DE EXU AOS PRETOS VELHOS – A ENCRUZILHADA COMO REENCONTRO COM A ANCESTRALIDADE

Palavras-chave: Ancestralidade, Educação, Encruzilhada, Exu.

Resumo

Este relato de experiência tem como objetivo mostrar a religiosidade como instrumento para a decolonização de saberes eurocêntricos. Através de uma reflexão traçada por novos olhares e saberes, a ancestralidade vem se fazer presente para a desconstrução de verdades tidas como únicas. Dentro da encruzilhada, lançando um olhar para os caminhos mostrados e os encontros deles num único lugar, Exu nos leva para encruzilhadas várias, para que possamos sair da inércia, fortalecendo o movimento que, noves fora, é a vida. Baseado na leitura de teóricos que percebem a religiosidade como território de descobertas epistemológicas que permitem um (re)encontro consigo e com o outro como unidade e pluralidade, esse relato leva à reflexão sobre nossas práticas e conceitos outrora baseados numa visão eurocentralizada. Nesse texto, religião, escola e universidade são apresentadas através dos caminhos encontrados na encruzilhada para uma percepção da construção de identidade baseada nas filosofias africanas. E, a partir dessa experiência, lançar uma nova perspectiva sobre a educação e a maneira como educadoras e educadores podem atuar de forma significativa nos espaços formais de saberes.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Ana Caroline da Silva Santos, Universidade Federal do Sul da Bahia (UFSB)
Graduada em Letras com habilitação em Língua Portuguesa e Espanhola pela Universidade Estadual de Santa Cruz, especialista em Ensino de Língua Espanhola pela Universidade Cândido Mendes e Mestranda no Programa de Ensino e Relações Étnico-raciais pela Universidade Federal do Sul da Bahia.

Referências

FERNANDES, Alexandre de Oliveira. Espirais da linguagem de Exu: por uma filosofia do Òkòtó. Revista Eletrônica Espaço Acadêmico, v. 18, p. 4-15, 2018.

MACHADO, Aldibênia Freire. Filosofia Africana desde saberes Ancestrais Femininos: Bordando perspectivas de descolonização do Ser-Tão que há em nós. Revista da ABPN • v. 12, n. 31 • jan – fev 2020, p. 27 a 47.

OLIVEIRA, Eduardo D. Epistemologia da Ancestralidade. Entrelugares. Revista Eletrônica de Sociopoética e abordagens afins. Vol 1, número 2. Março/agosto de 2009.

RUFINO, Luiz. Exu e a Pedagogia das Encruzilhas. Seminário dos Alunos PPGASMN/UFRJ. Rio de Janeiro, 2016.

SERRA, Ordep. No caminho de Aruanda: A umbanda candanga revisitada. Revista Afro-Ásia n.25-26, p.227, 2001.

SIMAS, Luiz Antônio; RUFINO, Luiz. Flecha no Tempo. 1º edição – Rio de Janeiro: Mórula, 2019.

Publicado
2020-06-19
Métricas
  • Visualizações do Artigo 61
  • PDF downloads: 636
Como Citar
DA SILVA SANTOS, A. C. DE EXU AOS PRETOS VELHOS – A ENCRUZILHADA COMO REENCONTRO COM A ANCESTRALIDADE. Revista Encantar - Educação, Cultura e Sociedade, v. 1, n. 2, p. 432-440, 19 jun. 2020.
Seção
II Seminário Regional de Ensino e Relações Étnico-Raciais