Anúncios de serviços sexuais: arena de relações dialógicas

  • Kelli da Rosa Ribeiro Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul.
Palavras-chave: Anúncios de serviços sexuais, Relações dialógicas, Publicidade, Consumo

Resumo

Este artigo analisa, sob uma abordagem dialógica da linguagem, cinco anúncios de classificados de serviços sexuais de diferentes jornais brasileiros. Levando em conta que as palavras mobilizadas nos discursos fazem reverberar relações de valoração social, verificaremos como as diversas vozes sociais se engendram nos anúncios e criam as imagens discursivas do locutor e do interlocutor. Mostraremos, por meio da análise dialógica da linguagem, como as relações sociais mercadológicas e publicitárias se instauram e criam sentidos nesses discursos que põem à venda o corpo e o prazer proporcionado por homens e mulheres. De um lado, este artigo tem suporte teórico, a partir das concepções de M. Bakhtin e seu Círculo a respeito da linguagem, envolvendo questões de gênero discursivo, enunciado e palavra; de outro lado, levantamos reflexões a respeito do anúncio publicitário e sua relação na sociedade pós-moderna, por meio das discussões de Dominique Maingueneau e Dany-Robert Dufour. Dessa forma, buscamos refletir como são refletidos e refratados efeitos do consumo nas imagens discursivas do locutor e do interlocutor nos anúncios. Entenderemos, a partir das análises, que as imagens discursivas do locutor e do interlocutor se relacionam dialogicamente com vozes sociais que propagam o consumo de bens materiais, serviços, valores e prazer.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Kelli da Rosa Ribeiro, Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul.
Mestre e Doutoranda em Letras, na área de concentração em Linguística na Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul (PUCRS-CNPq).
Publicado
2014-07-31
Métricas
  • Visualizações do Artigo 1502
  • PDF downloads: 298
Como Citar
RIBEIRO, K. DA R. Anúncios de serviços sexuais: arena de relações dialógicas. Tabuleiro de Letras, v. 8, n. 1, p. 71-95, 31 jul. 2014.
Seção
SEÇÃO LIVRE