O Retrato de Dorian Gray sob a perspectiva Pós-colonial

Palavras-chave: Palavras-chave, Literatura, Pós-colonialismo, Outremização, Oscar Wilde.

Resumo

A crítica pós-colonial oferece uma ótica de análise que permite refletir, também a partir da literatura, como são retratados diferentes povos e nações envolvidos pelo Colonialismo e sua prática imperialista. A partir disso, podemos observar tanto textos literários que subvertem a lógica imperial, como textos que a reproduzem, analisando os aspectos desse contexto, tais como a outremização. Como a Inglaterra foi durante o século XIX o maior império colonizador do mundo, a literatura inglesa, principalmente deste período, por conseguinte, possui muitos reflexos desse cenário e serviu tanto para criticá-lo como para propagar a suposta superioridade dos ingleses. Diante disso, esta pesquisa analisa, através do viés Pós-colonial, a representação das relações coloniais presentes na obra O retrato de Dorian Gray, escrita pelo irlandês Oscar Wilde (1854-1900) e publicada em 1891, no final da Era Vitoriana. O principal objetivo é demonstrar como o narrador e as personagens apresentam marcas da mentalidade imperial e como a outremização influencia a descrição das personagens e dos espaços.

 

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Larissa Lacerda de Sousa, Universidade Estadual do Rio Grande do Norte
Mestranda em Letras na Universidade Estadual do Rio Grande do Norte. Línha de pesquisa: Texto Literário, Crítica e Cultura. Graduada em Letras - língua inglesa pela Universidade Federal de Campina Grande (2018).
Publicado
2019-12-30
Métricas
  • Visualizações do Artigo 109
  • PDF downloads: 68
Como Citar
DE SOUSA, L. L. O Retrato de Dorian Gray sob a perspectiva Pós-colonial. Babel: Revista Eletrônica de Línguas e Literaturas Estrangeiras, v. 9, n. 2, p. 33-52, 30 dez. 2019.
Seção
SEÇÃO LIVRE