A Simbologia da casa em Dois Irmãos, de Milton Hatoum

Autores

DOI:

https://doi.org/10.35499/tl.v16i2.15104

Resumo

Este trabalho consiste num estudo sobre o romance Dois Irmãos (2000), do escritor amazonense Milton Hatoum, centrando-se na representação do espaço na narrativa. Nesse sentido, buscamos compreender como o espaço narrativo da casa se torna um autêntico espaço de memória, figurando entre os elementos expressivos da literatura hatouniana. A partir dos pressupostos do filósofo Gaston Bachelard, discutidos em A poética do espaço (1993), analisamos a simbologia da casa e sua íntima ligação com os integrantes da família libanesa. Discutimos o espaço de cada um dos habitantes, buscando com isso identificar quais aspectos levaram essa casa deixar de ser símbolo de proteção para se transformar em ruínas, juntamente com as personagens ocupantes desse lar. Destruído esse espaço, seus moradores se sentem à deriva e, no fim da trama romanesca, o que restam são apenas lembranças e ruínas latentes na memória do narrador hatouniano.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Irlomar Martins, Universidade do Estado do Amazonas - UEA

Mestre em Letras e Artes pela Universidade do Estado do Amazonas (UEA). Especialista em Metodologia de Ensino de Língua Portuguesa e Literatura pelo Centro Universitário Leonardo da Vinci. Graduado em Letras Língua Portuguesa e  Literaturas pela Universidade do Estado do Amazonas (UEA). Integra o grupo de pesquisa Memória Artística e Cultural do Amazonas - Memocult, com ênfase nos estudos de teoria do espaço na Literatura Amazonense, sobretudo na ficção de Milton Hatoum.

É Docente de Língua Portuguesa e Literatura Basileira no município de Manaus desde 2019, quando concluiu a graduação, tendo ainda como foco o ensino da Literatura Amazonense em  cursos particulares e em palestras em instituições de ensino.

Referências

ASSMANN, A. Espaços da recordação: formas e transformações da memória cultural. Trad. Paulo Soethe. Campinas: Editora da Unicamp, 2011.

BACHELARD, G. A poética do espaço. Trad. Antonio de Pádua Danesi. São Paulo: Martins Fontes, 1993.

BIRMAN, D. Entre narrar: relatos da fronteira em Milton Hatoum. 2007. 290 f. Tese (Doutorado em Literatura Comparada) - Programa de Pós-Graduação em Ciência da Literatura, Universidade Federal do Rio de Janeiro, 2007.

BORGES FILHO, O. Espaço e literatura: introdução à topoanálise. Franca: Ribeirão Gráfica e Editora, 2007.

CAVALHEIRO, J. Recepção e produção acadêmica sobre a obra de Milton Hatoum: circulações. In: MIBIELLI, R.; JORGE. S. R.; SAMPAIO, S. M. G. (org.). Trânsitos e fronteiras literárias: territórios. Rio de Janeiro: Makunaima; Boa Vista: Editora da Universidade Federal de Roraima, 2020.

CHEVALIER, J.; GHEERBRANT, A. Dicionário de símbolos: mitos, sonhos, costumes, gestos, formas, figuras, cores, números. Trad. Vera da Costa e Silva et al. 16. ed. Rio de Janeiro: José Olympio, 2001.

FREIRE, J. A. T. Entre construções e ruínas: uma leitura do espaço amazônico em romances de Dalcídio Jurandir e Milton Hatoum. 2006. 244 f. Tese (Doutorado em Literatura Brasileira) FFLCH – Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas, Universidade de São Paulo, São Paulo, 2006.

HATOUM, M. Laços de parentesco: ficção e antropologia. Raízes da Amazônia, Manaus, v. 1, n. 1, p. 81-88, ago./2005.

HATOUM, M. Dois Irmãos. São Paulo: Companhia das Letras, 2006.

JUNG, C. G. O homem e seus símbolos. Trad. Maria Lúcia Pinho. 3. ed. Rio de Janeiro: HarperCollins Brasil, 2016.

MANTOVANI. A. A. Espaço em ruínas: meio social, conflito familiar e a casa em ruínas em Os dois irmãos de Germano Almeida e Dois irmãos de Milton Hatoum. 2009. 179 f. Tese (Doutorado) FFLCH – Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas, Universidade de São Paulo, São Paulo, 2009.

Downloads

Publicado

2022-12-21

Como Citar

MARTINS, I. A Simbologia da casa em Dois Irmãos, de Milton Hatoum. Tabuleiro de Letras, [S. l.], v. 16, n. 2, p. 152–168, 2022. DOI: 10.35499/tl.v16i2.15104. Disponível em: https://revistas.uneb.br/index.php/tabuleirodeletras/article/view/15104. Acesso em: 13 abr. 2024.

Edição

Seção

ARTIGOS