MESTRADOS PROFISSIONAIS NA ÁREA DE EDUCAÇÃO E ENSINO

Autores

  • Clarilza Prado Sousa Pontifícia Universidade Católica de São Paulo (PUCSP)
  • Vera Souza Placco Pontifícia Universidade Católica de São Paulo (PUCSP)

DOI:

https://doi.org/10.21879/faeeba2358-0194.2016.v25.n47.p23-35

Palavras-chave:

Mestrado profissional, Formação de professores, Teoria da formação

Resumo

O texto procura discutir dois dos desafios que programas de Mestrado Profissional (MP) enfrentam atualmente, para constituir uma identidade funcional que os distinga dos mestrados acadêmicos e mantenham a qualidade acadêmica desejável.Partimos do pressuposto que os MP têm um compromisso com um impacto mais preciso em relação à educação básica, respondendo à sua realidade e demandas, e que sua proposição deve estar alinhada com os resultados de uma política voltada para a melhoria da qualidade do ensino. Assim, procura-se contribuir para o delineamento das necessidades e compromisso educacional que um MP deve atender. O primeiro desafio destes MP diz respeito à interpretação que têm feito das necessidades do contexto educacional para definir suas propostas. O segundo diz respeito às possibilidades de como formar o professor. Considerando os fundamentos consolidados da área de formação, é possível ultrapassar as disputas entre comunidades epistêmicas, propondo uma formação completa e complexa do profissional da educação.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Clarilza Prado Sousa, Pontifícia Universidade Católica de São Paulo (PUCSP)

Doutora em Currículo pela Pontifícia Universidade Católica de São Paulo (PUCSP). Professora Titular dos Programas de Estudos Pós-Graduados em Educação: Psicologia da Educação e Educação: Formação de Formadores da PUC-SP.

Vera Souza Placco, Pontifícia Universidade Católica de São Paulo (PUCSP)

Doutora em Psicologia da Educação pela Pontifícia Universidade Católica de São Paulo (PUCSP). Professora Titular dos
Programas de Estudos Pós-Graduados em Educação: Psicologia da Educação e Educação: Formação de Formadores da PUC-SP

Referências

BERGER, P.; LUCKMANN, T. Modernidade, pluralismo e crise de sentido. São Paulo: Vozes, 2004.

CATELLANI, G. V. O professor e a comunicação na sala de aula – importância atribuída à formação didático pedagógica e às técnicas de comunicação em sala de aula, por estudantes de pós-graduação que tem interesse em lecionar no ensino superior. 2013. 223f. Dissertação (Mestrado em Educação – Psicologia da Educação) – Pontifícia Universidade Católica de São Paulo, São Paulo, 2013.

DUBAR, C. A socialização: construção das identidades sociais e profissionais. Porto: Porto Editora, 2005. (Coleção Ciências da Educação).

FREIRE, Paulo. Pedagogia da esperança: um reencontro com a pedagogia do oprimido. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1992.

GARCIA, G. M. Formação de professores: para uma mudança educativa. Porto: Porto Editora, 1999.

GATTI, B. A. Os professores e suas identidades: o desvelamento da heterogeneidade. Cadernos de Pesquisa, São Paulo, n. 98, p. 85-90, ago. 1996.

______. Formação de professores e carreira: problemas e movimentos de renovação. 2. ed. Campinas, SP: Autores Associados, 2000.

GATTI, B. A.; BARRETO, E. S. S.; ANDRÉ, M. E. D. A. Políticas docentes no Brasil: um estado da arte. Brasília: UNESCO, 2011.

NÓVOA, A. (Org.). Os professores e sua formação. Lisboa: Dom Quixote, 1992.

OLIVEIRA, R. M. M. A. de. Narrativas: contribuições para a formação de professores, para as práticas pedagógicas e para a pesquisa em educação. Revista de Educação Pública, Cuiabá, v. 20, n. 43, p. 289-305, 2011.

PERRENOUD, P. Práticas pedagógicas, profissão docente e formação. Lisboa: Dom Quixote, 1993.

PINEAU, G. Temporalidade e formação. São Paulo: Trion, 2004.

PLACCO, V. M. N. de S. Formação e prática do educador e do orientador. 5. ed. Campinas, SP: Papirus, 2002a.

______. Formação de professores: o espaço de atuação do coordenador pedagógico–educacional. In: FERREIRA, N. S. C.; AGUIAR, M. A. (Org.). Para onde vão a orientação e a supervisão educacionais? Campinas, SP: Papirus, 2002b. p. 95-106.

______. Relações interpessoais em sala de aula e desenvolvimento pessoal de aluno e professor. In: ALMEIDA, L. R.; PLACCO, V. M. N. de S. As relações interpessoais na formação de professores. São Paulo: Loyola, 2002c. p. 7-19.

______. Perspectivas e dimensões da formação e do trabalho do professor. In: SILVA, A. M. M. et al. Educação formal e não-formal, processos formativos, saberes pedagógicos: desafios para a inclusão social. Recife: Bagaço, 2006. p.

______. Processos multidimensionais na formação de professores. In: OLIVEIRA, L. E.; ARAÚJO, M. I. O. Desafios da formação de professores para o século XXI: o que deve ser ensinado? O que é aprendido? Aracaju: Editora Universidade Federal de Sergipe, 2008. p. 185-198.

______. A aprendizagem do adulto-professor: desafios ao coordenador pedagógico como formador. IV Congresso Brasileiro Psicologia: Ciência e Profissão. São Paulo: Editora. do Evento, 2014. v. 1.

SANTOS, A. P. R. dos. Imagem do professor e atratividade da docência: enunciados sobre carreira docente na mídia impressa. Revista da FAAEBA: Educação e Contemporaneidade, Salvador, v. 23, n. 42, p. 197-206, 2014.

SIGALLA, L. A. A. De profissional a profissional-professor: contribuições para a formação de professores universitários da área de Administração. 2012. 112f. Dissertação (Mestrado em Educação) – Pontifícia Universidade Católica de São Paulo, São Paulo, 2012.

SOUSA, C. P. et al. Dificuldades dos alunos do 5º ano do Ensino Fundamental em Matemática. Estudos em Avaliação Educacional, v. 23, p. 198-221, 2012.

SCHÖN, D. Formar professores como profissionais reflexivos. In: NÓVOA, A. (Org.). Os professores e a sua formação. Lisboa: Dom Quixote, 1992. p. 15-33.

TARDIF, M., LESSARD, C. O trabalho docente: elementos para uma teoria da docência como profissão de interações humanas. Petrópolis, RJ: Vozes, 2005.

Publicado

2018-04-02

Como Citar

SOUSA, C. P.; PLACCO, V. S. MESTRADOS PROFISSIONAIS NA ÁREA DE EDUCAÇÃO E ENSINO. Revista da FAEEBA - Educação e Contemporaneidade, [S. l.], v. 25, n. 47, p. 23–35, 2018. DOI: 10.21879/faeeba2358-0194.2016.v25.n47.p23-35. Disponível em: https://revistas.uneb.br/index.php/faeeba/article/view/4567. Acesso em: 29 maio. 2024.