A Neurociência na formação de professores:

um estudo da realidade brasileira

Autores

  • Márcia Gorett Ribeiro Grossi Centro Federal de Educação Tecnológica de Minas Gerais
  • Aline Moraes Lopes Centro Federal de Educação Tecnológica de Minas Gerais
  • Pablo Alves Couto Centro Federal de Educação Tecnológica de Minas Gerais

DOI:

https://doi.org/10.21879/faeeba2358-0194.2014.v23.n41.p%25p

Palavras-chave:

Prática pedagógica, Neurociência, Curso de pedagogia., Processo ensino e aprendizagem, Publicações nacionais

Resumo

Conhecer o funcionamento, potencialidades e limitações do sistema nervoso possibilitam atender as demandas do educador frente às dificuldades de aprendizagem, levando a uma contribuição positiva na prática pedagógica. Por isso a importância de perceber os fundamentos sobre neurobiologia cognitiva, necessários no processo ensino e aprendizagem. Nesta perspectiva, o objetivo desta pesquisa foi verificar se os cursos de  Pedagogia  e  dos  Programas  Especiais  de  Formação  Pedagógica  de  docentes  no Brasil têm incorporado em  suas propostas pedagógicas  os  conhecimentos sobre a neurociência. Assim, foram realizadas análises nas matrizes curriculares desses cursos. Complementando o estudo, foi feita uma consulta ao banco de Teses e Dissertações da Capes,  para  identificar  as  publica-ções  nacionais  acadêmicas  sobre  essa  temática.  Os
resultados permitem afirmar que a neurociência cognitiva na área educacional ainda não é uma realidade, haja vista a falta de disciplinas relacionadas com a neurociência na maioria das matrizes curriculares dos cursos pesquisados. Os dados, portanto, indicam a necessidade de uma revisão nos currículos dos profissionais da Educação. Analisando a produção nacional sobre a neurociência na educação, percebe-se que a pesquisa sobre este tema encontra-se tímida, embora exista um interesse cada vez maior nos últimos dez anos.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Márcia Gorett Ribeiro Grossi, Centro Federal de Educação Tecnológica de Minas Gerais

Doutora em Ciência da Informação pela UFMG. Mestre em Tecnologia pelo CEFET-MG. Engenheira Eletricista pela PUC--MG. Professora do Depto de Educação e Subcoordenadora do Mestrado em Educação Tecnológica do CEFET-MG. Membro do Grupo de Pesquisa AVACEFET do CEFET-MG.

Aline Moraes Lopes, Centro Federal de Educação Tecnológica de Minas Gerais

Mestranda em Educação Tecnológica pelo CEFET-MG. Especialista em PROEJA pelo CEFET-MG. Graduada em Letras pela UFSJ. Membro do Grupo de Pesquisa AVACEFET do CEFET-MG

Pablo Alves Couto, Centro Federal de Educação Tecnológica de Minas Gerais

Mestrando em Educação Tecnológica pelo CEFET-MG. Graduado em Ciências Biológicas pela UFMG. Membro do Grupo de Pesquisa GEMATEC do CEFET-MG.

Referências

BRASIL. Ministério da Educação. Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira. Censo da educação superior de 2010. Disponível em: <http://portal.inep.gov.br/web/censo-da-educacao-superior/resumos-tecnicos>. Acesso em: 15 out. 2012.

______. Ministério da Educação. Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira. Censo da educação superior de 2009. Disponível em: <http://portal.inep.gov.br/web/censo-da-educacao-superior/resumos-tecnicos>. Acesso em: 20 out. 2012.

______. Ministério da Educação. Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira. Censo da educação superior de 2002. Disponível em: <http://portal.inep.gov.br/web/censo-da-educacao-superior/resumos-tecnicos>. Acesso em: 24 out. 2012.

______. Ministério da Educação. Resolução CNE/CEB nº 02, de 16 de junho de 1997. Dispõe sobre os programas especiais de formação pedagógica de docentes para as disciplinas do currículo do ensino fundamenta, do ensino médico e da educação profissional profissionalizante em nível médio. Publicado no DOU de 15.07.1997. Disponível em: <http://portal.mec.gov.br/setec/arquivos/pdf/RCNE_CEB02_97.pdf>. Acesso em: 03 nov. 2012.

______. Ministério da Educação. Resolução CNE/CEB nº 01, de 31 de janeiro de 2006. Altera a alínea “b” do inciso IV do artigo 3º da Resolução CNE/CEB nº 2/98, que instituiu as Diretrizes Curriculares Nacionais para o Ensino Fundamental. Publicado no DOU de 02.02.2006. Disponível em: <http://portal.mec.gov.br/cne/arquivos/pdf/rceb001_06.pdf>. Acesso em: 03 nov. 2012.

______. Ministério da Educação. Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (Capes). Periódicos: banco de dados. Disponível em: <http://www.periodicos.capes.gov.br>. Acesso em: mar. 2013.

