Escolarização para a inclusão: formações imaginárias e acontecimento discursivo

Autores

  • Hildete Pereira Anjos Universidade Federal do Sul e Sudeste do Pará (Unifesspa)

DOI:

https://doi.org/10.21879/faeeba2358-0194.2017.v26.n50.p209-223

Palavras-chave:

Análise de discurso, Deficiência, Políticas públicas

Resumo

O artigo tem como objetivo analisar, no discurso pedagógico acerca da deficiência, as formações discursivas que se produzem a partir do encontro entre formações imaginárias e acontecimento discursivo, conforme formulação de Pêcheux. O corpus foi constituído por materiais produzidos por grupos focais, dos quais participaram docentes de salas de recursos, de salas comuns, técnicos e gestores da educação especial.  Compreende o processo discursivo como composto por jogos de sentido regulados cultural e historicamente. Em tais jogos, analisando-se os lugares de onde falam aqueles que descrevem as salas de recursos e o lugar do outro em tais descrições, assim como as circunstâncias em que tal acontecimento discursivo ocorre, são explicitadas relações que evidenciam a heterogeneidade do discurso pedagógico sobre inclusão, o qual oscila entre o autoritário e o polêmico.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Hildete Pereira Anjos, Universidade Federal do Sul e Sudeste do Pará (Unifesspa)

Doutora em Educação pela Universidade Federal da Bahia (UFBA). Professora na Universidade Federal do Sul e Sudeste do
Pará (Unifesspa). Membro do Grupo de Estudos Dinâmicas Socioeducacionais, Políticas Públicas e Diversidade (GEDPPD/
CNPq)

Referências

AULETE DIGITAL. Especialista. Disponível em: <http://www.aulete.com.br/especialista>. Acesso em: 23 mar. 2017.

AUTHIER-REVUZ, Jacqueline. Heterogeneidade(s) enunciativa(s). Cadernos de Estudos Linguísticos, n. 19, p. 25-42, jul./dez. 1990.

BAPTISTA, Cláudio R. Ação pedagógica e educação especial: para além do AEE. In: BAPTISTA, C. R.; CAIADO, K. R. M.; JESUS, D. M. Práticas pedagógicas e inclusão: multiplicidade do atendimento educacional especializado. Araraquara, SP: Junqueira e Marin, 2013.

BRASIL. Política Nacional de Educação Especial na Perspectiva da Educação Inclusiva. Brasília, DF: MEC/SEESP, 2010.

CAIADO, Kátia Regina Moreno. Aluno deficiente visual na escola: lembranças e depoimentos. Campinas, SP: Autores Associados/PUC-SP, 2006.

CESÁRIO, A. C. C.; ALMEIDA, A. M C. Discurso e ideologia: reflexões no campo do marxismo estrutural. Acta Scientiarum – Human and Social Sciences, Maringá, PR, v. 32, n. 1, p. 1-8, 2010.

DICIO. Dicionário Online de Português. Encaixe. Disponível em: <https://www.dicio.com.br/>. Acesso em: 20 mar. 2015.

DINIZ, Débora. O que é deficiência. São Paulo: Brasiliense, 2007.

DINIZ, Débora; BARBOSA, Lívia. Definições – um gesto político para nominar o silêncio. Disponível em: <http://nau.fflch.usp.b/sites/nau.fflch.usp.br/files/upload/paginas/Diniz_Barbosa>. Acesso em: 10 fev. 2013.

GARCIA, Rosalba Maria Cardoso. Política de educação especial na perspectiva inclusiva e a formação docente no Brasil. Revista Brasileira de Educação, v. 18, n. 52, p. 101-119, jan./mar. 2013.

GIORGENON, Daniela; ROMÃO, Lucília Maria Sousa. O autoritário no discurso pedagógico e a inclusão do heterogêneo. Psicologia em Revista, Belo Horizonte, v. 19, n. 2, p. 271-286, ago. 2013.

GLAT, Rosana. Somos iguais a vocês: depoimentos de mulheres com deficiência mental. Rio de Janeiro: Agir, 1989.

