Rasuras pós-coloniais e identitárias em Balada de Amor ao Vento de Paulina Chiziane

Autores

DOI:

https://doi.org/10.35499/tl.v16i2.15041

Resumo

Análise de como a inscrição de identidades sob rasuras, no contexto pós-colonial, promoveu a desconstrução da ideologia colonial, bem como da supremacia e hegemonia da identidade masculina, a partir da análise do romance Balada de amor ao vento de Paulina Chiziane.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Luciano Santos Neiva, Universidade Estadual de Santa Cruz

Mestre em Linguagens e Representações pela Universidade Estadual de Santa Cruz. Especialista em Mídias na Educação pela Universidade Estadual do Sudoeste da Bahia. Possui graduação em Letras com Inglês pela Universidade Estadual de Santa Cruz (1997), em Teologia pela Faculdade de Ciências, Educação e Teologia do Norte do Brasil - FACETEN (2007) e em Línguas Estrangeiras Aplicadas às Negociações Internacionais pela Universidade Estadual de Santa Cruz (2008). Atua com Estudos de Gênero, Metodologia Científica, Teoria Literária e Literatura Brasileira. Tem experiência nas áreas de Letras, Negociações, Gestão e Teologia, todas com ênfase em Ensino e Gestão de Projetos.

Referências

ALMEIDA, Miguel Vale de. Um mar da cor da terra. Raça, cultura e política da identidade. Oeiras: Ed. Celta, 2000.

APPIAH, Kwame Anthony. Na casa de meu pai: a África na filosofia da cultura. Rio de Janeiro: Contraponto, 1997.

BASSO, L. An analysis of classical theories of imperialism. In: CHOMSKY, N et al. Spheres of Influence in the Age of Imperialism. 1972, p. 111-144.

BUTLER, Judith. Problemas de gênero: feminismo e subversão da identidade. Trad. Renato Aguiar. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 2003.

CHIZIANE, Paulina. Balada de amor ao vento. 2. ed. Lisboa: Editorial Caminho, 2003.

HALL, Stuart. Da diáspora: identidades e mediações culturais. SOVIK, Liv (org.). Trad. Adelaine Resende et al. Belo Horizonte: UFMG; Brasília: UNESCO, 2009.
HALL, Stuart. Quem precisa de identidade? In: SILVA, Tomaz Tadeu da (org). Identidade e diferença: a perspectiva dos estudos culturais. Petrópolis: Vozes, 2012, p.103-133.

HAYES, C. J. H. A Generation of Materialism, 1871-1900. Nova York: Harper & Row, 1941, V. III, p. 95-126.

HEILBORN, Maria Luiza. Dois é para: gênero e identidade sexual em contexto igualitário. Rio de Janeiro: Garamond, 2004.

HINSLEY, F. H. International rivalry in the colonial sphere, 1869-1865. In: BENIANS, E. A.; BUTLER, J.; CARRINGTON, C. E. (orgs.). History of the British Empire, v. III, 1959, p. 255-292.

HOBSON, J. A. Imperialism: a Study. Ann Arbor: MUP, 1965.

M’BOW, M. Amadou-Mahtar. Prefácio. In: BOAHEN, Albert Adu (edit.). África sob dominação colonial, 1880-1935. Trad. MEC – Centro de Estudos Afro-Brasileiros da Universidade Federal de São Carlos. 3. ed. São Paulo: CORTEZ; Brasília: UNESCO, 2011, p. xix - xxiv. (Coleção história geral da África, vol. 7).

SAID, Edward. Orientalismo: o oriente como invenção do ocidente. São Paulo: Cia das Letras, 1990.

SILVA, Tomaz Tadeu da. A produção social da identidade e da diferença. In: _________________ (org). Identidade e diferença: a perspectiva dos estudos culturais. Petrópolis: Vozes, 2012, p. 73 - 102.

UZOIGWE, Godfrey N. Partilha europeia e conquista da África: apanhado geral. In: BOAHEN, Albert Adu (edit.). África sob dominação colonial, 1880-1935. Trad. MEC – Centro de Estudos Afro-Brasileiros da Universidade Federal de São Carlos. 3. ed. São Paulo: CORTEZ; Brasília: UNESCO, 2011, p. 21-50. (Coleção história geral da África, vol. 7).

Downloads

Publicado

2022-12-21

Como Citar

NEIVA, L. S. Rasuras pós-coloniais e identitárias em Balada de Amor ao Vento de Paulina Chiziane. Tabuleiro de Letras, [S. l.], v. 16, n. 2, p. 130–140, 2022. DOI: 10.35499/tl.v16i2.15041. Disponível em: https://revistas.uneb.br/index.php/tabuleirodeletras/article/view/15041. Acesso em: 14 jun. 2024.

Edição

Seção

ARTIGOS