Variação das estratégias de relativização no português brasileiro

  • Dennis Castanheira Universidade Federal do Rio de Janeiro

Resumo

Este artigo tem como objetivo discutir a variação das estratégias de relativização nas modalidades falada e escrita da língua no português brasileiro. É analisada, mais especificamente, a variação entre as relativas padrão não preposicionadas e as relativas copiadoras a partir dos pressupostos teórico-metodológicos do Sociofuncionalismo (cf. TAVARES, 2003; 2013; TAVARES; GÖRSKY, 2015; CEZARIO; MARQUES; ABRAÇADO, 2016). Os dados, todos das cidades de Niterói e Juiz de Fora do Corpus Discurso & Gramática, foram coletados e analisados qualitativa e quantitativamente para teste das hipóteses postuladas no trabalho.

 

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Dennis Castanheira, Universidade Federal do Rio de Janeiro
Graduado em Licenciatura em Letras (português e literaturas) com dignidade acadêmica "Magna cum laude", Mestre em Linguística e Doutorando em Língua Portuguesa pela Universidade Federal do Rio de Janeiro. Professor Substituto de Língua Portuguesa na mesma instituição.
Publicado
2018-07-19
Métricas
  • Visualizações do Artigo 445
  • PDF downloads: 379
Como Citar
CASTANHEIRA, D. Variação das estratégias de relativização no português brasileiro. Tabuleiro de Letras, v. 12, n. 1, p. 28-45, 19 jul. 2018.
Seção
ARTIGOS