IMPLICAÇÕES METABÓLICAS DO EXERCÍCIO FÍSICO NO EIXO HIPOTÁLAMO - PITUITÁRIA - ADRENAL

Palavras-chave: Cortisol, exercício físico, eixo hipotálamo-pituitária-adrenal, eixo hipotálamo-hipófise-adrenal

Resumo

O eixo hipotálamo pituitária adrenal (HPA) ou eixo hipotálamo hipófise adrenal (HHA) faz parte do sistema endócrino e é importante para diversas alterações metabólicas no corpo, apesar disso é um eixo pouco explorado pelos profissionais de educação física por não estabelecerem relação com a prática de exercício físico. O presente estudo trata-se de uma pesquisa bibliográfica narrativa. Foram incluídos na análise livros e revistas indexadas nas bases de dados: Scielo, Google Acadêmico, Lilacs e Science Research. Essa buscou-se evidenciar a influência do exercício físico no eixo hipotálamo- pituitária-adrenal e ainda sob esse contexto relatar o caráter do cortisol mediante a essa prática e verificar como o feedback negativo participa desse processo. Sempre relacionando a participação do cortisol como principal hormônio glicocorticoide secretado e consequentemente protagonista das reações metabólicas desencadeadas pelo eixo HPA e gerando uma série de reações no corpo humano alterando o estado de homeostase corporal estimulado pelo agente estressor.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Maria Beatriz Nascimento de Jesus, Centro Universitário Jorge Amado

Graduada em Educação Física.

Jeane Rodella Assunção, Professora do Centro Universitário Jorge Amado e no Centro Universitário Maurício de Nassau.

Doutora em Ciências da Educação. Líder do Núcleo de Estudos e Pesquisa em Educação Física. Integrante do Grupo de Pesquisa Laboratório de Tecnologias Informacionais e Inclusão Sociodigital. Membro do Grupo de Pesquisa Educação Inclusiva e Necessidades Educacionais Especiais.

Referências

Bueno, J., R & Gouvêa, C. M. C. (2011). Cortisol e exercício: efeitos, secreção e metabolismo Cortisol and exercise: effects, secretion and metabolism. Revista Brasileira de Fisiologia do Exercício, Minas Gerais, v. 10, n. 3, p. 178-180.

Cadore , E.L., Pinto, R.S., Lhullier , F. L. R., Correia, C. S., Alberton, C. L., Almeida, A. P. V., Tartaruga, M. P., Silva, E. M., & Kruel, L. F. M. (2010). Physiological effects of concurrent training in elderly men. International Journal of Sports Medicine, v. 31, n. 10, p. 689-697.

Clandinin, D. J., & Connelly, M. F. (2011). Pesquisa narrativa: experiência e história em pesquisa qualitativa, p. 1-250, Uberlândia. Disponível em:< https://educere.bruc.com.br/arquivo/pdf2017/23688_11993.pdf>. Acesso em: 12 out. 2020;

Godoy,S.S., & Andrade, A.H.G. (2019). EFEITOS DO TRIPTOFANO SOBRE A ANSIEDADE. p. 1-4. Disponível em: <http://www.fap.com.br/anais/congresso-multidisciplinar-2019/comunicacao-oral/123.pdf>. Acesso em: 24 out. 2020;

Guyton, A & Hall, J. (2011). Tratado de Fisiologia Médica. 12ºed. Rio de Janeiro: Elsevier. 1050p.;

Kenney, W., Costil, D., & Wilmore, J. (2020) Fisiologia do Esporte e do Exercício. 7. ed. [S.l.]: Manole, p. 1-704.;

Metodista Centenário. Efeitos do cortisol sob o exercício físico. Disponível em: <http://metodistacentenario.com.br/@@search?SearchableText=exercicio+fisico+cortisol>. Acesso em: 22 out. 2020;

Park, B.J., Tsunetsugu, Y., Kasetani, T., Kagawa, T. & Miyazaki, Y. (2010). The physiological effects of Shinrin-yoku (taking in the forest atmosphere or forest bathing): evidence from field experiments in 24 forests across Japan. Environ Health Prev Med 2010, p. 18-26.

Rama, L., Alves, F., & Teixeira, A.M., (2010). Hormonal, Immune, Autonomic and Mood State Variation in the Initial Preparation Phase of a Winter Season,p.1-217 3p. Disponível em: <https://estudogeral.uc.pt/bitstream/10316/47520/1/Claudia.pdf>. Acesso em: 19 set.2020;

Rodrigues, P. Sistema endócrino. (2016). – Universidade Federal de Pelotas. Disponível em: <http://www.rbpfex.com.br/index.php/rbpfex/article/download/364/369>. Acesso em:23 out. 2020;

Sinek, S. (2012). Por Quê: Como grandes líderes inspiram ação. São Paulo: Saraiva.

Tortora,G., & Derrickson, B. (2010). Princípios de Anatomia e Fisiologia. 12. ed. Rio de Janeiro: Guanabara koogan, p. 1-1228;

Valle, L.E.L.R. (2013). Estresse e distúrbios do sono no desempenho de professores: Saúde mental no trabalho, Universidade de São Paulo, p. 1-208 Disponível em: < https://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/47/47134/tde-22072011-104245/publico/valle_do.pdf >. Acesso em: 22 out. 2020;

Vaz, F.C., Molina, G.E., Porto, L.G.G., & Porto, A.L. (2013). Cortisol e atividade física: será o estresse um indicador do nível de atividade física espontânea e capacidade física em idosos? Revista Brasília Médica, São Paulo, v. 50, n. 2, p. 143-152.

Publicado
2020-12-31
Métricas
  • Visualizações do Artigo 1001
  • PDF downloads: 1322
Como Citar
Jesus, M. B. N. de, & Assunção, J. R. (2020). IMPLICAÇÕES METABÓLICAS DO EXERCÍCIO FÍSICO NO EIXO HIPOTÁLAMO - PITUITÁRIA - ADRENAL. Práticas E Cuidado: Revista De Saúde Coletiva, 1, e9995. Recuperado de https://revistas.uneb.br/index.php/saudecoletiva/article/view/9995
Seção
Dossiê Temático