GESTÃO DO TRABALHO DOCENTE NO SÉCULO XXI: DO CAPITAL HUMANO AO CAPITAL INTELECTUAL

Autores

  • Jussara Marques de Macedo Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ).

DOI:

https://doi.org/10.21879/faeeba2358-0194.2012.v21.n38.p%25p

Resumo

Compreender as mudanças incididas a partir da crise estrutu-ral do sistema capitalista de produção e reprodução social da vida material, voltadas à área de gestão do trabalho e da produção, são fundamentais para a apreensão das reformas nos sistemas de ensino voltadas à formação de Trabalhado-res de novo tipo, mais ajustados à nova configuração das forças produtivas e da gestão da produção. Nesse quadro se insere o trabalhador docente, que precisa também ser Redi-mensionado para dar conta das mudanças necessárias para adaptar o trabalho escolar às novas demandas de produtivi-dade e competitividade. Objetivamos explicitar a relação existente entre a centralidade e atualidade da Teoria do Capital Humano e do Capital Intelectual, como norteadores de políticas públicas e privadas de formação para o trabalho docente e a lógica teórica e mercadológica da “sociedade do conhecimento”. Demonstramos que o conhecimento é apre-sentado como elemento necessário e indispensável para o mais recente modelo de gestão do trabalho pedagógico, embora possa ser visto como elemento de produção da exclusão e da desigualdade. Concluímos que o novo modelo de gestão do trabalho pedagógico relaciona-se diretamente aos novos modelos de formação/qualificação docente para melhor ajuste e conformação às formas precarizadas de trabalho,presentes no século XXI.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Jussara Marques de Macedo, Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ).

Doutora em Educação pela Universidade Federal Fluninense (UFF). Professora adjunta da Faculdade de Educação da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ). Membro do grupo de pesquisa Coletivo de Estudos em Marxismo e Educação (COLEMARX - UFRJ) e do Grupo de Estudos e Pesquisas em Trabalho e Educação (GEPTE - Fiocruz).

Referências

BECKER, Gary. Investment in human beings (part 2). The Journal of Political Economy, v. 70, n. 5, p. 9-49,Oct. 1962.

BIANCHETTI, Lucídio. Da chave de fenda ao laptop: tecnologia digital e novas qualificações – desafios à educação.Petrópolis, RJ: Vozes, 2001.

BRASIL. Ministério da Educação. Lei nº 9.394, de 20 de dezembro de 1996. Lei de Diretrizes e Bases da Educação

Nacional. Brasília, DF, 1996.

BRESSER PEREIRA, Luiz Carlos. Reflexões sobre a reforma gerencial brasileira de 1995. Revista do Serviço Público, São Paulo, ano 50, n. 4, p. 5-29, out./dez. 1999. Disponível em: <http://www.enap.gov.br/index.

php?option=com_docman&task=doc_view&gid=2691>. Acesso em: 09 out. 2012.

CARBONE, Pedro Paulo. et al. Gestão por competências: e gestão do conhecimento. 3. ed. Rio de Janeiro: Editora

FGV, 2009.

DALE, Roger. Globalização e educação: demonstrando a existência de uma “cultura educacional mundial comum”

ou localizando uma “agenda globalmente estruturada para a educação”. Educação, Sociedade e Culturas, Porto,n. 16, p. 133-169, 2001.

DELORS, Jacques (Org.). Educação: um tesouro a descobrir – Relatório da Unesco da Comissão Internacional sobre Educação para o Século XXI (1996). 6. ed. São Paulo: Cortez; Brasília: MEC/Unesco, 2001.

EVANGELISTA, Olinda; SHIROMA, Eneida Oto. Professor: protagonista e obstáculo da reforma. Educação e Pesquisa, São Paulo, v. 33, n. 3, p. 531-541, set./dez. 2007.

FIDALGO, Fernando Selmar. A formação profissional Negocia-da: França e Brasil, anos 90. São Paulo: A. Garibaldi,1999.

FRIEDMAN, Milton. Capitalismo e liberdade. Tradução de Luciana Carli. Rio de Janeiro: Artenova, 1977.

FRIGOTTO, Gaudêncio. Reformas educativas e o retrocesso democrático no Brasil nos anos 90. In: LINHARES,Célia (Org.). Os professores e a reinvenção da escola: Brasil e Espanha. São Paulo: Cortez, 2001. p. 57-80.

GUTIÉRREZ, Lino. A política dos EUA para a América Latina In: CAMPANHA NACIONAL CONTRA A ALCA(Org.). Soberania sim, ALCA não! Análises e documentos. São Paulo: Expressão Popular, 2002. p. 11-22.

HAYEK, Friedrich August Von. O caminho da servidão. Rio de Janeiro: Biblioteca do Exército, 1994.

JOIA, Luiz Antonio. Medindo o capital intelectual. Revista de Administração de Empresas, São Paulo, v. 41, n.2, p. 54-63, abr./jun. 2001.

