O PROFESSOR E OS DESAFIOS NO ENSINO DE LÍNGUA PORTUGUESA PARA SURDOS

Kátia Quele Ferreira da Silva Rocha, Ludmila Borges Lira e Silva

Resumo


O presente artigo visa discutir a importância da Língua Brasileira de Sinais- Libras, para o processo e de ensino aprendizagem dos alunos surdos, e como esta língua, deveria ser usada nas salas de aulas regulares, com enfoque nas aulas de língua portuguesa como segunda língua. É importante compreender, que há dificuldades encontradas por professores ouvintes e pelo aluno surdo no processo de inclusão, uma vez que o veículo de comunicação é a língua e nesse caso não é de domínio da maioria. Diante disso que surge o desejo de investigar como esses professores têm vencidos esses desafios para de forma satisfatória ajudar esses alunos. Foi realizada uma pesquisa bibliográfica qualitativa, com teóricos como  Quadros, Mantoan e  Freire, a fim de discutir a realidade de sala de aula com a visão teórica. Sabe-se que a educação de qualidade é um direito de todos, garantido por Lei, porém ainda não é um fato concretizado e é necessário buscar, discutir e refletir na luta para que se torne realidade.


Palavras-chave


Libras, Língua Portuguesa, Ensino–aprendizagem.

Texto completo:

PDF

Referências


BRANDÃO, Carlos Rodrigues. O Que é Educação. São Paulo: Brasiliense 19955. 33ª Ed (Coleção Primeiros Passos).

BRASIL. [Leis de Diretrizes e Bases da Educação Nacional (1996)]

LDB: Lei de Diretrizes e Bases da Educação Nacional: Lei 9.394/1996-2.ed.- Rio de Janeiro: Lamparina, 2010.3000 exemplares.

BRASIL. Ministério da Educação. Secretaria de Educação Especial. Ensino de Língua portuguesa para surdos: caminhos para a prática pedagógica/ Secretaria de Educação Especial.- Brasília: MEC/SEESP,2002.

BRASIL. DECRETO nº 5.626, DE 22 DE DEZEMBRO DE 2005 (Regulamenta a Lei nº 10.436, de 24 de abril de 2002, que dispõe sobre a língua Brasileira de Sinais- Libras, e o art. 18 da Lei Nº 10.098. de 19 de dezembro de 2000.)

BRASIL. Senado Federal. Constituição da República Federativa do Brasil. Brasília, DF, 1988.

CAMARA JR., Joaquim Mattoso. Estrutura da Língua Portuguesa. – 43 ed., Petrópolis: Rio de Janeiro: Editora Vozes, 2011.

CAVALCANTE, Meire. A escola que é de todas as crianças. In: Nova Escola. Nº 182. Brasília; Abril, Maio/2005.

DÁMAZIO Mirlene Ferreira Macedo. Atendimento Educacional Especializado para Pessoa com Surdez. São Paulo: MEC/SEESP, 2007.

DECLARAÇÃO DE SALAMANCA E ENGUADRAMENTO DA ACÇÃO. Na Área das necessidades educativas especiais: Conferência Mundial sobre NEE: Acesso e Qualidade – UNESCO

FELIPE, T. A. Escola Inclusiva e os direitos linguísticos dos Surdos. Rio de Janeiro: Revista Espaço – INES, 1997. p. 41-46, Vol. 7.

FREIRE, Paulo. Pedagogia da Autonomia: saberes necessários à pratica Educativa. Rio de Janeiro: Paz e Terra,1996.

FREIRE, Paulo. Pedagogia do oprimido. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1987, 28 ed.

GESSER, Audrei. LIBRAS? Que língua é essa ?: Crenças e preconceito em torno da língua de Sinais e da realidade surda. São Paulo : Parábola editorial,2009.

GIL, Antônio Carlos. Métodos e técnicas de pesquisa social. São Paulo: Atlas, 2008, 6ª ed.

GODOY, A. S. Introdução à pesquisa qualitativa e suas possibilidades. In: Revista de Administração de Empresas. São Paulo: v.35, n.2, p. 57-63, abril 1995.

GROLLA, Elaine; SILVA, Maria Cristina Figueiredo. Para conhecer Aquisição da linguagem. – São Paulo: Contexto, 2014.

GUARINELLO, Ana Cristina. O papel do outro na escrita de sujeitos surdos. São Paulo: Plexus, 2007.

