SINALÁRIO DE LIBRAS DA CHAPADA DIAMANTINA

Palavras-chave: Sinalário; Libras; Chapada Diamantina; Acessibilidade; Inclusão.

Resumo

O Sinalário de Libras da Chapada Diamantina surgiu a partir do desenvolvimento de um projeto de extensão durante o ano de 2020, com objetivo de se produzir junto à comunidade interna e a comunidade externa um Sinalário de Libras, material rico e de produção colaborativa que favorecesse a inclusão escolar de surdos. Para isso, recorremos a estratégias de estudo, criação de material audiovisual, organização e alimentação de documentos colaborativos. O projeto ainda está em fase de experimentação, com utilização pelos Tradutores-Intérpretes de Libras/Português do Instituto Federal de Educação Ciência e Tecnologia da Bahia, IFBA, Campus Seabra, para posterior divulgação. Espera-se que o Sinalário seja ferramenta amplamente utilizada pela comunidade interna e externa do IFBA campus Seabra, que contribua com as iniciativas de inclusão e acessibilidade aos surdos do Território da Chapada Diamantina e que seja mais um modelo de material didático que fomente a Educação Bilíngue, favorecendo a melhor comunicação entre surdos e ouvintes.

Palavras-Chave: Sinalário; Libras; Chapada Diamantina; Acessibilidade; Inclusão.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Celimar Rocha Morais, Instituto Federal da Bahia (IFBA)

Licenciada em Pedagogia pela Universidade do Estado da Bahia (UNEB). Tradutora-Intérprete de Libras do Instituto Federal da Bahia (IFBA), Campus Seabra.

Joice Naiane Sousa Costa Santos, Instituto Federal da Bahia (IFBA)

Mestre em Educação e Diversidade pela Universidade do Estado da Bahia (UNEB). Docente do Instituto Federal da Bahia (IFBA), campus Seabra.

Referências

Referências

BRASIL, Ministério da Educação. Censo Escolar 2020. INEP, Brasília, 2021. Disponível em https://download.inep.gov.br/censo_escolar/resultados/2020/apresentacao_coletiva.pdf, acesso em 10 de agosto de 2021.

BRASIL, Diário Oficial da União. Lei 14.191/2021. Agosto, 2021. Disponível em: http://https://www.in.gov.br/en/web/dou/-/lei-n-14.191-de-3-de-agosto-de-2021-336083749, acesso em 08 de agosto de 2021.

CARVALHO, Rosita Edlér Educação inclusiva com os pingos nos “is”. 10ª. ed. – Porto Alegre: Mediação, 2014.

MITTLER, Peter. Educação inclusiva: contextos sociais. Tradução Windyz Brazão Ferreira. – Porto Alegre: Artmed, 2003.

NASCIMENTO, Sandra Patrícia de Faria do. Representações Lexicais da Língua de Sinais Brasileira: uma proposta lexicográfica. 2009. 290f. Tese (Doutorado em Linguística) - Universidade de Brasília, Brasília, 2009. Disponível em:

OLIVEIRA, Janine Soares. Glossário Letras-Libras como Ferramenta para Formação/Consulta de Tradutores. Universidade Federal de Santa Catarina. Porto Alegre, 2010. Disponível em:

OLIVEIRA, Janine Soares & STUMPF, Marianne Rossi. Desenvolvimento de Glossário de Sinais Acadêmicos em Ambiente Virtual de Aprendizagem do Curso Letras-Libras. Universidade Federal de Santa Catarina. Porto Alegre, 2013. Disponível em:

TUXI DOS SANTOS, Patrícia. A Terminologia na Língua de Sinais Brasileira: proposta de organização e de registro de termos técnicos e administrativos do meio acadêmico em glossário bilíngue. 2017. 278p. Tese (Doutorado em Linguística) - Universidade de Brasília,
Brasília, 2017. Disponível em:
Publicado
2022-01-07
Métricas
  • Visualizações do Artigo 311
  • Pdf downloads: 77
Como Citar
Morais, C. R., & Santos, J. N. S. C. (2022). SINALÁRIO DE LIBRAS DA CHAPADA DIAMANTINA. Diálogos E Diversidade, 2, e12480. Recuperado de https://revistas.uneb.br/index.php/rdd/article/view/12480
Seção
Artigos de fluxo contínuo