GLAT, Rosana; PLETSCH, Márcia Denise. O método de história de vida em pesquisas sobre autopercepção de pessoas com necessidades educacionais especiais. Revista Educação Especial, Santa Maria, RS, v. 22, n. 34, p. 139-154, maio/ago. 2009. Disponível em: <http://www.ufsm.br/revistaeducacaoespecial>. Acesso em: 01 jun. 2015.

MAINGUENEAU, Dominique. Novas tendências em análise de discurso. Campinas, SP: Editora da Unicamp, 1997.

MENDES, Enicéia Gonçalves; PICCOLO, Gustavo. Contribuições a um pensar sociológico sobre a deficiência. Educação e Sociedade, Campinas, SP, v. 34, n. 123, p. 459-475, abr./jun. 2013.

NABUCO, Maria Eugênia. Práticas institucionais e inclusão. Cadernos de Pesquisa, v. 40, n. 139, p. 63-74, abr. 2010.

OBSERVATÓRIO NACIONAL DE EDUCAÇÃO ESPECIAL (ONEESP). São Carlos, SP, 2013. Disponível em: <http://www.oneesp.ufscar.br/>. Acesso em: 21 mar. 2015.

ORLANDI, E. P. A linguagem e seu funcionamento: as formas do discurso. São Paulo: Brasiliense, 2003.

______. Análise de discurso: princípios e procedimentos. 5. ed. Campinas, SP: Pontes, 2005a.

______. Michel Pêcheux e a análise de discurso. Estudos da Língua(gem), Vitória da Conquista, BA, v. 1, p. 9-13, 2005b.

______. Nota ao Leitor. In: PÊCHEUX, M. O discurso: estrutura ou acontecimento. Trad. Eni P. Orlandi. 4. ed. Campinas, SP: Pontes, 2006. p. 7-9.

PAULA, Fernando Silva; TFOUNI, Leda Verdiani. A persistência do fracasso escolar: desigualdade e ideologia. Revista Brasileira de Orientação Profissional, São Paulo, v. 10, n. 2, p. 117-127, dez. 2009. Disponível em: <http://pepsic.bvsalud.org/pdf/rbop/v10n2/v10n2a12.pdf>. Acesso em: 26 abr. 2017.

PÊCHEUX, Michel. Semântica e discurso: uma crítica à afirmação do óbvio. Trad. Eni P. Orlandi et al. 3. ed. Campinas, SP: Editora da Unicamp, 1997.

PÊCHEUX, Michel; FUCHS, Catherine. A propósito da análise automática do discurso: atualização e perspectivas (1975). In: GADET, Françoise; HAK, Tony (Org.). Por uma análise automática do discurso: uma introdução à obra de Michel Pêcheux. 3. ed. Campinas, SP: Editora da Unicamp, 1997. p. 163-252.

______. O discurso: estrutura ou acontecimento. Trad. Eni P. Orlandi. 4. ed. Campinas, SP: Pontes, 2006.

SANTIAGO, Mylene Cristina; SANTOS, Monica Pereira. Planejamento de estratégias para o processo de inclusão: desafios em questão. Educação e Realidade, Porto Alegre, v. 40, n. 2, p. 485-502, abr./jun. 2015.

SILVEIRA, Kelly Ambrósio; ENUMO, Sônia Regina Fiorim; ROSA, Edinete Maria. Concepções de professores sobre inclusão escolar e interações em ambiente inclusivo: uma revisão da literatura. Revista Brasileira de Educação Especial, Marília, SP, v. 18, n. 4, p. 698-705, out./dez. 2012.

Publicado

2017-12-22

Como Citar

ANJOS, H. P. Escolarização para a inclusão: formações imaginárias e acontecimento discursivo. Revista da FAEEBA - Educação e Contemporaneidade, [S. l.], v. 26, n. 50, p. 209–223, 2017. DOI: 10.21879/faeeba2358-0194.2017.v26.n50.p209-223. Disponível em: https://revistas.uneb.br/index.php/faeeba/article/view/4272. Acesso em: 13 abr. 2024.