CURRÍCULO, GÊNERO E NORDESTINIDADE: O QUE ENSINA O FORRÓ ELETRÔNICO?

Autores

  • Malércio Maknamara Universidade Federal do Rio Grande do Norte

DOI:

https://doi.org/10.21879/faeeba2358-0194.2012.v21.n38.p%25p

Palavras-chave:

Currículo. Gênero. Nordestinidade. Forró eletrônico

Resumo

Esta tese teve como objeto os discursos das músicas de forró eletrônico e a regulação generificada de nordestinidades. Fundamentada nas teorias pós-críticas da educação, objetivou investigar regulações da nordestinidade forjadas com a produção de subjetividades generificadas nos discursos das músicas de forró eletrônico. A análise incidiu sobre fragmentos discursivos extraídos de músicas de forró eletrônico, adotando elementos de perspectivas metodológicas inspiradas nas análises foucaultianas. A pergunta central orientadora da investigação foi: como subjetividades generificadas vêm regulando nordestinidades no currículo do forró eletrônico?A tese defendida foi a de que o forró eletrônico concorre, via gênero, para uma erosão das linhas de continuidade que historicamente forjaram uma ideia de nordestinidade. O currículo do forró eletrônico regula nordestinidades porque ao mesmo tempo em que reforça antigos estereótipos que ajudaram a sedimentar uma determinada ideia do que seriam o Nordeste e seu povo, torna cada vez mais improvável defini-los por meio de um conjunto preciso, homogêneo e coerente de discursos, imagens e textos relativamente a gênero. Nas músicas de forró eletrônico são engendradas continuidades e descontinuidades enunciativas que concentram e diluem experiências da nordestinidade e que são endereçadas de modo a constituir biopoliticamente uma comunidade que é imaginada e que se imagina portadora de um estilo de vida que ganha corpo na figura do/a forrozeiro/a. Assim, o referido currículo não deixa de trair a nordestinidade tanto quanto possibilita que ela seja assimilada e reinventanda. Nessa traição, ele mostra a ficção de uma invenção – da sua própria e do Nordeste que o possibilitou.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Malércio Maknamara, Universidade Federal do Rio Grande do Norte

Professor Adjunto do Centro de Educação da Universidade Federal do Rio Grande do Norte, lotado no Departamento de Práticas Educativas e Currículo Doutor em Educação pela Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG), 2011. Mestre em Educação pela Universidade Federal da Paraíba (UFPB), 2005. Licenciado em Ciências Biológicas pela Universidade Federal do Ceará (UFC)

Como Citar

MAKNAMARA, M. CURRÍCULO, GÊNERO E NORDESTINIDADE: O QUE ENSINA O FORRÓ ELETRÔNICO?. Revista da FAEEBA - Educação e Contemporaneidade, [S. l.], v. 21, n. 38, 2013. DOI: 10.21879/faeeba2358-0194.2012.v21.n38.p%p. Disponível em: https://revistas.uneb.br/index.php/faeeba/article/view/533. Acesso em: 12 abr. 2024.