FUNDAMENTOS E PRÁTICAS DA EDUCAÇÃO PROFISSIONAL E TECNOLÓGICA: REFLEXÕES E PROPOSTAS DE ESTUDO A PARTIR DE UM MESTRADO PROFISSIONAL

Autores

  • Emerson Freire Centro Estadual de Educação Tecnológica Paula Souza (CEETEPS-SP).
  • Sueli Soares Batista Centro Estadual de Educação Tecnológica Paula Souza (CEETEPS-SP).

DOI:

https://doi.org/10.21879/faeeba2358-0194.2016.v25.n47.p105-118

Palavras-chave:

Mestrado profissional, Fundamentos da educação profissional e tecnológica, Gestão e desenvolvimento da educação profissional e tecnológica

Resumo

A expansão dos cursos em Educação Profissional e Tecnológica (EPT) nos últimos anos tem trazido desafios significativos nessa área, seja na rede pública ou privada. Dentre eles está o estabelecimento de programas de pós-graduação que permitam formar docentes,gestores e pesquisadores voltados para a realidade da EPT, conhecendo seus limites e possibilidades. Mais ainda, trata-se também de criar perspectivas de leitura, reflexões e estudos nessa modalidade de ensino. A partir da experiência docente e em pesquisa em EPT dentro do Programa de Mestrado Profissional em Gestão e Desenvolvimento da Educação Profissional, numa instituição pública paulista que atua na formação técnica e tecnológica desde 1969, os autores propõem neste artigo uma dessas possíveis perspectivas, considerando algumas trilhas básicas de investigação levantadas no contexto da arquitetura curricular de uma disciplina intitulada Fundamentos e Práticas da EPT. Parte-se da hipótese de que é necessário conhecer os fundamentos epistemológicos das relações entre educação e trabalho; problematizar o papel da EPT no atual contexto do desenvolvimento tecnocientífico, compreender as interfaces entre educação, sociedade e tecnologia a partir dos estudos da historiografia da Educação Profissional e Tecnológica,identificando as mudanças e permanências na sua fundamentação legal

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Emerson Freire, Centro Estadual de Educação Tecnológica Paula Souza (CEETEPS-SP).

Doutor em Sociologia pela Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP). Doutor em Filosofia pela Universidade de Paris 1 – Panthéon Sorbonne. Docente do Programa de Mestrado Profissional em Gestão e Desenvolvimento da Educação Profissional do Centro Estadual de Educação Tecnológica Paula Souza (CEETEPS-SP). Coordenador do Núcleo de Estudos de Tecnologia e Sociedade da Faculdade de Tecnologia do Estado de São Paulo (NETS/FATEC-Jundiaí).

Sueli Soares Batista, Centro Estadual de Educação Tecnológica Paula Souza (CEETEPS-SP).

Doutora em Psicologia da Aprendizagem pela Universidade de São Paulo (USP). Docente do Programa de Mestrado Profissional em Gestão e Desenvolvimento da Educação Profissional do Centro Estadual de Educação Tecnológica Paula Souza (CEETEPS-SP). Coordenador do Núcleo de Estudos de Tecnologia e Sociedade da Faculdade de Tecnologia do Estado de São Paulo (NETS/FATEC Jundiaí).

Referências

ABRAMO, H. W.; BRANCO, P. P. M. (Org.). Retratos da juventude brasileira: análises de uma pesquisa nacional. São Paulo: Fundação Perseu Abramo, 2005.

ABRAMO, H. W. et al. Agenda Juventude Brasil. Brasília, DF: Secretaria Nacional de Juventude, 2014. Disponível em: <https://issuu.com/participatorio/docs/agenda_juventude_brasil_-_pesquisa_/1?e=12152407/10902032>. Acesso em: 20 fev. 2015.

ADORNO, T. W. Ideologia. In: ADORNO, T. W.; HORKHEIMER, M. Temas básicos da sociologia. São Paulo: Cultrix, 1973. p. 184-203.

