Design para experiência multissensorial em museus

Autores

  • Eduardo Cardoso Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS).
  • Tânia Luisa Koltermann da Silva Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS)
  • Kemi Oshiro Zardo Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS)

DOI:

https://doi.org/10.21879/faeeba2358-0194.2017.v26.n50.p135-158

Palavras-chave:

Design, Fruição, Museus

Resumo

Este artigo visa apresentar os resultados obtidos com a pesquisa de doutorado intitulada Design para experiência multissensorial em museus: fruição de objetos culturais por pessoas com deficiência visual, realizada no Programa de Pós-Graduação em Design da Universidade Federal do Rio Grande do Sul (PgDesign/UFRGS), de 2012 a 2016. Teve-se como objetivo propor os requisitos para o projeto e o desenvolvimento de recursos multimodais táteis e sonoros para fruição de objetos culturais pelo usuário com deficiência visual em museus, segundo uma abordagem integrada com base no design para a experiência. O embasamento metodológico ampara-se nas abordagens de pesquisa qualitativa e pesquisa aplicada. Assim, são empregadas as técnicas de observação direta, entrevistas e Engenharia Kansei para caracterizar e compreender as experiências dos sujeitos da pesquisa, bem como para compreender os processos de desenvolvimento e os materiais para produção de recursos para consequente avaliação. A verificação do trabalho ocorreu no Museu Joaquim Felizardo, em Porto Alegre. Os requisitos de projeto validaram a hipótese elencada em resposta ao problema de pesquisa. Além dos requisitos de projeto, chegou-se a novos instrumentos para o auxílio no projeto de recursos de acessibilidade, como: metodologia para o desenvolvimento de recursos multimodais táteis e sonoros e instrumento para avaliação da experiência pelo usuário por meio de escalas de diferencial semântico.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Eduardo Cardoso, Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS).

Doutor em Design pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS). Professor Adjunto do Departamento de Design
e Expressão Gráfica da Faculdade de Arquitetura da UFRGS.

Tânia Luisa Koltermann da Silva, Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS)

Doutora em Engenharia de Produção pela Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC). Professora Associada do Departamento de Design e Expressão Gráfica da Faculdade de Arquitetura e professora permanente do Programa de Pós-Graduação em Design/FA/EE da Universidade Federal do Rio Grande do Sul

Kemi Oshiro Zardo, Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS)

Máster Universitario en Estudios de Cine y Audiovisual Contemporáneos pela Universitat Pompeu Fabra (UPF), Barcelona, Espanha. Especialista em Audiodescrição pela Universidade Federal de Juiz de Fora (UFJF). Graduanda do Bacharelado em Letras - Tradutor e Intérprete de Libras - Português da Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS).

Referências

ARAÚJO, M. M. Comunicação museológica: desafios e perspectivas. In: SEMINÁRIO DE CAPACITAÇÃO MUSEOLÓGICA, 2004, Belo Horizonte. Anais... Belo Horizonte: Instituto Cultural Flávio Gutierrez, 2004. p. 304-314.

BALLESTERO-ÁLVAREZ, J. A. Multissensorialidade no ensino de desenho a cegos. 2003. 121 f. Dissertação (Mestrado em ) – Programa de Pós-Graduação em Artes da Escola de Comunicação e Artes da Universidade de São Paulo (USP), São Paulo, 2003.

BINS ELY, V. H. M; OLIVEIRA, A. S. D. A. Acessibilidade em edifício de uso público: contribuição de projeto de extensão na elaboração de dissertação. In: SEMINÁRIO SOBRE ENSINO E PESQUISA EM PROJETO DE ARQUITETURA – PROJETAR 2005, 2., 2005, Rio de Janeiro. Anais... Rio de Janeiro: UFRJ, 2005.

BRASIL. Ministério da Cultura. As metas do Plano Nacional de Cultura. Brasília, DF, 2012. Disponível em: <http://www.fundacaocultural.ba.gov.br/colegiadossetoriais/As-Metas-do-Plano-Nacional-de-Cultura.pdf>. Acesso em: 25 jun. 2014.

______. Ministério da Cultura. Programa Mais Cultura. Brasília, DF, 2007. Disponível em: <http://www.cultura.gov.br/site/categoria/politicas/gestao-cultural/dados-da-cultura/>. Acesso em: 10 mar. 2007.

BRUNO, M. C. O. (Coord.). Waldisa Rússio Camargo Guarnieri: textos e contextos de uma trajetória profissional. A evidência dos contextos museológicos, v. 1. São Paulo: Pinacoteca do Estado/Secretaria de Estado da Cultura/ICOM, 2010.

CADERNOS DE SOCIOMUSEOLOGIA. Lisboa: Universidade Lusófona de Humanidades e Tecnologias, n. 9, 1996.

CARDOSO, E. Design para experiência multissensorial em museus: fruição de objetos culturais por pessoas com deficiência visual. 2016. 590 f. Tese (Doutorado em Design) – Programa de Pós-Graduação em Design (PgDesign) da Escola de Engenharia e Faculdade de Arquitetura da Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS), Porto Alegre, 2016.

CARFAGNI, M. Et al. Tactile representation of paintings: an early assessment of possible computer based strategies. In: Progress in cultural heritage preservation. Berlin: Springer, 2012. p. 261-270.

CURY, M. X. O sujeito do museu. MUSAS – Revista Brasileira de Museus e Museologia, Rio de Janeiro, n. 4, p. 86-97, 2009.

