REFLEXÕES SOBRE A RELIGIÃO MIDIÁTICA E VIOLÊNCIA RELIGIOSA

Palavras-chave: Mídia, Religião, Violência

Resumo

Este artigo objetiva apresentar como as mensagens da religião midiática é geradora de violência para o fiel-telespectador. Nessa via, questiona-se: o que o ser humano busca nas mensagens religiosas de mídia, principalmente nas madrugadas? Qual é a formação estrutural desses líderes religiosos? O que faz com que a religião de mídia possa instaurar violência religiosa? Esta produção, de cunho qualitativo e abordagem teórica, busca, no primeiro momento, elucidar que as categorias, as quais são buscadas pelas pessoas por meio dos ritos e crenças, podem também evidenciar a via que os transforma em violência. Na sequência, apresenta-se o fundamentalismo e a violência religiosa midiática e o nicho encontrado pelos pregadores eletrônicos. À luz de Durkheim (1989) e Heiddeger (1989); Ferreira (2012) e D’adesky (2001), este estudo reflete sobre como e o que pode perpetuar a postura inautêntica do ser humano dentro da própria tentativa de praticar sua fé. Outro ponto a ser considerado é o não contato com os pregadores das mídias, bem como os aspectos relacionados à formação desses líderes religiosos, posto que, em muitos casos, falta formação antropológica e filosófica por meio da qual se encontrariam bases para respeitar o ser humano em sua condição de existência e constituição de consciência coletiva. Portanto, a falta desses elementos viabiliza a instauração da violência religiosa.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

José Reinaldo de Araújo Quinteiro, Professor na Universidade de Rio Verde

Doutor em Ciências da Religião pela Pontifícia Universidade Católica de Goiás. Professor na Rede Estadual de Educação do Estado de Goiás.

Rosimeire Soares da Silva, Professora na Faculdade Almeida Rodrigues

Mestra em Letras pela Pontifícia Universidade Católica de Goiás. Professora na Rede Estadual de Educação do Estado de Goiás.

Valdivino Souza Ribeiro, Professor na Pontifícia Universidade Católica de Goiás

Doutor em Educação pela Pontifícia Universidade Católica de Goiás. Professor na Rede Estadual de Educação de Goiás

Referências

AUBRÉE, Marion. Religião e violência numa perspectiva transcultural e transnacional. In: PEREIRA, Salgado; SANTOS Lyndon de S. (Org.) Religião e violência em tempos de globalização. São Paulo: Paulinas, 2004 (Coleção estudos ABHR). p. 173-194.

D’ADESKY, Jacques. Pluralismo Étnico e multiculturalismo: racismos e antirracismos no Brasil. Rio de Janeiro: Pallas, 2001.

DURKHEIM, É. As formas elementares da vida religiosa: o sistema totêmico na Austrália. Tradução de Joaquim Pereira Neto; revisão José Joaquim Sobral. São Paulo: Paulinas, 1989.

FERREIRA, Wanderley Júnior. Núcleo de Estudos e Pesquisas em Fenomenologia – NEPEFE Curso de Extensão – Fenomenologia, ciências e formação humana: Introdução à leitura de Ser e Tempo: Momentos preparatórios de Ser e Tempo – Para uma hermenêutica da facticidade [14/03 a 12/12 de 2012, das 14h às 16h] Goiânia: UFG, Faculdade de Educação – Sala do NEPEFE. www.fe.ufg.br/nepefe / wanderleyjr@fe.ufg.br, 2012.

HEIDEGGER, M. Ser e Tempo. Trad. Márcia de Sá Cavalcante. Petrópolis: Vozes, 1989.

MACEDO, Carmem Cinira. Imagem do eterno: religiões no Brasil. São Paulo: Moderna, 1989.

MELO, Luiz Gonzaga de. Antropologia Cultural. Petrópolis: Vozes, 2000.p 79-126.

MUSEU DE ARTE CICLÁTICA. Fundação N. P. Goulandris. Atenas. A arte Cicládica e seu Simbolismo. Tradução e adaptado por J.C. Avelino da Silva. ; https://www.historiadasartes.com/nomundo/arte-na-antiguidade/pre-historia/ Acesso em 10 de novembro de 2020.

ORO, Ivo Pedro. O outro é o demônio: uma análise sociológica do fundamentalismo. São Paulo: Paulus, 1996.

SILVA, J.C. Avelino da. Espaço profano e o Espaço Sagrado. 1ª aula do 2º Colóquio Religião e Transformação Sócio-Cultural no Doutorado em Ciências da Religião – PUC-Goiás, 20/05/2011.

SMITH, Adam. Riqueza das nações. 4 edição. Vol I. Trad. e notas de Teodora Cardoso e Luís Cristovão de Aguiar. Lisboa: Fundação Calouste Guilbenkian, 1999.

TERRIN, Aldo Natale. O sagrado off limits: a experiência religiosa e suas expressões. São Paulo: Loyola, 1998.

WEBER, Max. A ética protestante e o “espírito” do capitalismo. Trad. José Marcos Mariani de Macedo. São Paulo: Companhia das Letras, 2004.

YOUNG-BRUEHL, Elisabeth. Os caracteres da violência e do preconceito. In: LEVINE, Michael; PATAKI, Tamas. Racismo e mente. São Paulo: Madras, 2005.
Publicado
2020-12-31
Métricas
  • Visualizações do Artigo 42
  • PDF downloads: 26
Como Citar
QUINTEIRO, J. R. DE A.; SILVA, R. S. DA; RIBEIRO, V. S. REFLEXÕES SOBRE A RELIGIÃO MIDIÁTICA E VIOLÊNCIA RELIGIOSA. Diálogos e Perspectivas Interventivas, v. 1, p. e10731, 31 dez. 2020.
Seção
Artigos (FLUXO CONTíNUO)