“É Complicado, Eles São Muito Fechados”

docência e cultura indígena na escola urbana

Palavras-chave: Corpo Docente. Cultura. Cultura Indígena

Resumo

O presente artigo descreve as percepções de docentes a respeito da cultura indígena e seu ingresso em uma escola pública urbana amazônica com abordagem para as identidades e diferenças culturais desses povos originários. A pesquisa dialoga com autores/as do campo teórico dos Estudos Culturais e sua articulação com a educação (HALL, 1997; SKLIAR, 2003, CANDAU, 2014, 2012, FLEURI, 2003). A experiência de pesquisa se constituiu a partir do pressuposto da Bricolagem (NEIRA; LIPPI, 2012; KINCHELOE; BERRY, 2007), articulando entrevistas semiestruturadas, grupos de discussão on-line através de ferramentas digitais, além de análise documental. Após a realização das diferentes estratégias para produção de dados, evidencia-se a partir das narrativas e discursos que os/as professores/as, representam a cultura e identidade dos povos indígenas numa visão construída historicamente por meio do discurso colonial eurocêntrico que busca sua invisibilidade e/ou marginalização na sociedade.  

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Genivaldo Frois Scaramuzza, Universidade Federal de Rondônia

Doutor em educação pela Universidade Católica Dom Bosco - UCDB. Professor do Programa de Pós-Graduação no Mestrado e Doutorado Profisisonal em Educação Escolar - UNIR

Referências

BIAVATTI, Cidiclei Alcione; DEMARCHI, André Luis Campanha; FEITOSA, Leni Barbosa; VIZOLLI, Idemar. De Caminha a Zé Carioca: invisibilidade, apagamento e silenciamento da identidade cultural indígena Tellus, Campo Grande, MS, ano 20, n. 42, p. 59-79, maio/ago. 2020

BRASIL, 2016. Resolução nº 510, de 07 de abril de 2016. Dispõe sobre as normas aplicáveis a pesquisas em Ciências Humanas e Sociais.

BRASIL. Lei nº 11.645 de 10 de março de 2008. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_Ato2007-2010/2008/Lei/L11645.htm

BLINI, Bruno Amaro Queiroz. A educação multi/Intercultural e suas implicações para um currículo com qualidade social. 2017. Dissertação (Programa de Mestrado em Educação) - Universidade Católica Dom Bosco, Campo Grande – MS, 2017.

BRUM, Ana Lúcia Castro. Caminhos para uma Educação Intercultural Libertadora: A busca de um diálogo. 2018. Dissertação (Programa de Mestrado em Educação) – Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Rio Grande do Sul – RS, 2018.

CANDAU, Vera Maria. Direitos humanos, educação e interculturalidade: as tensões entre igualdade e diferença. Revista Brasileira de Educação, v.13, nº37 jan/abr. 2008.

CANDAU, Vera M. Diferenças culturais, cotidiano escolar e práticas pedagógicas. Currículo sem Fronteiras, v. 11, n. 2, p. 240-255, 2011.

CANDAU, Vera M. Ser professor/a hoje: novos confrontos entre saberes, culturas e práticas. Revista Educação, Porto Alegre/RS, v. 37, n. 1, p. 33-41, jan./abr. 2014.

COSTA, Marisa Vorraber. Estudos Culturais – para além das fronteiras disciplinares. In. Estudos culturais em educação: mídia, arquitetura, brinquedo, biologia, literatura, cinema.../ (Org.) COSTA, Maria Vorraber; VEIGA-NETO, Alfredo...[et al]. – 2. Ed. – Porto Alegre: Editora da UFRGS, 2004.

COSTA, Marisa Vorraber; WORTMANN, Maria Lúcia; BONIN, Iara Tatiana. Contribuições dos Estudos Culturais às Pesquisas sobre Currículo – uma revisão. Currículo sem Fronteiras, v. 16, n. 3, p. 509-541, set./dez. 2016.

DUSCHATZKY, Silva; SKLIAR, Carlos. Os nomes dos outros: reflexões sobre os usos escolares da diversidade. Educação & Realidade, jul/dez. 2000.

FLEURI, R. M. Educação intercultural no Brasil: a perspectiva epistemológica da complexidade. Bras. Est. Pedag., Brasília, v. 80, n. 195, p. 277-289, maio/ago. 1999

FLEURI, R. M. Intercultura e Educação. Educação & Sociedade; Campinas, n. 23, maio/jun/jul/ago. 2003.

FLEURI, R.M. Conversidade: diálogo entre universidade e movimentos sociais. João Pessoa: Editora do CCTA, 2019.

GOMES, R. L. AGUIAR, R.B.R. ALEXANDRE, I.V. O desrespeito às diferenças na cultura indígena. Revista Eventos Pedagógicos. v.3, n.2, 422 – 429 p. Maio - Jul. 2012. Disponível em: http://sinop.unemat.br/projetos/revista/index.php/eventos. Acesso em: 02 jan. 2021.

GRUPIONI, Luis Donisete Benzi. Imagens contraditórias e fragmentadas: sobre o lugar dos índios nos livros didáticos. R. Bras. Est. Pedag., Brasília, v.77, p. 409-437, maio/ago. 1996.

