DISCURSO, DEMANDAS E FRONTEIRA: ARTICULAÇÕES TEÓRICO-METODOLÓGICAS NA ANÁLISE DE TEXTOS CURRICULARES

Autores

  • Carmen Teresa Gabriel Universidade do Estado do Rio de Janeiro

DOI:

https://doi.org/10.21879/faeeba2358-0194.2013.v22.n40.p55-67

Palavras-chave:

Estudos curriculares, Conhecimento escolar/acadêmico, Teoria do discurso, Demanda, Fronteira

Resumo

Este texto tem por objetivo apresentar alguns rastros dos caminhos investigativos adotados no grupo de pesquisa, sob minha coordenação, cujo foco de análise consiste na compreensão dos processos de produção e distribuição do conhecimento validado e legitimado em diferentes contextos de formação. Entendemos que as disputas em torno da definição do conhecimento mobilizado nos fazeres curriculares é uma questão política incontornável face às demandas que interpelam as escolas e as universidades públicas em nosso presente. Em diálogo com as abordagens discursivas na perspectiva pós-fundacional, o texto destaca algumas implicações metodológicas desta aposta teórico-metodológica nos processos de investigação desenvolvidos pelo grupo de pesquisa. Operando com o pressuposto que teoria e método são indissociáveis, defendemos que as opções metodológicas precisam fazer sentido dentro do referencial teórico no qual as inscrevemos. O texto explicita alguns dos questionamentos formulados nas diferentes pesquisas concluídas e/ou em curso, bem como a caixa de ferramenta utilizada para a análise do acervo empírico produzido, sublinhando a potencialidade analítica das categorias “demanda” e “fronteira”. As análises apontam que nas lutas de significação em torno de fixação de sentidos de “conhecimento escolar/acadêmico”, o que está em jogo é a produção de outros universais, de outros antagonismos, por meio da produção de outras práticas articulatórias hegemônicas

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Carmen Teresa Gabriel, Universidade do Estado do Rio de Janeiro

Doutora em Educação pela Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro. Coordenadora do PPGE em Educação da Universidade do Estado do Rio de Janeiro (UFRJ). Professora Titular da Faculdade de Educação da UFRJ. Bolsista de Produtividade do CNPq.

Referências

BAHIENSE, D. A. O “bom aluno de história”: o que o conhecimento histórico escolar tem a ver com isso? 2011. 117 f. Dissertação (Mestrado em Educação) – Programa de Pós-Graduação em Educação, Universidade Federal do Rio de Janeiro, Rio de Janeiro, 2011.

BARCELLOS, Vitor Andrade. Currículo e capoeira: negociando sentidos de “cultura negra” na escola. 2013. 215 f. Dissertação (Mestrado em Educação) – Programa de Pós-Graduação em Educação, Universidade Federal do Rio de Janeiro, Rio de Janeiro, 2013.

BOURDIEU, Pierre. Le champ scientifique. Tradução de Paula Monteiro. Actes de la recherche en sciences sociales, n. 2/3, p. 88-104, juin. 1976.

BURITY, Joanildo. Teoria do discurso e educação: reconstruindo vínculo entre cultura e política. Revista Teias, Rio de Janeiro, n. 22, p. 01-23, 2010.

CASTRO, Marcela Moraes de. Sentidos de conhecimento escolar no jogo de linguagem nas políticas oficiais de currículo. 2012. 136 f. Dissertação (Mestrado em Educação) – Programa de Pós-Graduação em Educação, Universidade Federal do Rio de Janeiro, Rio de Janeiro, 2012.

COSTA, Marisa Vorraber. Velhos temas, novos problemas – a arte de perguntar em tempos pós-modernos. In: COSTA, Marisa Vorraber; BUJES, Maria Isabel Edelweiss (Org.). Caminhos investigativos III. Rio de Janeiro: DP&A, 2005. p. 199-214.