DALLASTA, V. C. A situação das pessoas portadoras de deficiência física. Santa Maria, RS: Universidade Federal de Santa Maria, 2005.

DEMO, P. Pesquisa e informação qualitativa: aportes metodológicos. Campinas, SP: Papirus, 2001.

DESMET, P. M. A.; HEKKERT, P. P. M. Framework of product experience. International Journal of Design, v. 1, n. 1, p. 57-66, 2007. Disponível em: <http://studiolab.ide.tudelft.nl/diopd/wp-content/uploads/2012/02/frameworkproductex.pdf>. Acesso em: 10 out. 2014.

FONSECA, A. R. Educação patrimonial: o objeto cultural como fonte primária para o conhecimento crítico. In: ENCONTRO NACIONAL DA ASSOCIAÇÃO NACIONAL DE PESQUISADORES EM ARTES PLÁSTICAS (ANPAP), 20., 2011, Rio de Janeiro. Anais... Rio de Janeiro: ANPAP, 2011. p. 230-240.

GABRIELE, M. C. F. L. Sociomuseologia: uma reflexão sobre a relação museus e sociedade. Expressa Extensão, Pelotas, Rio Grande do Sul, v. 19, n. 2, p. 43-53, 2014.

INSTITUTO BRASILEIRO DE GEOGRAFIA E ESTATÍSTICA (IBGE). Censo 2012. Brasília, DF, 2012. Disponível em: <http://www.ibge.gov.br>. Acesso em: 15 dez. 2013.

INSTITUTO BRASILEIRO DE MUSEUS (IBRAM). Museus em números. Brasília, DF, 2011. Disponível em <http://www.museus.gov.br/IBRAM/doc/museus_numeros.pdf>. Acesso em: 11 fev. 2011.

KARDOULIAS, T. Guidelines for making tactile diagrams and accompanying narratives. In: AXEL, E. S. Et al. (Ed.). Art beyond sight: a resource on art, creativity and visual impairment. New York: AFB Press, 2013. p. 267-296. Disponível em: <http://www.artbeyondsight.org/handbook/acs-tactileguidelines.shtml>. Acesso em:

MESQUITA, S. M. V. Acessibilidade de museus europeus para deficientes visuais. 2011. 152 f. Dissertação (Mestrado em Gestão e Planeamento em Turismo) – Programa de Pós-Graduação em Gestão e Planeamento em Turismo da Universidade de Aveiro, Portugal, Aveiro, 2011.

MINEIRO, C. (Org.). Temas de museologia: museus e acessibilidade. Lisboa: Instituto Português de Museus/Ministério da Cultura, 2004.

NAGAMACHI, M. Kansei affective/engineering. v. 2. Boca Raton, USA: CRC Press, 2010.

NEVES, J. Comunicação multi-sensorial em contexto museológico. SEMINÁRIO DE INVESTIGAÇÃO EM MUSEOLOGIA DOS PAÍSES DE LÍNGUA PORTUGUESA E ESPANHOLA, 1., 2009, Porto. Actas... Porto: Universidade do Porto, 2009. p. 180-192.

MUSEU OMERO. Informações sobre o Museu Omero. Disponível em: <http://www.museoomero.it/main?pp=sezione_itinerante&idLang=3>. Acesso em: 03 abr. 2015.

ORGANIZAÇÃO MUNDIAL DE SAÚDE (OMS). Disponível em: <http://portal.mj.gov.br/corde/ normas_abnt.asp>. Acesso em: 10 mar. 2010.

PASTORE, J. Oportunidades de trabalho para portadores de deficiência. 2. ed. São Paulo: LTR, 2001.

PRIMO, J. Museologia e design na construção de objectos comunicantes. Caleidoscópio, n. 7, p. 109-115, jul. 2011.

SARRAF, V. P. A comunicação dos sentidos nos espaços culturais brasileiros: estratégias de mediações e acessibilidade para as pessoas com suas diferenças. 2013. 251 f. Tese (Doutorado em Comunicação e Semiótica) – Programa de Pós-Graduação em Comunicação e Semiótica da Pontifícia Universidade Católica de São Paulo (PUC-SP), São Paulo, 2013.

SANTOS, S. M. A. Acessibilidade em museus. 2009. Dissertação (Mestrado em Museologia) – Curso Integrado de Estudos Pós-Graduados em Museologia da Faculdade de Letras da Universidade do Porto, Porto, Portugal, 2009.

VALENTE, Danyelle. Os diferentes dispositivos de fabricação de imagens e ilustrações táteis e as possibilidades de produção de sentido no contexto perceptivo dos cegos. Revista Educação, Artes & Inclusão, v. 2, n. 1, p. 59-82, 2009.

VARINE-BOHAN, H. Patrimônio e cidadania. In: Museologia Social. Porto Alegre: Secretaria Municipal de Cultura, 2000. p. 22-33.

WILLIAMS, R. Cultura e materialismo. São Paulo: UNESP, 2011.

Publicado

2017-12-22

Como Citar

CARDOSO, E.; SILVA, T. L. K. da; ZARDO, K. O. Design para experiência multissensorial em museus. Revista da FAEEBA - Educação e Contemporaneidade, [S. l.], v. 26, n. 50, p. 135–158, 2017. DOI: 10.21879/faeeba2358-0194.2017.v26.n50.p135-158. Disponível em: https://revistas.uneb.br/index.php/faeeba/article/view/4268. Acesso em: 16 jun. 2024.