COMUNIDADE APRENDER CRIANÇA. A primeira comunidade acadêmica no Brasil dedicada ao aprimoramento do ensino e aprendizado através dos avanços nas pesquisas sobre o cérebro. 2008. Disponível em: <http://www.aprendercrianca.com.br/index.php?option=com_content&view=category&layout=blog&id=75&Itemid=280>. Acesso em: 20 jan.2012.

COSENZA, R; GUERRA, L. Neurociência e educação: como o cérebro aprende. Porto Alegre: Artmed, 2011.

DALGALARRONDO, P. Psicopatologia e semiologia dos transtornos mentais. 2. ed. Porto Alegre: Artmed, 2008.

ESCRIBANO, C. L. Contribuciones de la neurociencia al diagnóstico y tratamiento educativo de la dislexia del desarrollo. Revista de Neurología, Barcelona, v. 44, n. 3, p. 173-180, 2007.

FUNDAÇÃO DE DESENVOLVIMENTO DA PESQUISA (FUNDEP). Galeria de projetos. Neurociência e comportamento. Curso de especialização em neurociência e comportamento. Belo Horizonte, 2011. Disponível em: <http://galeriadeprojetos.fundep.br/projeto/projeto_detalhe.aspx?tipo=1&area=1&id=63>. Acesso em: 09 jan. 2012.

GROSSI, M. G. R.; SANTOS, A. J. As contribuições de Paulo Freire e Howard Gardner e das novas tecnologias na Educação. In: CONGRESSO INTERNACIONAL DE EDUCAÇÃO, 3., 2011, Ponta Grossa, PR. Anais eletrônicos... Ponta Grossa, PR: Instituto Sul Americano de Pós-Graduação, Ensino e Tecnologia, 2011. Disponível em: <http://www.isapg.com.br/2011/ciepg/download.php?id=pdf>. Acesso em: 29 out. 2012.

GUERRA, L. B. Como as neurociências contribuem para e educação escolar? FGR em revista, Belo Horizonte, ano 4, n. 5, p. 6-9, out. 2010. Disponível em: <http://www.fgr.org.br/site/revistas/revista_5edicao.pdf>. Acesso em: 02 dez. 2012.

GUERRA, L. B.; PEREIRA, A. H.; LOPES, M. Z. Neuroeduca – inserção da neurobiologia na educação. In: ENCONTRO DE EXTENSÃO DA UNIVERSIDADE FEDERAL DE MINAS GERAIS, 7., 2004, Belo Horizonte. Anais eletrônicos... Belo Horizonte: Universidade Federal de Minas Gerais, 2004. Disponível em: <http://www.ufmg.br/proex/arquivos/7Encontro/Educa113.pdf>. Acesso em: 20 out. 2012.

INSTITUTO DE PESQUISAS EM NEUROEDUCAÇÃO. Quem somos. São Paulo, 2006. Disponível em: <http://www.neuroeducacao.com.br/quemsomos.asp>. Acesso em: 20 jan.2013.

MACHADO, A. Neuroanatomia funcional. 2. ed. São Paulo: Atheneu, 2002.

MARKOVA, D O natural e ser inteligente: padrões básicos de aprendizagem a serviço da criatividade e educação. São Paulo: Summus, 2000.

METRING, R. Neuropsicologia e aprendizagem: fundamentos necessários para planejamento do ensino. Rio de Janeiro: Wak, 2011.

PEARSON. The learning curve. London, 2012. Disponível em: <http://thelearningcurve.pearson.com>. Acesso em: 27 nov. 2012.

PROJETO PLURAL. Revista Plural, Ribeirão Preto, SP, v. 2, p. 1, jan. 2011. Disponível em: <http://pluralgep.files.wordpress.com/2011/02/revistaplural2011_atualizada.pdf>. Acesso em: 05 ago. 2012.

RELVAS, M. P. Neurociência e transtornos de aprendizagem: as múltiplas eficiências para uma educação inclusiva. 5. ed. Rio de Janeiro: Wak, 2011.

SOARES, D. Os vínculos como passaporte da aprendizagem: um encontro D’EUS. Rio de Janeiro: Caravansarai, 2003.

STERNBERG, R. J.; GRIGORENKO, E. L. Inteligência plena: ensinando e incentivando a aprendizagem e a realização dos alunos. Porto Alegre: Artmed, 2003.

UNIVERSIDADE FEDERAL DE MINAS GERAIS. Instituto de Ciências Biológicas. NeuroEduca. Belo Horizonte, 2012. Disponível em: <http://www.icb.ufmg.br/neuroeduca>. Acesso em: 05 ago. 2011.

Como Citar

GROSSI, M. G. R.; LOPES, A. M.; COUTO, P. A. A Neurociência na formação de professores:: um estudo da realidade brasileira. Revista da FAEEBA - Educação e Contemporaneidade, [S. l.], v. 23, n. 41, 2014. DOI: 10.21879/faeeba2358-0194.2014.v23.n41.p%p. Disponível em: https://revistas.uneb.br/index.php/faeeba/article/view/821. Acesso em: 19 abr. 2024.