HONORA, Márcia; FRIZANCO, Mary Lopes Esteves. Esclarecendo as deficiências: aspectos históricos e práticos para contribuição com uma sociedade inclusiva. – São Paulo, SP: Ciranda Cultural Editora e Distribuidora Ltda., 2008.

HOUSSAIS, Antônio. O que é língua. 2 ed. São Paulo: Brasiliense. 1991.

JESUS, Saul Neves de. Educação Especial: em direção à educação inclusiva / organizadores Claus Dieter Stobaus, Juan José Mourifio Mosquera. - 2. ed. Porto Alegre : EDIPUCRS, 2004.

KOCH, Ingedore Villaça e ELIAS, Vanda Maria. Ler e Compreender: os sentidos do texto- São Paulo: Contexto, 2009.

LODI, Ana C. B; LACERDA, C. B. F. de. Uma escola, duas línguas. Princípios para a educação de alunos surdos. RevistaFórum, Rio de Janeiro, v. 21, p. 25-31, jan.-jun. 2010.

LIBÂNIEO, José Carlos. Adeus professor, adeus professora: Novas exigências educacionais e profissão docente. São Paulo: Cortez, 1998.

MACHADO, Fernanda de Camargo; LUNARDI-LAZZARIN, Márcia Lise. Formar, tolerar, incluir: tríade de governamento dos professores de surdos. In: LUNARDI-LAZZARIN, Márcia Lise;LOPES, Maura Corcini; MACHADO, Fernanda de Camargo(org.). Cadernos de Educação, Pelotas, ano 19, n. 36, p. 19-44, maio-ago. 2010.

MACHADO, P. C. (2008). A política educacional de integração/inclusão: um olhar do egresso surdo. Florianópolis, SC: UFSC.

MANTOAN, Maria Teresa Eglér. Inclusão escolar: pontos e contrapontos. São Paulo: Summus, 2006.

NUNES, A. I. ; Silveira, R.N. Psicologia da aprendizagem: processos, teorias e contextos, Fortaleza: Liber Livro, 2008. (Série Formar).

PEDREIRA, S. M. F. Porque a Palavra não adianta: Um Estudo das Relações entre Surdos/as e Ouvintes em uma Escola Inclusiva na perspectiva intercultural. Rio de Janeiro: Pontifícia Universidade Católica, 2006.

QUADROS, Ronice Muller de; KARNOPP, Lodenir Becker. Língua de Sinais Brasileira - Estudos Lingüísticos, 2004. Ed 1. Artmed

QUADROS, R.M. Educação de Surdos: a aquisição da linguagem. Porto Alegre. Artes Médicas, 1997.

______Estudos Surdos I. Petrópolis: Arara Azul, 2006.

QUADROS, Ronice Müller de; SCHMIEDT, Magali L.P. Idéias para ensinar português para alunos surdos Brasília: MEC, SEESP, 2006. 120p.

SALLES, Heloisa Maria Moreira Lima; FAULSTICH, Enilde; CARVALHO, Orlene Lúcia; RAMOS, Ana Adelina Lopo. Ensino de Língua Portuguesa para Surdos, vol. 1 - caminhos para a pratica pedagógica, Programa Nacional de Apoio à Educação dos Surdos, 2004.

SAUSSURE, Ferdinand. Curso de Linguística Geral. São Paulo: Cultrix, 1970.

SILVA, Marilia da Piedade Marinho. A construção de Sentido na Escrita do aluno Surdo/ Marilia da Piedade Marinho Silva. - São Paulo: Plexus Editora, 2001

http://www.cultura-sorda.org/wpcontent/uploads/2015/04/Tesis_Souza_Campello_2008b.pdf Acessado 17 de janeiro de 2019

http://www.scielo.br/pdf/er/nspe-2/11.pdf.PEREIRA, M. C. C. O ensino de português como segunda língua para surdos: princípios teóricos e metodológicos. Educar em Revista, Curitiba, Brasil, Edição Especial n. 2/2014, p. 143-157. Editora UFPR.

Acessado 10 de setembro de 2019


Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2020 Revista Encantar - Educação, Cultura e Sociedade

____________________________________________________________

Revista Encantar: Educação, Cultura e Sociedade

Pré-avaliação Qualis 2019: B2

Departamento de Ciências Humanas e Tecnologias – DCHT Campus XVII
Universidade do Estado da Bahia - UNEB
revistaencatar@gmail.com.br

 

Licença Creative Commons

Este trabalho está licenciado com uma Licença Creative Commons - Atribuição 4.0 Internacional