O USO DE DROGAS E O ENCARCERAMENTO DE CORPOS NEGROS A PARTIR DA OBRA “O SOL NA CABEÇA”

  • Amanda Barros Bomfim Universidade Federal do Sul da Bahia
  • Silier Andrade Cardoso Borges Universidade Federal do Sul da Bahia
Palavras-chave: Sol na Cabeça, Drogas, Encarceramento de Massa, Criminalização

Resumo

Resumo: Este estudo busca analisar a obra “O sol na Cabeça” de Giovani Martins a partir da perspectiva socioantropológica. Objetiva discutir o encarceramento e criminalização de sujeitos negros e periféricos tendo como corpus um dos contos da obra, Rolezim. Este ensaio faz parte da pesquisa “Uma análise do livro o ‘Sol na Cabeça’ em uma perspectiva antropológica do uso de drogas no contexto de contra reforma psiquiátrica”. O método empregado foi ensaio teórico. Apesar de usuários de diferentes camadas sociais consumirem substâncias psicoativas, o processo de penalização recai sobre consumidores pobres e negros. O Estado reproduz o racismo estrutural e alimenta o encarceramento em massa, sustentado no genocídio da população negra e na culpabilização do usuário, enquanto tipifica toda modalidade de uso como prejudicial. O conto do Giovani permite reconhecer os saberes socioculturais constituídos pelos usuários apreendidos pela socialização, responsável por produzir formas menos prejudiciais de se relacionar com as substâncias. 


Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Amanda Barros Bomfim, Universidade Federal do Sul da Bahia
Bacharel em Humanidades (UFSB), Graduanda em Psicologia (UFSB), voluntária PET-Saúde-Programa de Educação pelo Trabalho para a Saúde (SUS), pesquisadora do Programa Integrado de Pesquisa, Extensão e Criação Janaína Aparecida (UFSB).
Silier Andrade Cardoso Borges, Universidade Federal do Sul da Bahia

Psicólogo, Professor Assistente da Universidade Federal do Sul da Bahia (UFSB). Doutorando em Saúde Pública pelo Instituto de Saúde Coletiva da Universidade Federal da Bahia (ISC/UFBA). Endereço institucional: UFSB. Campus Paulo Freire - Teixeira de Freitas. Praça Joana Angélica, 250, bairro São José Teixeiras de Freitas - BA, CEP: 45988-058. Telefone: (73)3291-2089. E-mail: silier.borges@gfe.ufsb.edu.br


Referências

BATISTA, V. M. Difíceis ganhos fáceis: drogas e juventude pobre no Rio de Janeiro: Revan, 2013. p 152.

BECKER, H. S. Outsiders: estudos de sociologia do desvio. Rio de Janeiro: Jorge Zahar, 2008. p. 231.

BORGES, J. O que é encarceramento de massa? Minas Gerais. Letramento, 2018. p 144.

BRASIL. Lei nº 11.343, de 23 de agosto de 2006. Institui o Sistema Nacional de Políticas Públicas sobre Drogas - Sisnad; prescreve medidas para prevenção do uso indevido, atenção e reinserção social de usuários e dependentes de drogas; estabelece normas para repressão à produção não autorizada e ao tráfico ilícito de drogas; define crimes e dá outras providências. Diário Oficial da União. Brasília, DF, 26 ago. 2006. p. 1-15. Disponível em: <http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_ato2004-2006/2006/lei/l11343.htm>

CANDIDO, A. A literatura e a vida social. In: ________ (Org). Literatura e sociedade. 9. ed. Rio de Janeiro: Ouro Sobre Azul, 2006. p. 27-50.

CARVALHO, S. Nas trincheiras de uma política criminal com derramamento de sangue: Depoimento sobre os danos diretos e colaterais provocados pela guerra às drogas. In: LOPES L. E.; BATISTA V. M. (Orgs.). Atendendo na guerra: dilemas médicos e jurídicos sobre o “crack”. Rio de Janeiro. Revan. 2014. p 135-156.

