A NEUROCIÊNCIA NA FORMAÇÃO DE PROFESSORES: UM ESTUDO DA REALIDADE BRASILEIRA

  • Márcia Gorett Ribeiro Grossi CEFET-MG.
  • Aline Moraes Lopes CEFET-MG
  • Pablo Alves Couto CEFET-MG
Palavras-chave: Prática pedagógica, Neurociência, Curso de pedagogia., Processo ensino e aprendizagem, Publicações nacionais

Resumo

Conhecer o funcionamento, potencialidades e limitações do sistema nervoso possibilitam atender as demandas do educador frente às dificuldades de aprendizagem, levando a uma contribuição positiva na prática pedagógica. Por isso a importância de perceber os fundamentos sobre neurobiologia cognitiva, necessários no processo ensino e aprendizagem. Nesta perspectiva, o objetivo desta pesquisa foi verificar se os cursos de  Pedagogia  e  dos  Programas  Especiais  de  Formação  Pedagógica  de  docentes  no Brasil têm incorporado em  suas propostas pedagógicas  os  conhecimentos sobre a
neurociência. Assim, foram realizadas análises nas matrizes curriculares desses cursos.
Complementando o estudo, foi feita uma consulta ao banco de Teses e Dissertações da Capes,  para  identificar  as  publica-ções  nacionais  acadêmicas  sobre  essa  temática.  Os
resultados permitem afirmar que a neurociência cognitiva na área educacional ainda não é uma realidade, haja vista a falta de disciplinas relacionadas com a neurociência na maioria das matrizes curriculares dos cursos pesquisados. Os dados, portanto, indicam a necessidade de uma revisão nos currículos dos profissionais da Educação. Analisando a produção nacional sobre a neurociência na educação, percebe-se que a pesquisa sobre este tema encontra-se tímida, embora exista um interesse cada vez maior nos últimos dez anos.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Márcia Gorett Ribeiro Grossi, CEFET-MG.
Doutora em Ciência da Informação pela UFMG. Mestre em Tecnologia pelo CEFET-MG. Engenheira Eletricista pela PUC--MG. Professora do Depto de Educação e Subcoordenadora do Mestrado em Educação Tecnológica do CEFET-MG. Membro
do Grupo de Pesquisa AVACEFET do CEFET-MG.
Aline Moraes Lopes, CEFET-MG
Mestranda em Educação Tecnológica pelo CEFET-MG. Especialista em PROEJA pelo CEFET-MG. Graduada em Letras
pela UFSJ. Membro do Grupo de Pesquisa AVACEFET do CEFET-MG
Pablo Alves Couto, CEFET-MG

Mestrando em Educação Tecnológica pelo CEFET-MG. Graduado em Ciências Biológicas pela UFMG. Membro do Grupo de
Pesquisa GEMATEC do CEFET-MG.

Referências

BRASIL. Ministério da Educação. Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira. Censo da educação superior de 2010. Disponível em: <http://portal.inep.gov.br/web/censo-da-educacao-superior/resumos-tecnicos>. Acesso em: 15 out. 2012.

______. Ministério da Educação. Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira. Censo da educação superior de 2009. Disponível em: <http://portal.inep.gov.br/web/censo-da-educacao-superior/resumos-tecnicos>. Acesso em: 20 out. 2012.

______. Ministério da Educação. Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira. Censo da educação superior de 2002. Disponível em: <http://portal.inep.gov.br/web/censo-da-educacao-superior/resumos-tecnicos>. Acesso em: 24 out. 2012.

______. Ministério da Educação. Resolução CNE/CEB nº 02, de 16 de junho de 1997. Dispõe sobre os programas especiais de formação pedagógica de docentes para as disciplinas do currículo do ensino fundamenta, do ensino médico e da educação profissional profissionalizante em nível médio. Publicado no DOU de 15.07.1997. Disponível em: <http://portal.mec.gov.br/setec/arquivos/pdf/RCNE_CEB02_97.pdf>. Acesso em: 03 nov. 2012.

______. Ministério da Educação. Resolução CNE/CEB nº 01, de 31 de janeiro de 2006. Altera a alínea “b” do inciso IV do artigo 3º da Resolução CNE/CEB nº 2/98, que instituiu as Diretrizes Curriculares Nacionais para o Ensino Fundamental. Publicado no DOU de 02.02.2006. Disponível em: <http://portal.mec.gov.br/cne/arquivos/pdf/rceb001_06.pdf>. Acesso em: 03 nov. 2012.

______. Ministério da Educação. Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (Capes). Periódicos: banco de dados. Disponível em: <http://www.periodicos.capes.gov.br>. Acesso em: mar. 2013.

