Trabalho e natureza: uma leitura semântico-cognitiva em textos dos séculos XIX, XX e XXI

Autores

DOI:

https://doi.org/10.35499/tl.v13i3.7741

Resumo

No presente texto, socializaremos recortes de um estudo sócio-histórico-cognitivo a respeito das formas conceptualizadoras do TRABALHO, tendo como corpus textos jornalísticos dos séculos XIX, XX e XXI. O lastro teórico escolhido foi a Semântica Cognitiva, a partir dos contributos de Lakoff e Johnson (1987, 1999, 2002[1980]), Lakoff (1987, 1993, 2012), Johnson (2007), Gibbs (1995), Grady (2007) e Soares da Silva (2010, 2009). Os resultados apontaram para conceptualizações do tipo TRABALHO É CRIAÇÃO, TRABALHO É SEMENTE, TRABALHO É GERAÇÃO, TRABALHO É FRUTO, mapeadas no domínio da experiência que denominamos da natureza. Esperamos que, através deste estudo, seja possível ventilar como se deram os mapeamentos no âmbito do domínio da experiência selecionado.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Downloads

Publicado

2019-12-10

Como Citar

SILVA, E. S. L. da. Trabalho e natureza: uma leitura semântico-cognitiva em textos dos séculos XIX, XX e XXI. Tabuleiro de Letras, [S. l.], v. 13, n. 3, p. 316–334, 2019. DOI: 10.35499/tl.v13i3.7741. Disponível em: https://revistas.uneb.br/index.php/tabuleirodeletras/article/view/7741. Acesso em: 28 fev. 2024.

Edição

Seção

ARTIGOS