jul. 2021.

PORTO, C.; OLIVEIRA, K. E.; CHAGAS, A. (Org.) WhatsApp e Educação: entre mensagens, imagens e sons. Salvador: Ilhéus, EDUFBA; EDITUS, 2017.

PRODANOV, C. C; FREITAS, E. C. Metodologia do trabalho científico: Métodos e Técnicas da Pesquisa e do Trabalho Acadêmico. 2. ed. Universidade Feevale – Novo Hamburgo, Rio Grande do Sul, 2013.

RIBEIRO, A. E. F. Letramento digital e ensino remoto: reflexões sobre práticas. In: Debates em Educação, Maceió, v. 12, p. 446-460, dez. 2020. ISSN 2175-6600. Disponível em: https://www.seer.ufal.br/index.php/debateseducacao/article/view/10757. Acesso em: 29 jul. 2021.

ROJO, R. H. R. Letramentos múltiplos, escola e inclusão social. São Paulo: Parábola Editorial, 2009.

SANTOS, B. S. A cruel pedagogia do vírus. Coimbra: Edições Almedina, 2020.

SAVIANI, D.; GALVÃO, A. C. Educação na pandemia. In: Revista Universidade e Sociedade. Brasília, n. 1, p. 36-49, janeiro, 2021. SOARES, M. Alfaletrar: toda criança pode aprender a ler e a escrever. São Paulo: Contexto, 2020. SOARES, M. Letramento: um tema em três gêneros. 3. ed. Belo Horizonte: Autêntica Editora, 2009.

STREET, B. Letramentos sociais: abordagens críticas do letramento no desenvolvimento, na etnografia e na educação. Trad. Marcos Bagno. São Paulo: Parábola Editoral, 2014.

WARSCHAUER, M. Tecnologia e inclusão social: a exclusão digital em debate. Trad. Carlos Szlak. São Paulo: SENAC/SP, 2006.

Publicado

2021-10-30

Como Citar

MENDES, D. S. G.; MENDES, D. G. Ensino remoto e letramento digital: as novas práticas sociais de comunicação na pandemia Covid-19. Grau Zero – Revista de Crítica Cultural, Alagoinhas-BA: Fábrica de Letras - UNEB, v. 9, n. 1, p. 183–212, 2021. DOI: 10.30620/gz.v9n1.p183. Disponível em: https://revistas.uneb.br/index.php/grauzero/article/view/12417. Acesso em: 13 abr. 2024.