Análise entoacional na Amazônia: um estudo comparativo interdialetal das variedades do português falado em Mocajuba e Cametá (PA)

Resumo

Este trabalho compreende um estudo comparativo das descrições prosódicas prévias sobre as variedades de Mocajuba e Cametá (PA) no seio do projeto AMPER-POR (COSTA, em andamento). Visa-se à descrição do comportamento entoacional de sentenças nas modalidades declarativa neutra e interrogativa total. Os parâmetros acústicos de frequência fundamental (doravante F0), duração e intensidade foram foco de análise. Os procedimentos metodológicos adotados foram previamente estabelecidos pelo projeto AMPER-POR (CRUZ et al., 2012). Os movimentos melódicos das curvas de F0, nas modalidades frasais interrogativas e declarativas, para a variedade de Cametá, registraram menos variação intersilábica de F0, em relação a Mocajuba, indicando, portanto, essa variedade como tendo maior musicalidade, nos três tipos de acento lexical. Desta forma, apenas os resultados concernentes à variação melódica de F0 da variedade falada em Mocajuba assemelha-se com padrões entoacionais encontrados para outras regiões brasileiras, mais precisamente para o Norte e Nordeste brasileiro conforme descrito por Moraes (2003 apud SILVA e CUNHA, 2012, p. 10) e Silva e Cunha (2012). O parâmetro acústico de duração apresentou uma distinção dialetal significativa, posto que os dados de Cametá registraram sílabas mais longas, em relação a Mocajuba. A intensidade não apresentou variação significativa entre os dialetos estudados.

Downloads

Não há dados estatísticos.
Publicado
2019-12-10
Métricas
  • Visualizações do Artigo 215
  • PDF downloads: 157
Seção
ARTIGOS