A construção de si e do outro na autobiografia de uma professora missionária

Loyde Anne Carreiro Silva Veras, Evelyn de Almeida Orlando

Resumo


Este artigo parte de uma análise do livro 8:28, a autobiografia de Eva Yarwood Mills, publicada em 1976, em Lancaster, Estados Unidos. Eva Mills veio da Inglaterra para o Brasil, como uma missionária protestante, no período de 1928 a 1959, vindo a aposentar-se nos Estados Unidos, onde e quando publica seu livro. A partir da materialidade do 8:28, procuramos identificar os sentidos acionados pela autora nas representações tanto de si, quanto do grupo religioso ao qual ela pertencia. Conjuntamente, exploramos os elementos do pacto-autobiográfico e discutimos as estratégias com que estes foram acionados, a partir da relação entre editor, autora-narradora-personagem e público leitor. Identificamos um livro rico em sentidos e caminhos de análise possíveis, capaz de suscitar questões relevantes como as estratégias usadas na representação de uma vida, os usos da autobiografia na construção identitária de um sujeito e do grupo ao qual ele pertence e os papéis que a educação assume na vida desta personagem, a partir de seu lugar de pertença. Apesar de Eva Mills ser uma professora e construir-se por meio da educação, é na relação com o grupo religioso da sua velhice, que ela se reelabora enquanto missionária e se legitima como educadora que esteve a serviço de uma missão protestante europeia-americana (auto)definida como civilizadora.


Palavras-chave


Autobiografia. Protestantismo. Educação.

Texto completo:

PDF

Referências


BLOCH, Marc Leopold Benjamin. Apologia da história ou o ofício de historiador. Tradução de André Telles. Rio de Janeiro: Jorge Zahar Ed., 2001.

BOURDIEU, Pierre. Razões práticas: sobre a teoria da ação. Tradução de Mariza Corrêa. 10. ed. Campinas, SP: Papirus, 1996.

BURKE, Peter. Testemunha ocular: história e imagem. São Paulo: EDUSC, 2005.

CERTEAU, Michel de. Uma variante: a edificação hagiográfica. In: CERTEAU, Michel de. A escrita da História. Tradução de Maria de Lourdes Menezes. 3. ed. Rio de Janeiro: Forense, 2011. p. 242-278.

CHARTIER, Roger. À beira da falésia: a história entre incertezas e inquietudes. Tradução de Patrícia Chittoni Ramos. Porto Alegre: Editora da UFRGS, 2002.

CHARTIER, Roger. A história cultural, entre práticas e representações; tradução de Maria Manuela Galhardo. Rio de Janeiro: Bertrand Brasil, 1990

CHARTIER, Roger. A mão do autor e a mente do editor. Tradução de George Schlesinger. São Paulo: Editora Unesp, 2014.

CHARTIER, Roger. Cultura escrita, literatura e história. Porto Alegre: Artmed, 2001.

CUCHE, Denys. A noção de cultura nas ciências sociais. Tradução de Viviane Ribeiro, 2 ed. Bauru: EDUSC, 2002

LEJEUNE, Philippe. O pacto autobiográfico: de Rousseau à internet. Belo Horizonte: Editora da UFMG, 2008.

MESQUIDA, Peri. Hegemonia norte-americana e educação protestante no Brasil. Juiz de Fora, MG: EDUJF; São Bernardo do Campos, SP: Editeo, 1994.

MIGNOT, Ana Chrystina Venâncio. Baú de memórias, bastidores de histórias: o legado pioneiro de Armanda Álvaro Alberto. Bragança Paulista, SP: Editora da Universidade de São Francisco, 2002.

MIGNOT, Ana Cristina Venâncio; CUNHA, Maria Teresa Santos. (Orgs.). Práticas de memória docente. São Paulo: Cortez, 2003.

MILLS, Eva. 8:28. Lancaster: Brookshire Publications, 1976.

MILLS, Eva. Em lugar do espinheiro. Belém: Missão Cristã Evangélica do Brasil, 1982[?].

MILLS, Eva. Stories from parakeet country. Lancaster: Ufm internacional, 1985[?].

NASCIMENTO, Ester F. V. C. Educar, curar, salvar: uma ilha de civilização no Brasil tropical. Maceió: EDUFAL, 2007.

POLLAK, Michael. Memória e identidade social. Estudos Históricos, Rio de Janeiro, v. 5, n. 10, p. 200-2012, 1992.

RAMALHO, Jether Pereira. Prática educativa e sociedade: um estudo de sociologia da educação. Rio de Janeiro: Zahar Editores, 1976.

REAPSOME, Janes. The imitation of Saint Paul: examining our lives in light of his example. Eugene, Oregon: Cascade Books, 2013.

REILY, Ducan Alexander. História documental do protestantismo no Brasil. São Paulo: Aste, 1984

SILVA, Alexandra Lima da. Narrativas de vida de ex-escravos como fonte/objeto para a história da educação. In: VASCONCELOS, M. C. C.; CORDEIRO, V. M. R.; VICENTE, P. P. (Orgs.). (Auto)biografia, literatura e história. Curitiba: CVR, 2014. p. 129-145.

SOUZA, Elizeu Clementino de.; PASSEGGI, Maria da Conceição. Apresentação. Dossiê (Auto)biografia e educação: pesquisa e práticas de formação. Educação em Revista, Belo Horizonte, v. 27, n. 1, p. 327-332, 2011.

TENNENT, Timothy C. The Lausanne Movement: a range of perspectives. Oxford: Regnum Books, 2014. Disponível em: . Acesso em: 5 abr. 2017.

THE LAUSANNE COVENANT, 1974. Disponível em: . Acesso em: 5 abr. 2017.

VERAS, Loyde Anne Carreiro Silva. Memórias da Terra de Beulá: a construção de uma vida e a produção de um lugar nas autobiografias de Eva Mills. 2017. 193 f. Dissertação (Mestrado em Educação) – Escola de Educação e Humanidades, Pontifícia Universidade Católica do Paraná – PUCPR, Curitiba, 2017.

VIEIRA, César R.; NASCIMENTO, Ester F. V. C. (Orgs.). Contribuições do protestantismo para a história da educação no Brasil e em Portugal. Piracicaba, SP: Editora da Unimep, 2016.

WEBER, Max. A ética protestante e o “espírito” do capitalismo. Tradução de José Marcos M. Macedo. São Paulo: Companhia das Letras, 2004.




DOI: http://dx.doi.org/10.31892/rbpab2525-426X.2019.v4.n10.p325-343

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Indexadores: 

 

 

Portal SEER

Revista Brasileira de Pesquisa (Auto)Biográfica - RBPAB - Qualis A4 Educação

 A Revista Brasileira de Pesquisa (Auto)Biográfica é publicada sob a licença Creative Commons de  Atribuição-NãoComercial CC BY-NC

  Licença Creative Commons

Esta obra está licenciada com uma Licença Creative Commons Atribuição 4.0