Tempo, espaço urbano e melancolia em “Viagem aos seios de Duília1”, de Aníbal Machado

  • Carlos Augusto Magalhães UNEB

Resumo

O conto “Viagem aos seios de Duília”, de Aníbal Machado, analisa a trajetória de José Maria. A aposentadoria é o momento que possibilita ao melancólico funcionário público do Rio de Janeiro fazer um balanço de vida. Ele constata que contemplou mais que experimentou a vida. A ausência de prazer, de vínculos afetivos e a interação superficial com o presente reafirmam o vazio da vida e também caracterizam a própria melancolia. Há um elo com o passado e com uma cidadezinha de Minas Gerais, tempo-espaço de uma experiência prazerosa com Duília. Equivocadamente, José Maria resolve voltar em busca da namoradinha e, principalmente, da energia da adolescência distante. A dificuldade em lidar com o tempo se reflete também no descompasso entre a vivência do tempo biológico e do tempo existencial. 

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Carlos Augusto Magalhães, UNEB
Professor Pleno UNEB
Publicado
2017-02-13
Métricas
  • Visualizações do Artigo 2076
  • PDF downloads: 562
Seção
EXPEDIENTE