Sujeitos errantes: um percurso pela ficção de Judith Grossmann

  • Lígia Telles Professora do Programa de Pós-Graduação em Literatura e Cultura da Universidade Federal da Bahia.
Palavras-chave: Judith Grossmann, Escritor, Ficção, Migrações, Judaísmo,

Resumo

Estudo de representações do artista na produção ficcional de Judith Grossmann, considerando-se a sua identidade judaica e mediante entrecruzamentos de personagens com fragmentos biográficos da escritora. Na diversidade das personagens que se aproximam em retomadas e migrações no processo de construção desses textos, encontra-se subjacente a figura do artista. A partir dos arquétipos judaicos do êxodo e do anseio pela terra prometida, observa-se a própria ideia de deslocamento, de trânsito, de exílio, em que o processo de ficcionalização do artista o coloca e que resultará num sujeito andarilho, peregrino, desterritorializado, em infindável périplo por espaços geográficos ficcionalmente arquitetados e pelos signos linguísticos constituintes da sua literatura. Embora nem sempre os temas e personagens tenham relação com judaísmo, as imagens construídas na ficção o conservam, inclusive em diálogos com textos bíblicos. O Antigo Testamento situa-se, portanto, como uma das vias de acesso à construção de tal identidade e, nos textos da escritora, aparece em forma de citação ou de paródia, na sua função de um texto referência, ou mediante a migração de suas figuras históricas ou arquetípicas para o espaço ficcional, bem como da utilização de seus temas. O corpus selecionado para este estudo abrange romances, contos e depoimentos de Grossmann.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Lígia Telles, Professora do Programa de Pós-Graduação em Literatura e Cultura da Universidade Federal da Bahia.

Professora do Programa de Pós-Graduação em Literatura e Cultura da Universidade Federal da Bahia.

Publicado
2012-12-05
Métricas
  • Visualizações do Artigo 202
  • PDF downloads: 138
Seção
SEÇÃO TEMÁTICA