O estudo do processo criativo do poema The Armadillo a partir de categorias espaciais

Palavras-chave: Elizabeth Bishop, Espaço e literatura, Processo de Criação,

Resumo

O estudo da espacialidade a partir de documentos relativos a um processo criativo permite um melhor entendimento do signo no contexto de seu nascimento, ali onde a linguagem é burilada para tornar-se um constructo literário. Trata-se de um estudo que permite não apenas que se acompanhe o desenvolvimento do signo linguístico, mas também que se observe as relações que o processo criativo estabelece com o mundo que cerca o escritor. Propor uma interdisciplinaridade entre o processo de criação e categorias provindas da geografia como a de território e a de espaço significa entender a ação de criar como aquela que acontece em um local específico – seja no ateliê do artista, seja na materialidade que, por excelência, dá lugar à inventividade humana. No que diz respeito à gênese dos poemas de Elizabeth Bishop (1911-1979), grande parte das imagens geradoras identificadas é motivada por lugares visitados ou habitados pela autora. O espaço, nesse contexto, contribui para a produção de imagens que alimentam o seu processo criativo. Do mesmo modo, o novo texto gera significações singulares para o espaço retratado pela linguagem. 

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Elisabete da Silva Barbosa, Universidade do Estado da Bahia
Doutora em Literatura e Cultura pela Universidade Federal da Bahia (2016). Mestre em Linguagens pela Universidade do Estado da Bahia (2010). Graduada em Língua Estrangeira pela Universidade Federal da Bahia (2002). Professora Assistente da Universidade do Estado da Bahia desde dezembro de 2011. Tem experiência na área de Letras com ênfase em Inglês e Literatura, atuando principalmente nos seguintes temas: Elizabeth Bishop, Processo de Criação, Espaço.
Publicado
2018-04-08
Métricas
  • Visualizações do Artigo 407
  • PDF downloads: 450
Seção
ARTIGOS