Escola sem partido: neoliberalismo e conservadorismo de mãos dadas

Resumo

Este texto tem como objetivo compreender o movimento Escola sem Partido (ESP), situando-o no contexto da crise estrutural do capital, para desvelarmos as ideologias contidas em seu conteúdo. Trata-se de uma pesquisa bibliográfica e nela buscamos explicitar o momento em que ganha força o discurso e a militância ultraconservadora, bem como sua relação com a lógica neoliberal. Não por acaso, o discurso que defende a família, os valores religiosos, o ataque às ciências, é o mesmo que defende as políticas de austeridade fiscal, a ampliação da margem de atuação da iniciativa privada e a retirada de direitos da classe trabalhadora, ou seja, a privatização e o Estado mínimo. Portanto, faz-se necessário entender que o Escola sem Partido (ESP) se apresenta como instrumento de controle social da burguesia, que utiliza a educação como forte aliada no processo de manipulação de indivíduos, visando à manutenção do projeto societário em curso.

Downloads

Não há dados estatísticos.
Métricas
  • Visualizações do Artigo 290
  • PDF downloads: 221
Como Citar
SANTOS, M. E. DE M.; SANTOS, P. P. DOS. Escola sem partido: neoliberalismo e conservadorismo de mãos dadas. Revista da FAEEBA - Educação e Contemporaneidade, v. 29, n. 58, p. 32-47, 11.