COMUNIDADE APRENDER CRIANÇA. A primeira comunidade acadêmica no Brasil dedicada ao aprimoramento do ensino e aprendizado através dos avanços nas pesquisas sobre o cérebro. 2008. Disponível em: <http://www.aprendercrianca.com.br/index.php?option=com_content&view=category&layout=blog&id=75&Itemid=280>. Acesso em: 20 jan.2012.

COSENZA, R; GUERRA, L. Neurociência e educação: como o cérebro aprende. Porto Alegre: Artmed, 2011.

DALGALARRONDO, P. Psicopatologia e semiologia dos transtornos mentais. 2. ed. Porto Alegre: Artmed, 2008.

ESCRIBANO, C. L. Contribuciones de la neurociencia al diagnóstico y tratamiento educativo de la dislexia del desarrollo. Revista de Neurología, Barcelona, v. 44, n. 3, p. 173-180, 2007.

FUNDAÇÃO DE DESENVOLVIMENTO DA PESQUISA (FUNDEP). Galeria de projetos. Neurociência e comportamento. Curso de especialização em neurociência e comportamento. Belo Horizonte, 2011. Disponível em: <http://galeriadeprojetos.fundep.br/projeto/projeto_detalhe.aspx?tipo=1&area=1&id=63>. Acesso em: 09 jan. 2012.

GROSSI, M. G. R.; SANTOS, A. J. As contribuições de Paulo Freire e Howard Gardner e das novas tecnologias na Educação. In: CONGRESSO INTERNACIONAL DE EDUCAÇÃO, 3., 2011, Ponta Grossa, PR. Anais eletrônicos... Ponta Grossa, PR: Instituto Sul Americano de Pós-Graduação, Ensino e Tecnologia, 2011. Disponível em: <http://www.isapg.com.br/2011/ciepg/download.php?id=pdf>. Acesso em: 29 out. 2012.

GUERRA, L. B. Como as neurociências contribuem para e educação escolar? FGR em revista, Belo Horizonte, ano 4, n. 5, p. 6-9, out. 2010. Disponível em: <http://www.fgr.org.br/site/revistas/revista_5edicao.pdf>. Acesso em: 02 dez. 2012.

GUERRA, L. B.; PEREIRA, A. H.; LOPES, M. Z. Neuroeduca – inserção da neurobiologia na educação. In: ENCONTRO DE EXTENSÃO DA UNIVERSIDADE FEDERAL DE MINAS GERAIS, 7., 2004, Belo Horizonte. Anais eletrônicos... Belo Horizonte: Universidade Federal de Minas Gerais, 2004. Disponível em: <http://www.ufmg.br/proex/arquivos/7Encontro/Educa113.pdf>. Acesso em: 20 out. 2012.

INSTITUTO DE PESQUISAS EM NEUROEDUCAÇÃO. Quem somos. São Paulo, 2006. Disponível em: <http://www.neuroeducacao.com.br/quemsomos.asp>. Acesso em: 20 jan.2013.

MACHADO, A. Neuroanatomia funcional. 2. ed. São Paulo: Atheneu, 2002.

MARKOVA, D O natural e ser inteligente: padrões básicos de aprendizagem a serviço da criatividade e educação. São Paulo: Summus, 2000.

METRING, R. Neuropsicologia e aprendizagem: fundamentos necessários para planejamento do ensino. Rio de Janeiro: Wak, 2011.

PEARSON. The learning curve. London, 2012. Disponível em: <http://thelearningcurve.pearson.com>. Acesso em: 27 nov. 2012.

PROJETO PLURAL. Revista Plural, Ribeirão Preto, SP, v. 2, p. 1, jan. 2011. Disponível em: <http://pluralgep.files.wordpress.com/2011/02/revistaplural2011_atualizada.pdf>. Acesso em: 05 ago. 2012.

RELVAS, M. P. Neurociência e transtornos de aprendizagem: as múltiplas eficiências para uma educação inclusiva. 5. ed. Rio de Janeiro: Wak, 2011.

SOARES, D. Os vínculos como passaporte da aprendizagem: um encontro D’EUS. Rio de Janeiro: Caravansarai, 2003.

STERNBERG, R. J.; GRIGORENKO, E. L. Inteligência plena: ensinando e incentivando a aprendizagem e a realização dos alunos. Porto Alegre: Artmed, 2003.

UNIVERSIDADE FEDERAL DE MINAS GERAIS. Instituto de Ciências Biológicas. NeuroEduca. Belo Horizonte, 2012. Disponível em: <http://www.icb.ufmg.br/neuroeduca>. Acesso em: 05 ago. 2011.

Métricas
  • Visualizações do Artigo 9364
  • PDF downloads: 6311
Como Citar
GROSSI, M. G. R.; LOPES, A. M.; COUTO, P. A. A NEUROCIÊNCIA NA FORMAÇÃO DE PROFESSORES: UM ESTUDO DA REALIDADE BRASILEIRA. Revista da FAEEBA - Educação e Contemporaneidade, v. 23, n. 41, 11.