Os jornais dos alunos do liceu maranhense (1907-1930)

Resumo

Apresenta os discursos dos alunos liceístas nos jornais estudantis maranhenses no período de 1907 a 1930 a fim de identificar e analisar a dinâmica escolar e as representações sobre o cotidiano do ensino secundário.. Para tanto, este estudo baseia-se  no  mapeamento e na análise dos seguintes jornais: O Progresso (1907); O Brazil (1907); O Canhoto (1912-1914); Excelsior (1914); O Estudante (1915); Lábaro (1921); Alma Nova (1929) e o Sangue Jovem (1930). O estudo da imprensa periódica educacional liceísta possibilitou compreender as ideias sobre o desenvolvimento do país, a criação de escolas e a implantação de métodos  na instrução pública secundária maranhense. Contatou-se que os jornais escritos pelos alunos do Liceu se configuraram como um importante veículo de identidade e de  resistência entre o ideal e o concreto vivenciado pelos estudantes dessa instituição.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Cesar Augusto Castro, UNIVERSIDADE FEDERAL DO MARANHÃO
Professor Titular da  Universidade Federal do Maranhão - UFMA. Doutor em Educação pela US.. Bolsista de Produtividade do CNPq.
Luciana Nathalia Morais Furtado, Universidade Federal do Maranhão
Mestre em Educação pela UFMA
Samuel Luís Velazquez Castellnos, UNIVERSIDADE FEDERAL DO MARANHÃO

PROFESSOR DO DEPARTAMENTO DE EDUCAÇÃO E DO PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM EDUCAÇÃO DA UFMA.DOUTOR EM EDUCAÇÃO PELA UNESP/ARARAQUARA

Referências

AMARAL, Giana Lange do. Os impressos estudantis em investigações da cultura escolar nas pesquisas histórico-institucionais. Revista História da Educação, v. 6, n. 11, 2002.

BARROS, José D’Assunção. A expansão da História. Petrópolis: Vozes, 2013, 221 p.

BASTOS, Maria Helena C. O novo e o nacional em Revista: a revista do ensino do Rio Grande do Sul (1939 - 1942) São Paulo, FEUSP, 1994.

BASTOS, M.H.C. O novo e o nacional em revista; a revista do ensino no Rio grande do Sul:1939-1942. Tese (Doutorado em Educacao) – Universidade de São Paulo,São Paulo, 1994.

CATANI, Denice Bárbara. A Imprensa periódica educacional: as revistas de ensino e o estudo do campo educacional. Educação e Filosofia. n. 10, v. 20, p. 115-130, jul/dez, 1996.

CATANI, Denice Bárbara; BASTOS, Maria Helena Câmara (Org.). Educação em Revista: a imprensa periódica e a história da educação. São Paulo: Escrituras, 2002.

CATANI, Denice Bárbara; SOUSA, Cynthia Pereira. Imprensa periódica educacional paulista (1890 – 1996). São Paulo: Plêidade, 1999.

CATANI, D. Educadores à meia luz. Tese ( Doutorado em Educação) – Universidade de São Paulo, São Paulo, 1988.

CASTRO, Cesar Augusto Org. Leis e Regulamentos: da instrução pública no Maranhão Império (1835-1889). São Luís: EDUFMA, 2009.

CASTRO, Cesar Augusto; CASTELLANOS, Samuel Luis Velazquez (Org). Leitura, impressos e cultura escolar. São Luís: EDUFMA, 2010.

CASTRO, Cesar Augusto. Cultura material escolar: a escola e seus artefatos (MA, SP,SC e Rs, 1870-1925). São Luis: EDUFMA, 2011.

CASPARD, Pierre et all. La Presse d’education et d’enseigment XVIII - 1940. Tomel A-C. INRP, Edition du CNRS, 1981.

CASPARD, Pierre; CASPARD, Penélope. Imprensa Pedagógica e Formação continua de professores primários (1815-1939). In: CATANI, D.; BASTOS, M. H. C. (Org.). Educação em Revista: a imprensa periódica e a história da educação. São Paulo: Escrituras, 1997. p. 33-45.

CASTELLANOS, Samuel Luís Velazquez. Práticas leitoras no Maranhão na primeira república: entre apropriações e representações. São Luís: EDUFMA, 2010.

CASTELLANOS, Samuel Luís Velazquez. O livro escolar no Maranhão Império: produção, circulação e prescrições. 2012. 450 f. Tese (Doutorado em Educação escolar) – Programa de Pós-graduação em Educação escolar, Universidade Estadual de São Paulo, 2012.

CASTELLANOS, Samuel Luis Velázquez. Memória de leitura de profesores e professoras maranhenses no século XX: estudo das primeiras décadas. Dissertação (Mestrado em Educação) – Universidade Federal do Maranhão, 2007.

CERTEAU, Michel de. A invenção do cotidiano. Rio de Janeiro: Vozes, 1994.

FARIA FILHO, Luciano Mendes de. et. al. A cultura escolar como categoria de análise e como campo de investigação na história da educação. Disponível em: . Acesso em: 10 dez. 2010.

GANDINI, R.P.C. Revista Brasileira de Estudos Pedagogicos (1944-1953):intelectuais, educação e estudo. Tese (Doutorado em Educacao) Universidade de Campinas, Campinas, 1990.

LEMOS, A.A.B. As revistas brasileiras no setor de saúde. Comunicação e Sociedade, v.4, n.7, p.86, 1982.

LOPES, Antonio. História da imprensa no Maranhão. Rio de Janeiro: DASP, 1959.

MARQUES, César Augusto. História da imprensa do Maranhão. Revista do Instituto Histórico e Geográfico Brasileiro, n.41, v.57, p.219-255, 1878.

NÓVOA, Antônio. A imprensa de educação e ensino: repertório analítico (século XIX-XX). Lisboa: Instituto de Inovação Educacional, 1993.

NÓVOA, Antônio. A imprensa de Educação e Ensino. In: Educação em Revista: a imprensa periódica e a história da educação. São Paulo: Escrituras, 1997.

NUNES, C.; CARVALHO, M.M.C. Historiografia da educação e fontes.Cadernos ANPED. Porto Alegre, Porto Alegre, n.5, p.57-64,1985.

SCHELBAUER, Analete Regina; José Carlos Souza Araújo. (Org.). História da educação pela imprensa. Campinas, SP: Editora Alínea, 2007.

VILHENA, C. P.S., CATANI, D.B., A imprensa periódica educacional e as fontes para a história da cultura escolar brasileira. Texto apresentado na XV Reunião Anual da ANPED, Caxambu, Minas Gerais, set. 1992. Mimeo.

JORNAIS PESQUISADOS

ALMA NOVA, São Luís, 1929.

O BRAZIL, São Luís, 1907.

O CANHOTO, São Luís, 1912

O ESTUDANTE, São Luís,1915

EXCELSIOR, São Luís, 1914.,5

INUBIA, São Luís, 1914.

LABARO, São Luís, 1929.

O PROGRESSO, São Luís, 1907.

REVISTA TIPOGRÁFICA, São Luís, 1914.

SANGUE JOVEM, São Luís, 1930.

Publicado
2020-10-28
Métricas
  • Visualizações do Artigo 41
  • pdf downloads: 30
Como Citar
Castro, C. A., Furtado, L. N. M., & Castellnos, S. L. V. (2020). Os jornais dos alunos do liceu maranhense (1907-1930). Revista Da FAEEBA - Educação E Contemporaneidade, 29(59), 144-161. https://doi.org/10.21879/faeeba2358-0194.2020.v29.n59.p144-161