PERFIL EPIDEMIOLÓGICO DOS CASOS NOTIFICADOS DE HTLV NA BAHIA NO PERÍODO DE 2010 A 2019

Palavras-chave: Infecções por HTLV, Saúde Pública, Estudos Soroepidemiológicos;, Epidemiologia

Resumo

Introdução: O Brasil é a nação onde encontra-se em número absoluto os maiores índices de indivíduos portadores do vírus HTLV. Até o momento, quatro subtipos de vírus são conhecidos, sendo o HTLV tipo 1 e tipo 2 os mais significativos em termos de epidemiologia e patogênese. Em escala global, o HTLV-1 é o principal responsável por infecções em humanos e está intimamente relacionado à ocorrência de várias doenças. Métodos: Trata-se de um estudo epidemiológico observacional e retrospectivo, realizado no estado da Bahia, em que foram selecionados todos os casos de HTLV notificados entre 2010 e 2019 no Sistema de Informação de Agravos de Notificação (SINAN).  Resultados: Evidenciou-se aumento no número de casos notificados nos últimos 5 anos, com maior prevalência na cidade de Salvador. Dos 3.452 casos registrados de todos os subtipos de   infecções causadas pelo HTLV nesse período, 75,6% eram do sexo feminino, 44,6% eram pessoas de pele parda e 32,4% tinham idade entre 20 e 34 anos. Observou-se também que a confirmação diagnóstica pelo método laboratorial foi realizada em 49,7% dos casos. Discussão:  A Bahia tem a maior taxa de infecção do vírus HTLV no Brasil, sendo o sexo feminino, a pele parda e os adultos jovens os grupos que apresentam as maiores prevalências do vírus. Além disso, infere-se um número expressivo de ignorados/em branco que alerta para a necessidade de melhorias no manejo da população.

 

Maior Titulação e Vínculo laboral: Doutorado em Biotecnologia em Saúde e Medicina Investigativa/Professor adjunto do curso de Medicina da UniFTC.

Afiliações institucionais: Graduação em Medicina em Andamento no Centro Universitário UniFTC.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Everton da Silva Batista, Docente na Escola Bahiana de Medicina e Saúde Pública - Brasil

Doutor em Biotecnologia em Saúde e Medicina Investigativa pela Fundação Oswaldo Cruz. Integrante do Centro Integrado e Multidisciplinar de Neurociências e no Núcleo de Pesquisa e Inovação

Referências

Catalan-Soares BC, Proietti FA, Carneiro-Proietti AB de F. Human T-cell lymphotropic viruses (HTLV) in the last decade (1990-2000): epidemiological aspects. Revista Brasileira de Epidemiologia. 2001;4(2):81–95. Disponível em: https://doi.org/10.1590/S1415-790X2001000200003

Semeão LE da S, Roque DR, Francisco Sobrinho T, Costa CKF, Dodorico M, Yamaguchi MU. Soroprevalência do vírus linfotrópico de células T humanas (HTLV) entre doadores de sangue em hemocentros de Maringá-Paraná e Boa Vista-Roraima. Revista Epidemiologia e Serviços de Saúde. 2015;24(3):523–9. Disponível em: https://doi.org/10.5123/S1679-49742015000300018

Moxoto I, Boa-Sorte N, Nunes C, Mota A, Dumas A, Dourado I, et al. Perfil sociodemográfico, epidemiológico e comportamental de mulheres infectadas pelo HTLV-1 em Salvador-Bahia, uma área endêmica para o HTLV. Revista da Sociedade Brasileira de Medicina Tropical. 2007;40(1):37–41. Disponível em: https://doi.org/10.1590/S0037-86822007000100007

Mochizuki M, Watanabe T, Yamaguchi K, Takatsuki K, Yoshimura K, Shirao M, et al. HTLV‐I Uveitis: A Distinct Clinical Entity Caused by HTLV‐I. Vol. 83, Japanese Journal of Cancer Research. 1992. p. 236–9. Disponível em: https://doi.org/10.1111/j.1349-7006.1992.tb00092.x

Romanelli LCF, Caramelli P, Proietti AB de FC. O vírus linfotrópico de células T humanos tipo 1 (HTLV-1): Quando suspeitar da infecção?. Revista da Associação Médica Brasileira. 2010;56(3):340–7. Disponível em: https://doi.org/10.1590/S0104-42302010000300021

Veronesi, Ricardo; Focaccia R. Tratado de Infectologia. 5a Edição. São Paulo: Atheneu, 2016;

Catalan-Soares B, Carneiro-Proietti AB de F, Proietti FA. Heterogeneous geographic distribution of human T-cell lymphotropic viruses I and II (HTLV-I/II): serological screening prevalence rates in blood donors from large urban areas in Brazil. Cadernos de Saúde Pública / Ministério da Saúde, Fundação Oswaldo Cruz, Escola Nacional de Saúde Pública. 2005;21(3):926–31. disponível em: https://doi.org/10.1590/S0102-311X2005000300027

