O LÚDICO COMO UM FACILITADOR NO PROCESSO DE ENSINO-APRENDIZAGEM

  • Hermínia Kelly de Barros Santos Universidade do Estado da Bahia
  • Júlio César dos Santos Vieira Universidade do Estado da Bahia
  • Nádia Cristina Ribeiro Universidade do Estado da Bahia
  • Taíse Araújo de Menezes Universidade do Estado da Bahia
Palavras-chave: PIBID, Equações do 2º grau, Ludicidade

Resumo

O relato é oriundo da oficina realizada pelos alunos do curso de Matemática da UNEB-Campus IX sobre supervisão do programa do PIBID (Programa Institucional de Bolsa de Iniciação á Docência), coordenada pela CAPES (Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior). Esse programa tem como propósito a promover a formação inicial e continuada dos graduandos dos cursos de Licenciatura. A oficina realizou-se em uma escola pública de Barreiras-BA, a oficina foi realizada com alunos do 9º ano do Ensino Fundamental II, Tem como propósito amenizar as dificuldades de aprendizagem dos alunos no conteúdo de equação do 2º grau. Tentando desmistificar que a matemática é uma disciplina difícil, usaremos a oficina como um apoio significativo no processo de conhecimento matemático com a utilização de jogos no período de desenvolvimento do raciocínio lógico de cada aluno. Alguns autores que fundamentaram o relato foi os PCN (1998), Kishimoto (1998), Almeida (2010), Pinto (2003), Moura (1994) e Oliveira (2007), a contribuição deles foi inevitável para o desenvolvimento desse projeto.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

Atividade de soluções problemas. Disponível em: http://www.matematicadidatica.com.br/EquacaoSegundoGrauExercicios.aspx#anchor_ex6.

Atividade de equações do 2º grau. Disponível em: http://www.matematiques.com.br/conteudo.php?id=584

Baralho da equação do 2º grau: http://pibidmath.blogspot.com.br/2014/03/baralho-das-equacoes-do-2-grau.html

GRANDO, R. C. O conhecimento matemático e uso de jogos na sala de aula. Campinas 2000 (tese de doutorado), 217p.

KISHIMOTO, Tizuko, Morchida. Jogo, Brincadeira e a Educação. 8 Ed. São Paulo: Cortez, 2005.

MOURA, M. O. A séria busca no jogo: do lúdico na matemática. A educação matemática em revista: SBEM, v3, 1994.

OLIVEIRA, Sandra Alves de. O lúdico como motivação nas aulas de Matemática. Pedagoga e especialista em Matemática e Estatística, professora no Departamento de Educação de Guanambi, BA, Uneb. Endereço eletrônico: soliveira4@hotmail.com Artigo publicado na edição nº 377, jornal Mundo Jovem, junho de 2007, p. 5.

Pinto, Marly Rondan. Formação e Aprendizagem no espaço lúdico: uma abordagem interdisciplinar/Marly Rondan Pinto. São Paulo: Arte e Ciência, 2003, 128p.

Trilha das equações: http://blogprofleila.blogspot.com.br/2012/10/jogo-trilha-das-equacoes.html.

Publicado
2017-11-24
Métricas
  • Visualizações do Artigo 94
  • HTML downloads: 6
Como Citar
Santos, H. K. de B., Vieira, J. C. dos S., Ribeiro, N. C., & Menezes, T. A. de. (2017). O LÚDICO COMO UM FACILITADOR NO PROCESSO DE ENSINO-APRENDIZAGEM . Encontro De Ludicidade E Educação Matemática, 2(01), 50-57. Recuperado de https://revistas.uneb.br/index.php/elem/article/view/9811