KUENZER, Acácia Zeneida. Exclusão includente e inclusão excludente: a nova forma de dualidade estruturalque objetiva as novas relações entre educação e trabalho. In: LOMBARDI, José Claudinei; SAVIANI, Dermeval;SANFELICE, José Luís (Org.). Capitalismo, trabalho e educação. Campinas (SP): Autores Associados/Histedb r,2002. p. 77-95.

LLAVADOR, Francisco Beltran. Organización postfordista y régimen de producción de los nuevos sujetos docentes.

In: FERREIRA, Naura Syria Carapeto (Org.). A gestão da educação na sociedade mundializada: por uma nova

cidadania. Rio de Janeiro: DP&A, 2003. p. 101-125.

MACEDO, Jussara Marques de. A mundialização do capital e seus reflexos nas políticas de formação de professores no período 1990-2010. 2011. 494 f. Tese (Doutorado em Educa-ção) – Programa de Pós-Graduação em Educação, Univer-sidade Federal Fluminense, Niterói, RJ, 2011.

______. A formação do pedagogo em tempos neoliberais: a experiência da Uesb. Vitória da Conquista (BA):Edições Uesb, 2008.

______. Reestruturação produtiva e políticas de formação de novas competências para o trabalho docente. In: REUNIÃO

ANUAL DA ANPEd, 25., 2002, Caxambu (MG). Anais... Caxambu (MG): Microservice, 2002. 1 CD-ROM.

MELLO, Guiomar Namo de. Cidadania e competitividade: desafios educacionais do terceiro milênio. 10. ed.São Paulo: Cortez, 2005.

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO (MEC). Proposta de diretrizes para a formação inicial de professores da educação básica, em cursos de nível superior. Brasília, DF: [mimeo], 2000.

OLIVEIRA, Dalila Andrade de. A reestruturação do trabalho docente: precarização e flexibilização. Educação e Sociedade, Campinas, v. 25, n. 89, p. 1127-1144, set./dez. 2004. Disponível em: <http://www.cedes.unicamp.br>.Acesso em: 24 maio 2010.

______. Educação básica: gestão do trabalho e da pobreza. Petrópolis (RJ): Vozes, 2000.

PERRENOUD, Philippe. Dez novas competências para ensinar. Tradução de Patrícia Chittoni Ramos. Porto Alegre: Artes Médicas Sul, 2000.

PETRAS, James. Imperialismo e luta de classes no mundo contemporâneo. Tradução de Eleonora Frenkel Barreto. Florianópolis: Editora da UFSC, 2007.

SANTOS, Aparecida de Fátima Tiradentes dos. Teoria do capital intelectual e teoria do capital humano: estado,

capital e trabalho na política educacional em dois momentos do processo de acumulação. In; REUNIÃO ANUAL DA ANPEd, 29., 2004, Caxambu, MG. Anais eletrônicos... Caxambu, MG: ANPEd, 2004. Disponível em:

www.anped.org.br/reuniões/27/gt09/t095.pdf>. Acesso em: 12 abr. 2010.

SCHULTZ, Theodore. O capital humano: investimentos em educação e pesquisa. Tradução de Marco Aurélio de Moura Matos. Rio de Janeiro: Zahar. 1973.

SHIROMA, Eneida Oto. Implicações da política de profissio-nalização sobre a gestão e o trabalho docente. In:SIMPÓSIO SOBRE TRABALHO E EDUCAÇÃO, 2., 2004, Belo Horizonte. Anais... Belo Horizonte: FaE/NETE/UFMG, 2004. p. 1-17.

SILVA, Deborah Ribeiro. Educação corporativa. São Paulo, 2006. Disponível em: <http://www.fecap.br/Portal/

Arquivos/Graduacao_Rev_Estudante_On_Line/Educacao_Corporativa_Deborah_Ribeiro_Silva.pdf>. Acesso em:20 jun. 2010.

SOUZA, Thaís Rabello. (Con)formando professores eficazes: a relação política entre o Brasil e a Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Econômico (OCDE). 2009. 285 f. Dissertação (Mestrado em Educação) –Faculdade de Educação, Universidade Federal Fluminense, Niterói, RJ, 2009.

SVEIBY, Carl Erick. A nova riqueza das organizações: gerenciando e avaliando patrimônios de conhecimento.

Rio de Janeiro: Campus, 1998.

TONET, Ivo. Educação, cidadania e emancipação humana. Ijuí (RS): Unijuí, 2005. Disponível em:

www.ivotonet.xpg.com.br/arquivos/EDUCACAO_CIDADANIA_E_EMANCIPACAO_HUMANA.pdf> Acesso em: 01 jun. 2009.

Como Citar

MACEDO, J. M. de. GESTÃO DO TRABALHO DOCENTE NO SÉCULO XXI: DO CAPITAL HUMANO AO CAPITAL INTELECTUAL. Revista da FAEEBA - Educação e Contemporaneidade, [S. l.], v. 21, n. 38, 2013. DOI: 10.21879/faeeba2358-0194.2012.v21.n38.p%p. Disponível em: https://revistas.uneb.br/index.php/faeeba/article/view/495. Acesso em: 27 fev. 2024.