Atitudes linguísticas e o ensino de língua portuguesa: uma reflexão sociolinguística

Autores

DOI:

https://doi.org/10.35499/tl.v13i3.7728

Resumo

O presente artigo tem como objetivo refletir sobre o ensino de língua portuguesa no Brasil, investigando atitudes linguísticas de professores de escolas da rede pública de Uberaba-MG, mediante o fenômeno variável de concordância verbal. Para isso, serão feitas algumas reflexões a respeito da Teoria da Variação e Mudança Linguística (WEINREICH; LABOV; HERZOG, 2006) e uma revisão teórica acerca dos conceitos de atitudes e avaliações linguísticas (LABOV, 2008 [1972]; LAMBERT, 1967). Com relação à coleta do corpus, foi aplicado um questionário a onze professores, de modo a analisar sua posição diante do fenômeno da concordância e da variação linguística. A partir das respostas foi possível evidenciar que o ensino de língua portuguesa está distante de um ensino reflexivo e de uma pedagogia da variação linguística (FARACO, 2007). 

Downloads

Não há dados estatísticos.

Downloads

Publicado

2019-12-10

Como Citar

BARBOSA, J. B.; GHESSI, R. R. Atitudes linguísticas e o ensino de língua portuguesa: uma reflexão sociolinguística. Tabuleiro de Letras, [S. l.], v. 13, n. 3, p. 69–91, 2019. DOI: 10.35499/tl.v13i3.7728. Disponível em: https://revistas.uneb.br/index.php/tabuleirodeletras/article/view/7728. Acesso em: 28 fev. 2024.

Edição

Seção

ARTIGOS