O Observatóriode educaçãode Jovens e adultos e a educação popular no territóriodo sisal –Bahia

  • Eduardo José Fernandes Nunes Universidade do Estado da Bahia (UNEB)
  • Marcos César Guimarães dos Santos Universidade do Estado da Bahia (UNEB).
  • Maria Raidalva Nery Barreto Universidade do Estado da Bahia (UNEB).
Palavras-chave: Território do Sisal. Educação popular. Observatório de Educação de Jovens e Adultos. Desenvolvimento local.

Resumo

Este artigo analisa a participação do Observatório de Educação de Jovens e Adultos do Território de Identidade do Sisal (OBEJA-TIS/UNEB/CAPES) na construção de uma rede que visa consolidar ações na Educação de Jovens e Adultos, desde a perspectiva dos debates atuais sobre educação popular, movimentos sociais e desenvolvimento local. O Território de Identidade do Sisal fica situado na região Nordeste do estado da Bahia, atravessou períodos distintos em sua história, mas a chegada da cultura do sisal, a manutenção das grandes propriedades e a falta de investimentos públicos na educação transformaram a realidade desse território, gerando o sucateamento do
sistema escolar, demonstrado pelos índices elevados de pessoas não alfabetizadas.
Em uma perspectiva analítica, utilizando-se do pensamento de autores como Freire e Nogueira (2005), Brandão (1998), Werthein (1985), Beisiegel (1989), entre outros, com base em pesquisas quanti-qualitativas, observamos que variadas formas associativas alternativas de produção e ocupação da terra estão surgindo no Território de Identidade do Sisal e apresentando novos desafios. A rede de educação popular realizada pelos diferentes movimentos sociais imprime uma possibilidade de mudança na falta de uma política mais incisiva de investimentos educacionais, para que haja uma transformação social mais justa no território.

Biografia do Autor

Eduardo José Fernandes Nunes, Universidade do Estado da Bahia (UNEB)

Doutor em Análise Geográfica Regional pela Universiade de Barcelona, na Espanha. Professor e Pesquisador do Programa de Pós-graduação em Educação e Contemporaneidade da Universidade do Estado da Bahia (UNEB). Líder do Grupo de Pesquisa
Teoria Social e Projeto Político-Pedagógico (TSPPP/UNEB).

Marcos César Guimarães dos Santos, Universidade do Estado da Bahia (UNEB).
Mestre em Educação e Contemporaneidade pela Universidade do Estado da Bahia (UNEB). Pesquisador no Grupo de Pesquisa Teoria Social e Projeto Político-Pedagógico (TSPPP/UNEB).
Maria Raidalva Nery Barreto, Universidade do Estado da Bahia (UNEB).

Mestre em Políticas Públicas, Gestão do Conhecimento e Desenvolvimento Regional pela Universidade do Estado da Bahia (UNEB). Pesquisadora do Grupo de Pesquisa Teoria Social e Projeto Político-Pedagógico (TSPPP/UNEB).

Referências

BEISIEGEL, C. de R. Política e educação popular: a teoria e a prática de Paulo Freire no Brasil. São Paulo: Ática, 1989.

BRANDÃO, Carlos Rodrigues. oque é educação popular. São Paulo: Brasiliense, 1998.

BELTRÃO, Selma Lúcia Lira. aconstrução do diálogo interinstitucional para o desenvolvimento territorial rural sustentável: estratégias comunicativas e de participação no Território do Sisal, Bahia. 2010. 213 f. Dissertação (Mestrado em Desenvolvimento Sustentável) – Centro de Desenvolvimento Sustentável da Universidade de Brasília (UnB) Brasília, DF, 2010.

BRASIL. Lei nº 9.394, de 20 de dezembro de 1996. Estabelece as diretrizes e bases da educação nacional. diário Oficial [da] República Federativa do Brasil, Brasília, DF, 23 dez. 1996. Disponível em: <http://www.planalto.gov.br>. Acesso em: 22 out. 2007.

CODELLO. Francesco. “aboa educação”: experiências libertárias e teorias anarquistas na Europa, de Godwin a Neill. v. 1. São Paulo: Imaginário, 2007.

COSCIONE, Marco. el comercio justo: una alianza estratégica para el desarrollo de América Latina. Madri: IUDC/UCM, 2008.

FARIA, Edite Maria da Silva de. aluta social ensina: o direito à educação na vida de mulheres e homens sisaleiros – assentamento nova Palmares – Conceição do Coité – Bahia. 2014. 208 f. Tese (Doutorado em Educação)

– Programa de Pós-Graduação e Educação e Contemporaneidade, Universidade do Estado da Bahia, Salvador, 2014.