ALCÂNTARA, A. B.; COSTA, R. M. A. In: CONGRESSO BRASILEIRO DE HISTÓRIA DA EDUCAÇÃO, 8., 2014, Maringá. Anais... Maringá, PR: ANPOLL, 2014. Novo Plano. Novos desafios. Eixo Temático: 1 - Estado e Políticas Educacionais na História da Educação Brasileira.

ALVES, G. Trabalho, capitalismo global e “captura” da subjetividade: uma perspectiva crítica. In: SANT’ANA, R. S. et al. (Org.). O avesso do trabalho II: trabalho, precarização e saúde do trabalhador. São Paulo: Expressão Popular, 2010.

ANTUNES, R. O caracol e sua concha: ensaios sobre a nova morfologia do trabalho. São Paulo: Boitempo, 2005.

BATISTA, S. S. S.; FREIRE, E. (Org.). Educação profissional e tecnológica: perspectivas e experiências. v. 1. Jundiaí, SP: Paco Editorial, 2015.

BERNSTEIN, B. A estruturação do discurso pedagógico: classes, códigos e controle. Petrópolis, RJ: Vozes, 1996.

BRASIL. Ministério da Educação. Conselho Nacional de Educação. Resolução CNE/CP nº 3, de 18 de dezembro de 2002. Disponível em: <http://portal.mec.gov.br/cne/arquivos/pdf/CP032002.pdf>. Acesso em: 20 jul. 2016

BRYAN, N. A. P. Educação, processo de trabalho e desenvolvimento econômico. Campinas, SP: Alínea, 2008.

CASTIONI, R. Educação no mundo do trabalho: qualificação e competência. São Paulo: Francis, 2010.

CIAVATTA, M.; RAMOS, M. A “era das diretrizes”: a disputa pelo projeto de educação dos mais pobres. Revista Brasileira de Educação, Rio de Janeiro, v. 17, n. 49, jan.-abr. 2012.

COORDENAÇÃO DE APERFEIÇOAMENTO DE PESSOAL DE NÍVEL SUPERIOR (Capes). INFOCAPES – Boletim Informativo do Capes, Brasília, DF, v. 7, n. 3, 1999. Disponível em: <https://www.capes.gov.br/images/stories/download/bolsas/Info3_99.pdf>. Acesso em: 03 jul. 2016.

DELEUZE, G. Post-scriptum sobre as sociedades de controle. In: ______. Conversações. Rio de Janeiro: Editora 34, 1992. p. 219-226.

FOUCAULT, M. Do governo dos vivos. Rio de Janeiro: Achiamé, 2010.

______. Vigiar e punir. Petrópolis, RJ: Vozes, 1987.

FREIRE, E. Tecnólogo e o mercado: uma relação a ser revisitada. In: ALMEIDA, I. B.; BATISTA, S. S. dos S. (Org.). Educação tecnológica: reflexões, teorias e práticas. São Paulo: Paco, 2012. p. 103-116.

FRIGOTTO, G. A polissemia da categoria trabalho e a batalha das ideias nas sociedades de -classe. Revista Brasileira de Educação, Rio de Janeiro, v. 14, n. 40, p. 168-194, jan./abr. 2009.

INSTITUTO BRASILEIRO DE GEOGRAFIA E ESTATÍSTICA (IBGE). Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios (PNAD). Síntese dos indicadores. Disponível em: <http://biblioteca.ibge.gov.br/visualizacao/livros/liv45767.pdf>. Acesso em: 20 mar. 2015.

LEITÃO, A. Desafio da implementação das políticas na gestão estadual. In: LOBATO, A. L. (Org.). Jovens mulheres e políticas públicas. Brasília, DF: Ministério da Justiça e Cidadania/Secretaria Nacional de Justiça, 2014. (Série Juventude Estudos). p. 66-76.