ESPINHEIRA, G. Os tempos e os espaços das drogas. In: TAVARES, L. A.; ALMEIDA, A. R. B.; NERY FILHO, A. (Orgs.). Drogas: tempos, lugares e olhares sobre seu consumo. Salvador: EDUFBA; CETAD/UFBA, 2004. p. 11-26.

FERNANDES, F. A integração do negro na sociedade de classe. São Paulo. Globo. 2008. p. 439.

FIORE, M. O lugar do Estado na questão das drogas: o paradigma proibicionista e as alternativas. Novos Estudos - Cebrap, [s.l.], n. 92, p.9-21, mar. 2012. FapUNIFESP (SciELO). Disponível em: <http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0101-33002012000100002>. Acesso em: 12 fev. 2019. Acesso em: 13 mar 2019.

KARAM, M. L. “Guerra às drogas” e saúde: os danos provocados pela proibição. In LOPES L. E; BATISTA V. M. Atendendo na guerra: dilemas médicos e jurídicos sobre o “crack”. Rio de Janeiro, Revan. 2014. p 157-178.

MACRAE, E. Abuso de Drogas: Problema Pessoal ou Social?. In: ANDRADE T. M.; LEMOS S. R. M. (Org.). Textos Orientados para Assistência à Saúde Entre Usuários de Drogas. Salvador: FAPEX/UFBA 1998, p. 4. Disponível em: . Acesso em: 13 mar 2019.

MACRAE, E. A subcultura da droga e prevenção. Texto Apresentado ao Centro de Estudos e Terapia do Abuso de Drogas. Salvador: CETAD/UFBA, 2003. Disponível em: < www.neip.info/downloads/t_edw5.pdf>. Acesso em: 03 mar. 2019.

MALHEIRO, L. S. B. Entre sacizeiro, usuário e patrão: um estudo etnográfico sobre consumidores de crack no Centro Histórico de Salvador. In: MACRAE, E; TAVARES, L. A.; NUÑEZ, M. E. (Orgs.). Crack: contextos, padrões e propósitos de uso. Salvador: EDUFBA/CETAD, 2013. p. 223-314.

MARTINS, G. O sol na cabeça. São Paulo, Companhia das Letras, 2018, p. 119.

MBEMBE, A. Necropolítica. Arte & Ensaios. Revista do ppgav/eba/ufrj, v. 2, n. 32, 2016. Disponível em: <https://revistas.ufrj.br/index.php/ae/article/view/8993>. Acesso em: 13 mar 2019.

MENEGHETTI, F. K. O que é um Ensaio-Teórico? Revista de Administração Contemporânea, Curitiba, v. 15, n. 2, p.321-332, mar. 2011. Disponível em: <https://rac.anpad.org.br/index.php/rac>. Acesso em: 20 fev. 2019.

PRATA, A. Prefácio. In MARTINS, G. O sol na cabeça. São Paulo: Companhia das Letras, 2018. p.1.

QUIJANO, A. Colonialidade do poder, Eurocentrismo e América Latina. Consejo Latinoamericano de Ciencias Sociales, Buenos Aires, p.1-27, 2005. Disponível em: <http://bibliotecavirtual.clacso.org.ar/clacso/sur-sur/20100624103322/12_Quijano.pdf>. Acesso em: 22 fev. 2019.

SOUZA, J. Subcidadania brasileira: para entender o país além do jeitinho brasileiro. Rio de Janeiro: Leya, 2018. p. 188-288.

Publicado
2020-06-19
Métricas
  • Visualizações do Artigo 100
  • PDF downloads: 46
Como Citar
BOMFIM, A. B.; BORGES, S. A. C. O USO DE DROGAS E O ENCARCERAMENTO DE CORPOS NEGROS A PARTIR DA OBRA “O SOL NA CABEÇA”. Revista Encantar - Educação, Cultura e Sociedade, v. 1, n. 2, p. 263-271, 19 jun. 2020.
Seção
II Seminário Regional de Ensino e Relações Étnico-Raciais