FERRARI, Alceu Ravanello. Utilização das estatísticas educacionais dos censos demográficos e dos registros escolares: uma tipologia de análises. educação e realidade, Porto Alegre, v. 4, n. 2, p. 253-266, jul./set. 1979.

FREIRE, Paulo; NOGUEIRA, Adriano. Teoria e prática em educação popular. Petrópolis, RJ: Vozes, 2005.

FREYMOND, Jacques. la primera internacional. v. 1 e 2. Bilbao, ESP: Edita Zero, 1973.

GATTI, Bernardete. Estudos quantitativos em educação. educação e Pesquisa, São Paulo, v. 30, n. 1, p. 11-30, jan./abr. 2004.

GUILLAUME, James. ainternacional: documentos e recordações. São Paulo: Imaginário, 2009.

INSTITUTO BRASILEIRO DE ADMINISTRAÇÃO MUNICIPAL (IBAM). aPaeB Valente – desenvolvimento sustentável da região sisaleira – Valente-Bahia: estudo de caso. Rio de Janeiro: IBAM, 2007. Disponível em:

<http://www.ibam.org.br/media/arquivos/estudos/estudoapaeb.pdf>. Acesso em: 05 dez. 2014.

INSTITUTO NACIONAL DE ESTUDOS E PESQUISAS EDUCACIONAIS ANÍSIO TEIXEIRA (INEP). Banco de dados da escola Brasil. Disponível em: <http://www.dataescolabrasil.inep.gov.br/dataEscolaBrasil/home.seam>. Acesso em: 17 jul. 2014.

LIMA, Adriana dos Santos Marmori. Programa ToPa/uneB: formação de alfabetizadores e perspectiva para a inclusão sociodigital dos jovens e adultos da Bahia. 2009. 129 f. Dissertação (Mestrado em Educação) –

Programa de Pós-Graduação e Educação e Contemporaneidade, Universidade do Estado da Bahia, Salvador, 2009.

NASCIMENTO, A. D. Educação do campo: da triste partida à volta da Asa Branca. In: NASCIMENTO, Antônio Dias; CHAVES, Rosana Mara Rodrigues; SODRÉ, Maria Dorath Bento (Org.). educação do campo e contempora-neidade. Salvador: EDUFBA, 2013a. v. 1. p. 37-50.

Movimentos sociais do campo no Brasil e sua relação com a educação e o desenvolvimento local sustentável. Algumas notas. In: NUNES, Eduardo; NASCIMENTO, Antônio Dias; OREFICE, Paolo (Org.). educação,movimentos sociais e desenvolvimento local sustentável: reflexões contemporâneas. Salvador: Eduneb, 2013b. p. 52-67.

NUNES, Eduardo J. Fernandes; SANTOS JUNIOR, Severiano José dos. No limiar da utopia: autonomia e sustentabilidade no espaço contemporâneo. In: NUNES, Eduardo; NASCIMENTO, Antônio Dias; OREFICE, Paolo (Org.). educação, movimentos sociais e desenvolvimento local sustentável: reflexões contemporâneas. Salvador: Eduneb, 2013. p. 111-137

NUNES, Eduardo. Et al. relatório 01 do observatório de educação de Jovens e adultos do Território de identidade de Sisal (oBeJa). Salvador: UNEB, 2013.

SANTOS, Boaventura S. (Org.). Produzir para viver: os caminhos da produção não capitalista. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 2002.

SILVA, Silvio B. M.; SILVA, Bárbara-Christine N. Reinventando o território: tradição e mudança na região do sisal – Bahia. revista de desenvolvi-mento econômico, Salvador, v. 3, n. 5, p. 6-17, 2001. Disponível em: <http://www.revistas.unifacs.br/index.php/rde/article/view/612/453>. Acesso em: 10 nov. 2014.

SILVA, Lourdes Helena; COSTA, Vânia Aparecida; ROSA, Walquiria Miranda. A educação de jovens e adultos em áreas de reforma agrária: desafios da formação de educadores do campo. revista Brasileira de educação, v. 16, n. 14, p. 149-166, 2011.

VILANOVA, Elena; VILANOVA, Rosa. las otras empresas: experiências de economia alternativa y solidaria en el Estado español. Madri: Talasa Ediciones, 1996.

VINCENT, David. Alfabetização e desenvolvimento. revista Brasileira de educação, v. 19, n. 58, p. 539-560, 2014.

WERTHEIN, J. (Org.). educação de adultos na américa latina. Campinas, SP: Papirus, 1985.