LÓPEZ-RUIZ, O. J. Os executivos das transnacionais e o espírito do capitalismo. Capital humano e o empreendedorismo como valores sociais. Rio de Janeiro: Azougue, 2007.

LYOTARD, J-F. A condição pós-moderna. Rio de Janeiro: José Olympio, 1998.

MAAR, W. L. A dialética da centralidade do trabalho. Revista Ciência e Cultura, São Paulo, v. 58, n. 4, out./dez. 2006.

MACHADO, L. R. de S. O profissional tecnólogo e sua formação. Revista da Rede de Estudos do Trabalho (RET), ano II, n. 3, p. 1-28, 2008. Disponível em: <http://www.estudosdotrabalho.org/LuciliaMachado.pdf>. Acesso em: 20 jul. 2016.

______. Organização da educação profissional e tecnológica por eixos tecnológicos. Revista Linhas Críticas, Brasília, DF, v. 16, n. 30, p. 89-108, 2010.

MANFREDI, S. M. Educação profissional no Brasil. São Paulo: Cortez, 2002.

MARQUES, L. A construção de uma agenda das jovens mulheres e o mundo do trabalho. In: LOBATO, A. L. (Org.). Jovens mulheres e políticas públicas. Brasília, DF: Ministério da Justiça e Cidadania/Secretaria Nacional de Justiça, 2014. (Série Juventude Estudos). p. 142-151.

MARX, K. O capital: crítica da economia política. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 2002.

______. Manuscritos econômico-filosóficos. Lisboa: Edições 70, 1989.

MARX, K.; ENGELS, F. A ideologia alemã. São Paulo: Martins Fontes, 1998.

QUELHAS, O. L. G.; FARIA FILHO, J. R.; FRANÇA, S. L. B. O mestrado profissional no contexto do sistema de pós-graduação brasileiro. Revista Brasileira de Pós-graduação, v. 2, n. 4, p. 97-104, jul. 2005.

SHANNON, C. E.; WEAVER, W. The mathematical theory of communication. Chicago: University of Illinois Press, 1949.

SILVA, M. R. da; PELISSARI, L. B.; STEIMBACH, A. A. Juventude, escola e trabalho: permanência e abandono na educação profissional técnica de nível médio. Revista Educação e Pesquisa, São Paulo, v. 39, n. 2, p. 403-417, abr./jun. 2013.

SILVEIRA, V. O. da; SOUZA PINTO, F. C. Reflexões necessárias sobre o mestrado profissional. Revista Brasileira de Pós-graduação, v. 2, n. 4, p. 38-47, jul. 2005.

SIMONDON, G. Du Mode d'existence des objets techniques. Paris: Aubier-Montaigne, 1969.

______. Imagination et invention. Chatou: Les Éditions de La Transparence, 2008.

______. L'individuation à la lumière des notions de forme et d'information. Grenoble: Éditions Jérome Millon, 2005.

WEBER, M. A ética protestante e o espírito do capitalismo. São Paulo: Companhia das Letras, 2004.

______. Ensaios de sociologia. Rio de Janeiro: Zahar, 1982.

WIENER, N. Cibernética e sociedade: o uso humano de seres humanos. São Paulo: Cultrix, 1968.

______. Cibernética, ou controle e comunicação no animal e na máquina. São Paulo: Polígono, 1970.

Publicado

2018-04-02

Como Citar

FREIRE, E.; BATISTA, S. S. FUNDAMENTOS E PRÁTICAS DA EDUCAÇÃO PROFISSIONAL E TECNOLÓGICA: REFLEXÕES E PROPOSTAS DE ESTUDO A PARTIR DE UM MESTRADO PROFISSIONAL. Revista da FAEEBA - Educação e Contemporaneidade, [S. l.], v. 25, n. 47, p. 105–118, 2018. DOI: 10.21879/faeeba2358-0194.2016.v25.n47.p105-118. Disponível em: https://revistas.uneb.br/index.php/faeeba/article/view/4574. Acesso em: 14 jun. 2024.