Círculo de estudos, observatório de educação e turismo de base comunitária: contribuições de metodologias participativas para o desenvolvimento local

Autores

  • Giovanna Del Gobbo Universidade de Florença
  • Eduardo José Fernandes Nunes Universidade do Estado da Bahia (UNEB).
  • Anaie Leite Silva Morais Universidade do Estado da Bahia (PPGEduC/UNEB).

DOI:

https://doi.org/10.21879/faeeba2358-0194.2018.v27.n52.p60-71

Palavras-chave:

Círculo de estudos, Observatório de educação, Turismo de base comunitária, Desenvolvimento local, Metodologias participativas

Resumo

Este trabalho discute metodologias participativas educacionais em dois países, Itália e Brasil, articuladas com as teorias sobre desenvolvimento local. Tanto o projeto do Círculo de Estudos (CE) na Itália quanto o Observatório de Educação de Jovens e Adultos do Território de Identidade do Sisal (OBEJA) e o Turismo de Base Comunitária (TBC no Cabula), na Bahia, Brasil, utilizam-se de metodologias que integram estratégias de intervenção social local, tendo como princípios o diálogo com a sustentabilidade, ação pública e a ação dos cidadãos. Na Itália, a Universidade de Florença, em parceria com o Centro de Educação Profissional na cidade de Gorizia, com financiamento da União Europeia, desenvolveu Círculos de Estudos com diferentes agentes sociais locais buscando estratégias de desenvolvimento local. No Brasil, na região do SISAL e na localidade do antigo quilombo Cabula Salvador, respectivamente o OBEJA e as intervenções do TBC em bairros populares, onde está inserida a Universidade do Estado da Bahia (UNEB), reacende perspectivas também para novos projetos de desenvolvimento local. Essas expreriências serão analisadas a partir de suas abordagens metodológicas e de suas ações para recuperar os conhecimentos e saberes de grupos sociais e a possibilidade de eles criarem seus próprios caminhos com autonomia e autogestão de seus ecossocioempreendimentos.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

BARTHOLO, Roberto; SANSOLO, Davis Gruber; BURSZTYN, Ivan (Org.). Turismo de base comunitária: diversidade de olhares e experiências brasileiras. Brasília, DF: Letra e Imagem, 2009. Disponível em: <http://www.turismo.gov.br/sites/default/turismo/o_ministerio/publicacoes/downloads_publicacoes/TURISMO_DE_BASE_COMUNITxRIA.pdf>. Acesso em: 29 abr. 2018.

BELTRÃO, Selma Lúcia Lira. A construção do diálogo interinstitucional para o desenvolvimento territorial rural sustentável: estratégias comunicativas e de participação no Território do Sisal, Bahia. 2010. 213f. Dissertação (Mestrado em Desenvolvimento Sustentável) – Centro de Desenvolvimento Sustentável da Universidade de Brasília (UnB), Brasília, DF, 2010.

BRANDÃO, Carlos Rodrigues. O que é educação. 28. ed. São Paulo: Brasiliense, 1993. (Coleção Primeiros Passos).

CIAPETTI, Lorenzo. Losviluppo locale. Bologna: ilMulino, 2010.

COSCIONE, Marco. El comercio justo: una alianza estratégica para el desarrollo de América Latina. Madrid: Catarata, 2008.

DOWBOR, Ladislau. Educação e desenvolvimento local. 2006. Disponível em: <http://dowbor.org/2006/04/educacao-e-desenvolvimento-local-doc.html/>. Acesso em: 30 abr. 2018.

ENCONTRO DE TURISMO DE BASE COMUNITÁRIA E ECONOMIA SOLIDÁRIA (ETBCES). Apresentação. Disponível em: <http://www.etbces.net.br/>. Acesso em: 07 maio 2018.

ESTEVAN, Antonio; JOVER, Daniel; NAREDO, José Manuel. Por una economía ecológica y solidaria: conversaciones con Antonio Estevan y José Manuel Naredo. Barcelona: Icária, 2009.

GATTI, Bernadete. A construção metodológica da pesquisa em educação: desafios. Revista Brasileira de Política e Administração da Educação (RBPAE), v. 28, n. 1, p. 13-34, jan./abr. 2012.

HABERMAS, Jurgen. Teoria do agir comunicativo. Vol. 2. São Paulo: Martins Fontes, 2012.

INSTITUTO BRASILEIRO DE GEOGRAFIA E ESTATÍSTICA (IBGE). Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios (PNAD) 2014. Taxa de analfabetismo. Disponível em: <http://www.ibge.gov.br>. Acesso em: 05 maio 2018.

______. Censo Brasileiro de 2010. Rio de Janeiro, 2012.

INSTITUTO NACIONAL DE ESTUDOS E PESQUISAS EDUCACIONAIS ANÍSIO TEIXEIRA (INEP). Banco de dados da Escola Brasil. Disponível em: <http://portal.inep.gov.br/web/guest/inicio>. Acesso em: 17 jul. 2014.

JOVER, Daniel. Por uma economía ecológica y solidaria: conversaciones com: AntonioEstevan y José Manuel Naredo. Barcelona: Icária, 2009.

MUSEU VIRTUAL QUILOMBO DO CABULA. Sobre o museu. Disponível em: <http://www.museudocabula.com.br/>. Acesso em: 07 maio 2018.

PORTAL TBC. Turismo de base comunitária no entorno do Cabula. Disponível em: <http://www.tbccabula.com.br/>. Acesso em: 07 maio 2018.

SANTOS, Boaventura de Sousa. A universidade no século XXI: para uma reforma democrática e emancipatória da Universidade. 3. ed. São Paulo: Cortez, 2011. (Coleção Questões da nossa Época, vol. 11).

SILVA, Francisca de Paula (Org.). Turismo de base comunitária e cooperativismo: articulando pesquisa e ensino no Cabula e entorno. Salvador: Eduneb, 2013.

SINGER, Paul. A recente ressureição da economia solidária no Brasil. In: SANTOS, Boaventura Souza (Org.). Produzir para viver: os caminhos da produção não capitalista. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 2002. p. 81-129.

STUDY CIRCLES. Line e guida per la construzione del sistema transfrontaliero dei circoli di studio 2007-2013 del fundo europeo di sviluppo regionale e dal fundo nazionali Eslovênia/Itália. 2014. Disponível em: <http://www.study-circles.eu>. Acesso em: 07 maio 2018.

VILANOVA, Elena; VILANOVA, Rosa. Las otras empresas: experiencias de economía alternativa y solidaria en el Estado español. Madrid: Talasa Ediciones, 1996.

Publicado

2018-08-31

Como Citar

DEL GOBBO, G.; NUNES, E. J. F.; MORAIS, A. L. S. Círculo de estudos, observatório de educação e turismo de base comunitária: contribuições de metodologias participativas para o desenvolvimento local. Revista da FAEEBA - Educação e Contemporaneidade, [S. l.], v. 27, n. 52, p. 60–71, 2018. DOI: 10.21879/faeeba2358-0194.2018.v27.n52.p60-71. Disponível em: https://revistas.uneb.br/index.php/faeeba/article/view/5296. Acesso em: 17 jul. 2024.