(Pós)modernidade e processos formativos: a saudável (in)consistência dos Castelos de areia

  • Maria Cristina Cardoso Ribas Faculdade de Formação de Professores -UERJ

Resumo

Na chamada pós-modernidade enfrentamos a crise do pensamento europeu:hermenêutica, estruturalismo, teoria crítica, filosofia analítica, noções como sujeito,niilismo, modos de conhecimento e desdobramentos na educação. Autores e escolaspassam a ser considerados do ponto de vista da continuidade ou da ruptura, estaidentificada ao pensamento pós-moderno (MARCONDES, 2008). Tal dicotomia éabalada quando o paradoxo dissolve o binarismo do pensamento. Referimo-nos àstransformações da racionalidade que marcam o fim da modernidade (VATTIMO,1998), sobretudo após a morte de Deus proclamada por Nietzsche. Encontramos éticae política confiada aos técnicos, democracia na mão de experts, contextos perpassadospelo fantasma da violência (PECORARO, 2005). Enquanto educadores, precisamosrepensar a violência como não diálogo, o que significa entender que verdades científicasnão são absolutas. A crise das dicotomias alavanca a história e estimula a reconstituiçãodas identidades, processos não exclusivos da contemporaneidade. O pós-modernoé mais um modo de atuar no mundo e menos categorização associada à linearidadetemporal. Tal formulação ativa o sujeito, possibilita-o reinterpretar a si e ao entorno,transformá-lo. A reflexão representa nosso esforço para entender os efeitos dessas(trans)formações; contextualizar experiências nas quais se constituem as identidades(JOSSO, 2004) e repensar literatura na inconsistente condição pós-moderna.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Maria Cristina Cardoso Ribas, Faculdade de Formação de Professores -UERJ
Doutora em Ciência da Literatura pela Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ). Profa. Adjunta e Chefe do Departamentode Letras da Faculdade de Formação de Professores da UERJ

Referências

AGAMBEN, Giorgio. O que é o contemporâneo e outros ensaios. Chapecó, SC: Argos, 2009.

AUGÉ, Marc. Não lugares: Introdução a uma antropologia da supermodernidade. 8 ed. Campinas, SP: Papirus,

BAUMAN, Zygmunt. Globalização: as consequências econômicas. Rio de Janeiro: Jorge Zahar, 1999.

______. O mal-estar da pós-modernidade. Rio de Janeiro: Zahar, 1998.

BHABBA, Homi K. O local da cultura. Belo Horizonte: UFMG, 1998.

BENJAMIN, Walter. Sobre o conceito de história. In: ______. Magia e técnica, arte e política. Trad. Sergio Rouanet. São Paulo: Brasiliense, 1994.

BERMAN, Marshall. Tudo que é sólido desmancha no ar: a aventura da modernidade. São Paulo: Companhia

das Letras, 1986.

BORGES, Jorge Luis. Evangelhos apócrifos. In: ______. Elogio da Sombra. Porto Alegre: Globo, 2001.

ECO. Umberto. Apocalípticos e integrados. São Paulo: Perspectiva, 2004.

EAGLETON, Terry. As ilusões do pós-modernismo.Rio de Janeiro: Zahar, 1998.

FONTOURA, Helena. (Org.) Formação de professores e diversidades culturais: múltiplos olhares em pesquisa.

Niterói: Intertextos, 2011.

GIROUX, Henry A. O pós-modernismo e o Discurso da Crítica Educacional. In: SILVA, Tomaz Tadeu. Teoria Educacional crítica em tempos modernos. Porto Alegre: Artes Médicas, 1993.

HALL, Stuart. A identidade cultural na pós-modernidade. Tradução Tomás Tadeu da Silva, Guaracira Lopes Louro. 6. ed. Rio de Janeiro: DP&A, 2001.

HOLLANDA, Heloísa Buarque de. Políticas da teoria. In:

_____. (Org.) Pós-modernismo e política. Rio de

Janeiro: Rocco, 1991. p.7-14.

HUYSSEN, Andreas, Mapeando o pós-moderno. In: HOLLANDA, Heloísa Buarque de. (Org.). Pós-modernismo

e política. Rio de Janeiro: Rocco, 1991. p. 15-80.

IROUX, Henry A. O pós-modernismo e o Discurso da Crítica Educacional. In: SILVA, Tomaz Tadeu. Teoria Educacional

crítica em tempos modernos. Porto Alegre: Artes Médicas, 1993.