COSTA, Warley da. Currículo e produção da diferença: “negro” e “não negro” na sala de aula de história. 2012. 302 f. Tese (Doutorado em Educação) – Programa de Pós-Graduação em Educação, Universidade Federal do Rio de Janeiro, Rio de Janeiro, 2012.

FOUCAULT, Michel. Microfísica do poder. Tradução de Roberto Machado. São Paulo: Graal, 1979.

FRAZÃO, Erika. Quem é o povo que habita os livros didáticos de História? Um estudo a partir do campo do currículo. 2013. Projeto de Dissertação de Mestrado em Educação – Programa de Pós-Graduação em Educação, Universidade Federal do Rio de Janeiro, Rio de Janeiro, 2013.

GABRIEL, Carmen Teresa; COSTA, Warley. Que “negro” é esse que se narra nos currículos de história? Revista Teias, Rio de Janeiro, v. 11, p. 1-20, 2010.

______. Currículo de história, política da diferença e hegemonia: diálogos possíveis. Educação e Realidade, Porto Alegre, v. 36, p. 127-146, 2011.

GABRIEL, Carmen Teresa. Conhecimento escolar, cultura e poder: desafio para pensar o campo do currículo em “tempos pós”. In: MOREIRA, Antônio Flávio Barbosa.; CANDAU, Vera Maria Ferrão. Multiculturalismo. Diferenças culturais e práticas pedagógicas. Petrópolis: Vozes, 2008.

______. Currículo e epistemologia sobre fronteiras do conhecimento escolar. In: LEITE, Carlinda. et al (Org.). Políticas, fundamentos e práticas do currículo. Porto, PT: Porto, 2011. p. 37-44.

______. Da linguagem do texto à linguagem da tessitura do real: que implicações para a pesquisa em educação?. In: VENERA, Raquel Alvarenga Sena; CAMPOS, Rosânia (Org.). Abordagens teórico-metodológicas: primeiras aproximações. Joinville: Univille, 2012, p. 19-42.

______. O “Outro” como elemento incontornável na produção do conhecimento histórico. In: PEREIRA, Amilcar Araújo; MONTEIRO, Ana Maria (Org.). Ensino de história e culturas afro-brasileiras e indígenas, Rio de Janeiro: Pallas, 2013. p. 287-311.

GABRIEL, Carmen Teresa.; FERREIRA, Marcia Serra. Disciplina escolar e conhecimento escolar: conceitos sob rasura no debate curricular contemporâneo. In: LIBÂNEO, José Carlos; ALVES, Nilda (Org.) Temas de pedagogia: diálogos entre didática e currículo. São Paulo: Cortez, 2012. p. 227-241.

GABRIEL, Carmen Teresa; FRAZÃO, Erika. Currículo de história e projetos de democratização: entre memórias e demandas de cada presente. In: MONTEIRO, Ana Maria. et al. (Org.). Pesquisa em ensino de história: entre desafios epistemológicos e apostas políticas. Rio de Janeiro: Mauad, 2013. No prelo.

GRAÇA, Livia Maria Vieira dos Reis. Processos de significação/identificação cultural e gestão de demandas de diferenças nos espaços de formação de professores de Juiz de Fora. 2012. 188 f. Dissertação (Mestrado em Educação) – Programa de Pós-Graduação em Educação, Universidade Federal do Rio de Janeiro, Rio de Janeiro, 2012.

HOWARTH, David. Discourse. Buckinghtam: Opens University Press, 2000.

______. Applying discourse theory: the method of articulation. In: HOWARTH, David; TORFING, Jacob. Discourse theory in european politics. New York: Palgrave Macmillan, 2005.

LACLAU, Ernest. New reflexions on the revolution of our time. London: Verso, 1990.

