A infralinguaguem de Bruno Latour e o problema da comensurabilidade nos estudos interculturais

  • Mateus Rodrigues Santos Universidade de Brasilia

Resumo

Já não é mais possível ignorar o relativismo cultural, o reconhecimento crescente de que toda cultura e seus paradigmas são relativos a determinadas condições. Ao mesmo tempo, do relativismo facilmente desabrocha a incomensurabilidade: em que cada cultura é completa e irrecuperavelmente diferente de todas as outras. Cada um com a sua verdade e por fim ficamos todos sem certeza alguma; "não há fatos, só interpretações". Estamos diante do desafio de levar a pluralidade epistemológica realmente a sério e ao mesmo tempo tornar essa pluralidade comensurável, isto é, restituir a objetividade. Para tanto, é preciso criar um instrumental capaz de fazer os paradigmas culturais se comunicarem de novo. Este trabalho pretende apresentar uma ferramenta que pode contribuir para a solução desse problema. Trata-se aqui de expor a infralinguagem tal como a concebe Bruno Latour, uma ferramenta de pesquisa que não possui outro sentido além de permitir o deslocamento de um quadro de referência a outro. Nossa tese é a de que infralinguagem - e sua branda metafísica de fundo - oferece uma maneira de manter (e enriquecer) a pluralidade cultural, sem necessariamente instaurar uma completa incomensurabilidade.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

BLOK, Anders; FARÍAS, Ignacio; ROBERTS, Celia (Ed.) The Routledge Companion to Actor-Network Theory. Routledge, 2020.

HARMAN, Graham. Prince of Networks: Bruno Latour and Metaphysics. Melborne: re.press, 2009.

LATOUR, Bruno. The Pasteurization of France. Cambridge, MA: Harvard University Press, 1988.

LATOUR, Bruno. Reagregando o Social:uma introdução à teoria do Ator-Rede. Trad. Gilson César Cardoso de Sousa. Salvador: Edufba, 2012; São Paulo: Edusc, 2012.

LATOUR, Bruno. Jamais fomos modernos: ensaio de antropologia simétrica. Trad. Carlos Irineu da Costa. São Paulo: Editora 34, 2013.

LATOUR, Bruno. Investigação sobre os modos de existência: uma antropologia dos modernos. Trad. Alexandre Agabiti Fernandez. Petrópolis, RJ: Vozes,2019.

SEIBT, Johanna. "Process Philosophy",The Stanford Encyclopedia of Philosophy(Summer 2020 Edition), Edward N. Zalta(ed.). Disponível em: <https://plato.stanford.edu/archives/sum2020/entries/process-philosophy>.

Publicado
2020-12-30
Métricas
  • Visualizações do Artigo 182
  • pdf downloads: 104
Como Citar
SANTOS, M. R. A infralinguaguem de Bruno Latour e o problema da comensurabilidade nos estudos interculturais. Anãnsi: Revista de Filosofia, v. 1, n. 2, p. 49-63, 30 dez. 2020.