HALL, S. Identidades culturais na pós-modernidade. Rio de Janeiro: DP&A, 1997.

IMBERNÓN, F. Formação Docente e Profissional: formar-se para a mudança e a incerteza. 3. Edição. São Paulo: Cortez, 2002.

KINCHELOE, J. L. (2007). O poder da bricolagem: ampliando os métodos de pesquisa. In: KINCHELOE, J. L.; BERRY, K. S. (Eds.), Pesquisa em educação: conceituando a bricolagem. (pp. 15-37), Porto Alegre: Artmed.

LAMAS, Fernando Gaudereto. A luta contra o senso comum: considerações sobre a apreensão da história indígena em sala de aula. Revista Ensino Interdisciplinar, v. 3, nº. 08, Maio/2017, UERN, Mossoró, RN. Acesso: 07/01/2022.

LÜDKE, Menga, ANDRÉ, Marli E. D. A. Pesquisa em educação: abordagens qualitativas. São Paulo: EPU, 1986.

MEINERZ, Carla Beatriz. Grupos de Discussão: uma opção metodológica na pesquisa em educação. Educação & Realidade, Porto Alegre, v. 36, n. 2, p. 485-504, maio/ago. 2011

NEIRA, Marcos Garcia; LIPPI, Bruno Gonçalves. Tecendo a Colcha de Retalhos: a bricolagem como alternativa para a pesquisa educacional. Educação & Realidade. Porto Alegre, v. 37, n. 2, p. 607-625, maio/ago. 2012.

Oliveira, Teresinha Silva de; OLIVEIRA, T. S. Olhares que fazem a "diferença": o índio em livros didáticos e outros artefatos culturais. Revista Brasileira de Educação (Impresso), p. 25-34, 2003.

QUIJANO, Anibal. Colonialidade do poder, eurocentrismo e América Latina. In: LANDER, Edgardo. A colonialidade do saber: eurocentrismo e ciências sociais - perspectivas latino-americanas. Buenos Aires: CLACSO, p. 107-130, 2005.

RODRIGUES, Cicera Sineide Dantas; THERRIEN, Jacques; FALCÃO, Giovana Maria Belém; GRANGEIRO, Manuela Fonseca. Pesquisa em educação e bricolagem científica: rigor, multirreferencialidade e interdisciplinaridade. Caderno de pesquisa, v. 46, n. 162, p. 966-982, out./dez. 2016.

SANTOMÉ, Jurjo Torres. As culturas negadas e silenciadas no Currículo. In SILVA, Tomaz Tadeu (Org.). Alienígenas na sala de aula. Uma introdução aos estudos culturais em educação. Petrópolis, RJ: Vozes, 2013.

SKLIAR, Carlos. Pedagogia (improvável) da diferença: e se o outro não estivesse aí? Trad. de Giane Lessa. Rio de Janeiro: DP&A, 2003.

SKLIAR, Carlos. Incluir as diferenças? Sobre um problema mal formulado e uma realidade insuportável. Revista Internacional Artes de Educar, Rio de Janeiro, v. 1, n. 1, p. 13 - 28, fev./maio, 2015.

SILVA, Cris Guimarães Cirino da. O Bolsonarismo da esfera pública: uma análise Foucautiana sobre os conceitos de pós-verdade, fake News e discurso de ódio presentes nas falas de Bolsonaro, Dissertação, Manaus. 2020.

SILVA, Vanilda Alves da; REBOLO, Flavinês. A educação intercultural e os desafios para a escola e para o professor. INTERAÇÕES, Campo Grande, MS, v. 18, n. 1, p. 179-190, jan./mar. 2017

SILVEIRA, Rosa Maria Hessel. A entrevista na pesquisa em educação – uma arena de significados. In: COSTA, Marisa Vorraber. Caminhos Investigativos II: Outros modos de pensar e fazer pesquisa em educação. 2. ed. Rio de Janeiro: Lamparina editora, 2007.

TUBINO, Fidel. Por que a formação cidadã é necessária na educação intercultural? In: CANDAU, Vera Maria (Org.). Interculturalizar, descolonizar, democratizar: uma educação “outra”? Rio de Janeiro: 7 Letras, 2016. p. 22
-36.

VEIGA, Ilma Passos A. Projeto político-pedagógico da escola: uma construção possível. São Paulo: Papirus, 2001.

VEIGA-NETO, Alfredo. Cultura, culturas e educação. Revista Brasileira de Educação, nº 23, mai-ago, 2003.

WELLER, Wivian. Grupos de Discussão na Pesquisa com Adolescentes e Jovens: aportes teórico-metodológicos e análise de uma experiência com o método. Educação e Pesquisa, São Paulo, v. 32, n. 2, p. 241-260, maio/ago. 2006. Disponível em: Acesso em: 30 abr. 2011.
Publicado
2022-08-16
Métricas
  • Visualizações do Artigo 99
  • PDF downloads: 0
Como Citar
SILVA, N. C.; SCARAMUZZA, G. F. “É Complicado, Eles São Muito Fechados” : docência e cultura indígena na escola urbana. Revista da FAEEBA - Educação e Contemporaneidade, v. 31, n. 67, p. 113-126, 16 ago. 2022.