______. Emancipación y diferencia. Buenos Aires: Difel, 1996.

______. La razón populista. Buenos Aires: Fondo de Cultura Econômica, 2005.

______. Emancipação e diferença, Rio de Janeiro: EdUERJ, 2011.

LACLAU, Ernest; MOUFFE, Chantal. Hegemonía y estratégia socialista. Hacia una radicalización de la democracia. Buenos Aires: Fondo de Cultura Económica, 2004.

MACEDO, Elizabeth. Currículo como espaço-tempo de fronteira cultural. Revista Brasileira de Educação, v. 11, n. 32, p. 285-296, 2006.

MARCHART, Olivier. El pensamento político pós-fundacional, La diferencia política en Nancy, Lefort, Badiou Y Laclau. Buenos Aires: Fondo de Cultura Economica, 2009.

MEYER, Darmar Esterman. Abordagens pós-estruturalistas de pesquisa na interface educação, saúde e gênero: perspectiva metodológica. In: MEYER, Darmar Esterman; PARAÍSO, Marlucy Alves (Org.). Metodologias de pesquisas pós-criticas em Educação. Belo Horizonte: Mazza, 2012. p. 47-61.

MORAES, Luciene Stumbo. “Conteúdos importantes” em história no currículo da educação básica: um estudo a partir da disciplina estudos sociais no Colégio Pedro II. 2012. 184 f. Dissertação (Mestrado em Educação) – Programa de Pós-Graduação em Educação, Universidade Federal do Rio de Janeiro, Rio de Janeiro, 2012.

OLIVEIRA, Thalita Maria Cristina Rosa. A política curricular de história no Mercosul educacional: investigando os discursos sobre “identidade regional”. 2010. 165 f. Dissertação (Mestrado em Educação) – Programa de Pós-Graduação em Educação, Universidade Federal do Rio de Janeiro, Rio de Janeiro, 2010.

PUGAS, Márcia Cristina de Souza. Conhecimento e docência no currículo de pedagogia: entre o pedagógico e o disciplinar. 2013. Tese (Doutorado em Educação) – Programa de Pós-Graduação em Educação, Universidade Federal do Rio de Janeiro, Rio de Janeiro, 2013.

ROCHA, Ana Angelita Costa Neves da. Questionando o questionário: uma análise de currículo e sentidos de Geografia no ENEM. 2013. 323 f. Tese (Doutorado em Educação) – Programa de Pós-Graduação em Educação, Universidade Federal do Rio de Janeiro, Rio de Janeiro, 2013.

RETAMOZO, Martin. Las demandas sociales y El estúdio de los movimientos sociales. Cinta Moebio, Santiago, v. 35, p. 110-127, 2009.

SANTOS, Boaventura de Souza. Epistemologia do sul. São Paulo: Cortez, 2010.

SARLO, Beatriz. Cenas da vida pós-moderna. Tradução de Sergio Alcides, Rio de Janeiro: Editora da UFRJ, 1997.

VELASCO, D. B. “Realidade do aluno”, “cidadão crítico”, “conhecimento escolar”: que articulações possíveis no currículo de história? 2013. 197 f. Dissertação (Mestrado em Educação) – Programa de Pós-Graduação em Educação, Universidade Federal do Rio de Janeiro, Rio de Janeiro, 2013.

WITTGENSTEIN, Ludwig. Investigações filosóficas. Tradução de José Carlos Bruni. São Paulo: Nova Cultural, 1999. (Coleção Os Pensadores).

Publicado

2019-10-16

Como Citar

GABRIEL, C. T. DISCURSO, DEMANDAS E FRONTEIRA: ARTICULAÇÕES TEÓRICO-METODOLÓGICAS NA ANÁLISE DE TEXTOS CURRICULARES. Revista da FAEEBA - Educação e Contemporaneidade, [S. l.], v. 22, n. 40, p. 55–67, 2019. DOI: 10.21879/faeeba2358-0194.2013.v22.n40.p55-67. Disponível em: https://revistas.uneb.br/index.php/faeeba/article/view/7438. Acesso em: 24 jul. 2024.