O DISTANCIAMENTO SOCIAL NA PERCEPÇÃO DOS BRASILEIROS

Palavras-chave: COVID-19, Distanciamento social, Sociedade, Brasil.

Resumo

Desde a confirmação de contaminações pela COVID-19 no Brasil, o governo federal, através do Ministério da Saúde, e os governos estaduais e municipais têm adotado medidas de restrição visando a diminuição da proliferação do novo coronavírus (SARS-CoV-2), dentre elas o distanciamento social. Nesse sentido, o presente artigo objetiva compreender as percepções e o comportamento dos brasileiros acerca desta medida. Para tanto, realizou-se um estudo de métodos mistos cuja coleta de dados deu-se a partir de survey online com 618 respondentes e entrevistas semiestruturadas com 11 indivíduos residentes dos estados Pará, Paraíba, Pernambuco e São Paulo. Os resultados apontam que há conscientização popular da importância do distanciamento social, porém fatores emocionais e financeiros são percebidos como influências para a não continuidade da adoção desta medida.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

João Henriques de Sousa Júnior, Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC)
Doutorando em Administração (PPGAdm/UFSC), Mestre em Administração (PROPAD/UFPE), Especialista em Gestão Pública (IFPE).
Gabriel Horn Iwaya, Universidade Federal de Santa Catarina
Doutorando e Mestre em Psicologia pela Universidade Federal de Santa Catarina (PPGP/UFSC).
Janaína Gularte Cardoso, Universidade Federal de Santa Catarina
Professora de Administração da UFFS. Doutoranda e Mestra em Administração (PPGAdm/UFSC).
Miriam Leite Farias, Universidade Federal de Pernambuco
Doutoranda e Mestra em Administração (PROPAD/UFPE).
Bianca Gabriely Ferreira Silva, Universidade Federal de Pernambuco
Doutoranda e Mestra em Administração (PROPAD/UFPE).

Referências

CRESWELL, J. W. Projeto de pesquisa: métodos qualitativo, quantitativo e misto. Tradução: Magda França Lopes. 3ª edição. Porto Alegre: Artmed, 2010.

FERGUNSON, N.; LAYDON, D.; NEDJATI GILANI, G.; IMAI, N.; AINSLIE, K.; BAGUELIN, M.; et al. Report 9: Impacto of non-pharmaceutical interventions (NPIs) to reduce COVID19 mortality and healthcare demand. Imperial College, Londres, 2020.

INLOCO. Índice de isolamento social. Mapa brasileiro da COVID-19. Disponível em: https://mapabrasileirodacovid.inloco.com.br/pt/?hsCtaTracking=68943485-8e65-4d6f-8ac0-af7c3ce710a2%7C45448575-c1a6-42c8-86d9-c68a42fa3fcc. Acesso em: 28/04/2020.

LANA, R. M.; COELHO, F. C.; GOMES, M. F. D. C.; et al. Emergência do novo coronavírus (SARS-CoV-2) e o papel de uma vigilância nacional em saúde oportuna e efetiva. Cadernos de Saúde Pública, v. 36, n. 3, 2020.

MORSE, J. M. Approaches to qualitative-quantitative methodological triangulation. Nursing Research, v. 40, n. 1, p. 120-132, 1991.

SENHORAS, E. M. Coronavírus e o papel das pandemias na história humana. Boletim de Conjuntura (BOCA), v. 1, n. 1, 2020.

SOUSA JÚNIOR, J. H.; RAASCH, M.; SOARES, J. C.; RIBEIRO, L. V. H. A. S. Da desinformação ao caos: uma análise das Fake News frente à pandemia do coronavírus (COVID-19) no Brasil. Cadernos de Prospecção, v. 13, n. 2, 2020a.

SOUSA JÚNIOR, J. H.; RIBEIRO, L. V. H. A. S.; SANTOS, W. S.; SOARES, J. C.; RAASCH, M. “#FiqueEmCasa e Cante Comigo”: Estratégia de entretenimento musical durante a pandemia de Covid-19 no Brasil. Boletim de Conjuntura (BOCA), v. 2, n. 4, p. 72-84, 2020.

VENTURA, D. F. L.; AITH, F. M. A.; RACHED, D. H. A emergência do novo coronavírus e a “lei de quarentena” no Brasil. Revista Direito e Práxis, Ahead of print, 2020.

Publicado
2020-06-01
Métricas
  • Visualizações do Artigo 350
  • PDF downloads: 166