Carneiro-Proietti ABF, Ribas JGR, Catalan-Soares BC, Martins ML, Brito-Melo GEA, Martins-Filho OA, et al. Infecção e doença pelos vírus linfotrópicos humanos de células T (HTLV-I/II) no Brasil. Revista da Sociedade Brasileira de Medicina Tropical. 2002;35(5):499–508. disponível em: https://doi.org/10.1590/S0037-86822002000500013

Bahia. Secretaria de Saúde do Estado . Boletim Epidemiológico HTLV - 2019. DIVEP-SUVISA, 3ª Edição, 2019. Disponível em: http://www.saude.ba.gov.br/wp-content/uploads/2020/04/BoletimHTLV_2019_n%C2%BA03.pdf

Brito G. Conscientização internacional sobre o vírus HTLV. Fundação Oswaldo Cruz. 2020;2018–20. Disponível em: https://portal.fiocruz.br/noticia/conscientizacao-internacional-sobre-o-virus-htlv

Proietti FA, Carneiro-Proietti ABF, Catalan-Soares BC, Murphy EL. Global epidemiology of HTLV-I infection and associated diseases. Oncogene. 2005;24(39):6058–68. Disponível em: https://doi.org/10.1038/sj.onc.1208968

Fundação Oswaldo Cruz – FIOCRUZ, Bahia; Estudo Aponta Disseminação de Infecção por HTLV na Bahia Publicado pelo Portal Fiocruz. 2019; p.8–10. Disponível em: https://portal.fiocruz.br/print/58422

Do Nascimento LB, Carneiro MADS, Teles SA, Lopes CLR, Reis NRDS, E Silva ÁMDC, et al. Prevalência da infecção pelo HTLV-1, em remanescentes de quilombos no Brasil Central. Revista da Sociedade Brasileira de Medicina Tropical. 2009;42(6):657–60. Disponível em: https://doi.org/10.1590/S0037-86822009000600009

Boostani R, Sadeghi R, Sabouri A, Ghabeli-Juibary A. Human T-lymphotropic virus type I and breastfeeding; systematic review and meta-analysis of the literature. Iranian Journal of Neurology. 2019;17(4):174–9. Disponível em: https://www.ncbi.nlm.nih.gov/pmc/articles/PMC6555888/

Mota A, Nunes C, Melo A, Romeo M, Boasorte N, Dourado I, et al. A case-control study of HTLV-infection among blood donors in Salvador, Bahia, Brazil - associated risk factors and trend towards declining prevalence. Revista Brasileira de Hematologia e Hemoterapia. 2006;28(2):120–6. Disponível em: https://doi.org/10.1590/S1516-84842006000200011

Silva IC, Pinheiro BT, Nobre AFS, Coelho JL, Pereira CCC, Ferreira LDSC, et al. Moderate endemicity of the human T-lymphotropic virus infection in the metropolitan region of Belém, Pará, Brazil. Revista Brasileira de Epidemiologia. 2018;21. Disponível em: https://doi.org/10.1590/1980-549720180018

Dourado I, Alcantara LCJ, Barreto ML, Teixeira M da G, Galvão-Castro B. HTLV-I in the General Population of Salvador, Brazil A City With African Ethnic and Sociodemographic Characteristics. Journal of Acquired Immune Deficiency Syndromes. dez, 2003;34(5):527–531; disponível em: https://www.arca.fiocruz.br/bitstream/icict/8136/1/Dourado%20I%20HTLV-I%20in%20the%20general....pdf

Santos RFS, Conceição GC, Martins MS, Kraychete A, Penalva MAC, Carvalho EM, et al. Prevalence and risk factors for Human T-Lymphotropic Virus Type 1 (HTLV-1) among maintenance hemodialysis patients. BMC Nephrology. 2017;18(1):1–7. Disponível em: https://doi.org/10.1186/s12882-017-0484-y

Galvão-Castro B, Alcântara LCJ, Grassi MFR, Mota-Miranda ACA, Queiroz ATL de, Rego FFA, et al. Epidemiologia e origem do htlv-i em salvador estado da bahia: a cidade com a mais elevada prevalência desta infecção no brasil. Gazeta Médica da Bahia 2009;79:1(Jan-Dez):3–10. Disponível em: http://www.gmbahia.ufba.br/index.php/gmbahia/article/viewFile/1053/1022

Figueiredo-Alves RR, Nonato DR, Cunha AM. HTLV e gravidez: protocolo clínico. Femina [Internet]. 2019;47(2):110–3. Available from: http://fi-admin.bvsalud.org/document/view/pxxk5

Publicado
2022-05-27
Métricas
  • Visualizações do Artigo 232
  • PDF downloads: 222
Como Citar
Silva, T. C. de S., Lopo, L. H. C. S., Brito, L. T. P., Sacramento, I. O., Gomes, L. L. F., Santos, L. F. dos, Faria, J. M. L., & Batista, E. da S. (2022). PERFIL EPIDEMIOLÓGICO DOS CASOS NOTIFICADOS DE HTLV NA BAHIA NO PERÍODO DE 2010 A 2019. Práticas E Cuidado: Revista De Saúde Coletiva, 3, e13799. Recuperado de https://revistas.uneb.br/index.php/saudecoletiva/article/view/13799
Seção
Artigos (FLUXO CONTíNUO)

##plugins.generic.recommendByAuthor.heading##