MORTALIDADE POR DIABETES MELLITUS NÃO INSULINO-DEPENDENTE NO DISTRITO FEDERAL

Palavras-chave: Diabetes Mellitus, Indicadores de Morbi-Mortalidade, Epidemiologia, Registros de Mortalidade

Resumo

Objetivo: Analisar a tendência de mortalidade temporal por  diabetes mellitus não insulino dependente no Distrito Federal entre 2010 e 2019. Método: Foi realizado um estudo descritivo, do tipo ecológico de séries temporais da mortalidade por Diabetes Mellitus não insulino dependente (E11). Os dados foram coletados do Sistema de Informações sobre Mortalidade (SIM), codificados segundo o CID-10,  ocorridos entre 2010 e 2019, em residentes do Distrito Federal. Resultados: No período analisado, foi contabilizado um total de 999 óbitos por diabetes mellitus não insulino dependente e a maior parte ocorreu acima dos 70 anos (54,9%), em indivíduos do sexo feminino (52,1%), de raça/cor branca (47,8%) e a maioria possuía cerca de um a três anos de estudo (33,2%). O coeficiente de mortalidade foi de 3,45 por 100 mil habitantes e mortalidade proporcional de 0,82%. Conclusão: Foi identificado que houve crescimento da taxa de mortalidade geral por Diabetes Mellitus não insulino dependente entre 2010 e 2019.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Luana Silva Pereira, Residente pela Escola Superior de Ciências da Saúde do Distrito Federal - Brasil

Graduada em Nutrição pelo Centro Universitário de Brasília

Delmason Soares Barbosa de Carvalho, Servidor na Secretaria de Estado de Saúde do Distrito Federal - Brasil

Especialista em Saúde Coletiva pela Universidade de Brasília

Elaine Ramos de Moraes Rego, Servidora na Secretaria Estadual de Saúde do Distrito Federal - Brasil

Especialista em Acupuntura pelo Centro Universitário Cidade Verde

Ana Cristina Machado, Médica sanitarista na Secretaria de Saúde do Distrito Federal - Brasil

Especialista em Acupuntura pela Sociedade Médica Brasileira de Acupuntura

Débora Barbosa Ronca, Secretaria Estadual de Saúde do Distrito Federal

Mestre em Nutrição Humana pela Universidade de Brasília

Ana Claudia Morais Godoy Figueiredo, Servidora na Secretaria de Estado de Saúde do Distrito Federal - Brasil

Pós-Doutora em Saúde Coletiva e Doutora em Ciências da Saúde pela Universidade de Brasília

Referências

International Diabetes Federation. IDF Diabetes Atlas [Internet]. 2019 [citado 9 de setembro de 2021]. Disponível em: https://www.diabetesatlas.org/en/

World Health Organization. Global report on diabetes [Internet]. Geneva: World Health Organization; 2016 [citado 9 de setembro de 2021]. 83 p. Disponível em: https://apps.who.int/iris/handle/10665/204871

DATASUS Departamento de Informática do SUS [Internet]. 2021 [citado 9 de setembro de 2021]. (Tabnet). Disponível em: https://datasus.saude.gov.br/informacoes-de-saude-tabnet/

Global Burden of Disease. Institute for Health Metrics and Evaluation; 2019.

Sociedade Brasileira de Diabetes [Internet]. SBD; 2021. (Tipos de diabetes). Disponível em: https://diabetes.org.br/tipos-de-diabetes/#diabetes-tipo-2

Bahia LR, da Rosa MQM, Araujo DV, Correia MG, dos Rosa R dos S, Duncan BB, et al. Economic burden of diabetes in Brazil in 2014. Diabetol Metab Syndr. 2 de julho de 2019;11(1):54.

Alves CG, Morais Neto OL de, Alves CG, Morais Neto OL de. Trends in premature mortality due to chronic non-communicable diseases in Brazilian federal units. Ciênc Amp Saúde Coletiva. março de 2015;20(3):641–54.

Cesse EÂP, Carvalho EF de, Souza WV de, Luna CF. Tendência da mortalidade por diabetes melito no Brasil: 1950 a 2000. Arq Bras Endocrinol Amp Metabol. agosto de 2009;53(6):760–6.

Schmidt MI, Duncan BB, Chor D, Menezes PR. Doenças crônicas não transmissíveis no Brasil: carga e desafios atuais. :14.

Companhia de Planejamento do Distrito Federal CODEPLAN. Atlas do Distrito Federal [Internet]. 2020 [citado 9 de setembro de 2021]. Disponível em: https://www.codeplan.df.gov.br/wp-content/uploads/2018/05/Atlas-do-Distrito-Federal-2020-Cap%C3%ADtulo-5.pdf

Organização Mundial da Saúde. CID-10: classificação estatística internacional de doenças e problemas relacionados à saúde. São Paulo: EDUSP; 2000.