JAMESON, Fredric. Periodizando os anos 60. In: HOLLANDA, Heloísa Buarque de. (Org.). Pós-modernismo e política. Rio de Janeiro: Rocco, 1991. p. 81-126.

______. Pós-modernismo: A lógica cultural do capitalismo tardio. São Paulo: Ática, 1997.

JOSSO, Marie Christine. Experiências de vida e formação. Pref. Antonio Nóvoa. São Paulo: Cortez, 2004.

LIPOVETSKY, Gilles. Os tempos hipermodernos. São Paulo: Barcarolla, 2004.

______. Império do efêmero: a moda e seu destino nas sociedades modernas. Tradução Maria Lúcia Machado.

São Paulo: Companhia das Letras, 1989.

LYOTARD, Jean-François. O pós-moderno. Rio de Janeiro: José Olympio, 1986.

MARCOS, Luis Rojas. La ciudad y sus desafíos (Héroes y Víctimas), op.cit. Octávio Ianni. In: A cidade Global,Revista Vozes, ano 88, n.º 2, março-abril de 1994, Petrópolis, RJ.

MELLO, Elton Rezende de. Pós-modernismo e educação(1994). Disponível em: http://www.elsonrezende.hpg.

ig.com.br/artigos/posmoder.htm. Acesso em 25-04-2011.

MORIN, Edgar. Conferência Une pensèe Du Sud, pronunciada na Academia Brasileira de Letras, com Cícero

Sandroni e Cândido Mendes, 14-07-2009.

OLIVEIRA, Roberto Cardoso de. A categoria de (des)ordem e a pós-modernidade da Antropologia. In: _____et al.. (Orgs.) Pós-modernidade. São Paulo: Unicamp, 1995.

POE, Edgar Allan. A filosofia da composição. In: O corvo. São Paulo: Expressão, 1986. p. 59-72.

PECORARO, Rossano. Niilismo e (pós) modernidade. Rio de Janeiro: PUC-Rio; São Paulo: Loyola, 2005.

SANTOS, Boaventura Sousa. A crítica da razão indolente: contra o desperdício da experiência. São Paulo: Cortez,

______. Introdução a uma ciência pós-moderna. Porto: Afrontamento, 1989.

_______. Por uma sociologia das ausências. Disponível em: http://www.ces.uc.pt/bss/documentos/sociologia_das_ausencias.pdf . Acesso em: 22-04-2011.

SEVCENKO, Nicolau. O enigma pós-moderno. In: OLIVEIRA, Roberto Cardoso et al. (Orgs.). Pós-modernidade.

São Paulo: Unicamp, 1995. (artigo originalmente publicado, sob o título ‘Provisório is beautiful’, Folha de São Paulo, Folhetim, nº434, 12-05-1985)

SCHARTZMAN, Simon. A Redescoberta da Cultura. São Paulo, EDUSP, 1997. Versão revista de palestra preparada

originalmente para o “Seminário Nacional de Literatura, Educação e Pós-modernidade,” organizado pelo

Centro de Pesquisas Literárias do Curso de Pós-Graduação em Linguística e Letras da Pontifícia Universidade

Católica do Rio Grande do Sul, 1988. Disponível em:[ http://www.schwartzman.org.br/simon/redesc/moder.htm].

Acesso em 25-04-2011.

SCHOLLLHAMMER, Karl Eric. Ficção brasileira contemporânea. Rio de Janeiro: Civilização brasileira,

SILVA, Tomaz Tadeu. O Adeus às Metanarrativas Educacionais. In: SILVA, T.T. (Org). O sujeito da Educação:

estudos foucaultianos. Petrópolis, Rio de Janeiro: Vozes, 2010.

SOUZA, Elizeu Clementino de. O conhecimento de si, as narrativas de formação e o estágio: reflexões teóricometodológicas sobre uma abordagem experiencial de formação inicial de professores. In: ABRAHÃO, Maria Helena

Mena Barreto. (Org.). A aventura (auto)biográfica: Teoria e Empiria. Porto Alegre: EDIPUCRS, 2004.

VATTIMO, Gianni. Niilismo e pós-moderno em filosofia. In: O fim da modernidade. São Paulo: Martins Fontes,1996.

Publicado
2013-06-22
Métricas
  • Visualizações do Artigo 539
  • PDF downloads: 455
Como Citar
RIBAS, M. C. C. (Pós)modernidade e processos formativos: a saudável (in)consistência dos Castelos de areia. Revista da FAEEBA - Educação e Contemporaneidade, v. 20, n. 36, 22 jun. 2013.