“A FAVELA ESTÁ PASSANDO A MENSAGEM” - CONSTRUÇÕES DE NOVAS NARRATIVAS NO COMPLEXO DO ALEMÃO

Palavras-chave: Slam; Favela; Juventudes; Poesia.

Resumo

Esse artigo se propõe a refletir sobre a construção de novas narrativas dentro do conjunto de favelas do Complexo do Alemão e a forma como essa construção afeta os poetas e consequentemente o público presente no slam. Busco apresentar o Slam Laje que tem acontecido no Alemão através da minha experiência no campo que aconteceu no aniversário de 1 ano do evento. O Slam é um novo fenômeno da poesia oral e através de sua performance vem ganhando espaço em todo o País, através de suas batalhas os poetas da favela estão mandando o papo reto falando sobre racismo, homofobia e feminismo buscando a reflexão por parte do público. Serão analisados nesse trabalho alguns conceitos de identidade e representatividade a partir de estudos de Gloria Anzaldúa, Gayatri Spivak e Walter Benjamim.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Natã Neves do Nascimento

Mestre em Cultura e Territorialidades pelo Programa de Pós-Graduação da Universidade Federal Fluminense (UFF), com o projeto de pesquisa Três minutos, duas mãos e uma voz: Performances, Trajetórias e Sobrevivências através de batalhas de poesias sob orientação da professora Dra. Adriana Facina. Possui graduação no curso de Produção Cultural da Universidade Federal Fluminense concluída no ano de 2016. Pesquisou os Jovens que moram em favelas, suas dinâmicas identitárias e culturais além de desmistificar estereótipos presentes nesse território.

Referências

ANZALDÚA, Gloria. Falando em línguas: uma carta para as mulheres escritoras do terceiro mundo. Revista Estudos Feministas, Florianópolis, v. 8, n. 1, p. 229, jan. 2000. ISSN 1806-9584. Disponível em: <https://periodicos.ufsc.br/index.php/ref/article/view/9880/9106>. Acesso em: 28 set. 2018.

BENJAMIN, Walter. “O narrador”. In Magia e técnica, arte e política. São Paulo, Abril, 1983.

CARDOZO, Viviane Laprovita. Novas possibilidades literárias: slams de poesia invadem a cidade e propagam a voz das periferias. In: ENECULT - Encontro de Estudos Multidisciplinares em Cultura, 2018, Salvador - BA.

CASTELLS, Manuel. O poder da Identidade. In A era da informação: economia, sociedade e cultura, v. 2. Tradução Klauss Brandini Gerhardt. São Paulo: Paz e Terra, 2001

D’ALVA, Roberta Estrela. Um microfone na mão e uma ideia na cabeça – O poetry

slam entra em cena. 2011. Disponível em <http://gerflint.fr/Base/Bresil9/estrela.pdf>.

Acesso em 20 set. 2018.

DAYRREL, Juarez. Juventude, grupos culturais e sociabilidade. Faculdade de Educação da UFMG/ Observatório da Juventude da UDMG, 2004.

GAMA, Danielle. Slams: batalhas de poesia e a obra literária – reflexões a partir do pensamento de Pierre Bourdieu. In: ENECULT - Encontro de Estudos Multidisciplinares em Cultura, 2018, Salvador - BA.

MOURA, M. M. Língua, cultura e Slam: traduzindo poemas para o II Rio Poetry Slam. Revista Versalete, v. 4, p. 1-246, 2016

NEVES, C. Slams - letramentos literários de reexistência ao/no mundo contemporâneo. Linha D’Água, v. 30, n. 2, p. 92-112, 27 out. 2017.

RIBEIRO, Djamila. O que é: lugar de fala? Belo Horizonte (MG): Letramento, 2017.

RICOEUR, P. Tempo e narrativa. Campinas, Papirus, p. 327. 1997.

SABINO, Maria Aline. Performance e aprendizagem no slam da quentura em Sobral, Ceará. 2017. 74 f. Trabalho de Conclusão de Curso – Centro de Ciências Humanas, Universidade do Estado do Vale do Acaraú, Ceará, 2017.

SPIVAK, Gayatri. Pode o subalterno falar?. Belo Horizonte, UFMG, 2010.

W-BLACK. Quem Mata Mais?. Disponível em: https://www.youtube.com/watch?v=zid4VcqgddI , 23/03/2018. Acesso em: 24/09/2018.

Publicado
2021-06-04
Métricas
  • Visualizações do Artigo 17
  • PDF downloads: 36
Como Citar
DO NASCIMENTO, N. N. “A FAVELA ESTÁ PASSANDO A MENSAGEM” - CONSTRUÇÕES DE NOVAS NARRATIVAS NO COMPLEXO DO ALEMÃO. Revista Encantar - Educação, Cultura e Sociedade, v. 3, p. e021008, 4 jun. 2021.
Seção
DOSSIÊ