Companhia de Planejamento do Distrito Federal CODEPLAN. Projeções Populacionais para as Regiões Administrativas do Distrito Federal 2010-2020. 2018.

Petruccelli JL, Saboia AL, Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística, organizadores. Características étnico-raciais da população: classificações e identidades. Rio de Janeiro: Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística-IBGE; 2013. 204 p. (Estudos e análises. Informação demográfico e socioeconômica).

Malhão TA, Brito A dos S, Pinheiro RS, Cabral C da S, de Camargo TMCR, Coeli CM. Sex Differences in Diabetes Mellitus Mortality Trends in Brazil, 1980-2012. PLoS ONE. 8 de junho de 2016;11(6):e0155996.

Ji L. Sex disparity in the risk of diabetes-associated stroke. The Lancet. 7 de junho de 2014;383(9933):1948–50.

Laurenti R, Fonseca LAM, Costa Jr. ML da. Mortalidade por diabetes mellitus no município de São Paulo (Brasil): evolução em um período de 79 anos (1900-1978) e análise de alguns aspectos sobre associação de causas. Rev Saúde Pública. abril de 1982;16:77–91.

Pinto MS, Moreira RC, Ohira RHF, Tashima CM, Pinafo E, Souza RM de. Tendência da mortalidade por Diabetes Mellitus no Paraná, Brasil, entre 1984 e 2014. Rev Saúde Pública Paraná. 16 de julho de 2019;2(1):57–67.

BRASIL. Plano de Reorganização da Atenção à Hipertensão Arterial e ao Diabetes Mellitus [Internet]. Ministério da Saúde; 2002. Disponível em: https://bvsms.saude.gov.br/bvs/publicacoes/reorganizacao_campanha.pdf

Distrito Federal. Plano de Ações Estratégicas para o Enfrentamento das Doenças Crônicas Não Transmissíveis no Distrito Federal – 2017-2022 [Internet]. 2017 [citado 9 de setembro de 2021]. Disponível em: https://www.saude.df.gov.br/wp-conteudo/uploads/2018/03/PLANO_ENFRENTAMENTO_DCNT_DF_2017_2022.pdf

CD 36 – Estudos sobre a Planificação da Atenção à Saúde no Brasil – CONASS [Internet]. [citado 28 de setembro de 2021]. Disponível em: https://www.conass.org.br/biblioteca/cd-36-estudos-sobre-a-planificacao-da-atencao-a-saude-no-brasil-2008-a-2019-uma-revisao-de-escopo/

Sartorelli DS, Franco LJ. Tendências do diabetes mellitus no Brasil: o papel da transição nutricional. Cad Saúde Pública. 2003;19:S29–36.

Boles A, Kandimalla R, Reddy PH. Dynamics of Diabetes and Obesity: Epidemiological Perspective. Biochim Biophys Acta. maio de 2017;1863(5):1026–36.

Peters SAE, Huxley RR, Woodward M. Diabetes as a risk factor for stroke in women compared with men: a systematic review and meta-analysis of 64 cohorts, including 775 385 individuals and 12 539 strokes. The Lancet. 7 de junho de 2014;383(9933):1973–80.

Logue J, Walker J, Colhoun H, Leese G, Lindsay R, McKnight J, et al. Do men develop type 2 diabetes at lower body mass indices than women? Diabetologia. dezembro de 2011;54(12):3003–6.

Redelings MD, Sorvillo F, Simon P. A Comparison of Underlying Cause and Multiple Causes of Death: US Vital Statistics, 2000–2001. Epidemiology. janeiro de 2006;17(1):100–3.

Brazil, organizador. Plano de ações estratégicas para o enfrentamento das doenças crônicas não transmissíveis (DCNT) no Brasil: 2011-2022. 1a edição. Brasília, DF: Ministério da Saúde; 2011. 154 p. (Série B. Textos básicos de saúde).

Publicado
2022-01-08
Métricas
  • Visualizações do Artigo 125
  • PDF downloads: 66
Como Citar
Pereira, L. S., Carvalho, D. S. B. de, Rego, E. R. de M., Machado, A. C., Ronca, D. B., & Figueiredo, A. C. M. G. (2022). MORTALIDADE POR DIABETES MELLITUS NÃO INSULINO-DEPENDENTE NO DISTRITO FEDERAL . Práticas E Cuidado: Revista De Saúde Coletiva, 2, e12903. Recuperado de https://revistas.uneb.br/index.php/saudecoletiva/article/view/12903
Seção
Artigos (FLUXO CONTíNUO)

##plugins.generic.recommendByAuthor.heading##