Constituição da docência pelas narrativas de si: práticas educativas na educação básica

Autores

DOI:

https://doi.org/10.31892/rbpab2525-426X.2021.v6.n17.p392-410

Palavras-chave:

Conhecimento de si, Formação, Iniciação científica, Educação Básica

Resumo

O trabalho analisa práticas educativas em contextos de atuação profissional de uma educadora. Trata-se de uma professora pesquisadora, que construiu a docência a partir de sua história de vida e atuação enquanto professora orientadora de iniciação científica. O texto evidencia como o conhecimento de si se institui como elemento motivacional para exercício da docência. O trabalho se desenvolveu numa ancoragem teórica, considerando concepções de Nóvoa (2007) sobre formação e trabalho docente como elementos constituidores da reflexão sobre o fazer docente. Buscou-se em Pineau (2014), Josso (2008, 2010), ideias fundantes sobre o conhecimento de si, histórias de vida, formação e atuação profissional. O aporte metodológico desenvolveu-se pela abordagem (auto)biográfica, utilizando-se como dispositivo relatos biográficos de uma professora. O trabalho evidencia que a história de vida pelo conhecimento de si constitui mola mestra e propulsora de ações educativas de iniciação científica que a educadora desenvolve na sua atuação profissional. 

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Charles Maycon Almeida Mota, UNIVERSIDADE DO ESTADO DA BAHIA - UNEB

Graduação em Pedagogia pelo Instituto Superior de Ensino Capimgrossense (2009), e em Matemática pela Universidade do Estado da Bahia (2015), Especialista em Psicopedagogia Clínica e Institucional pelo Instituto Brasileiro de Pesquisa e Extensão (2012), Mestre em Educação e Diversidade pela Universidade do Estado da Bahia (2016). É professor da Educação Básica e Psicopedagogo no Centro de Referência ao Apoio Pedagógico no município de Várzea do Poço - BA, pesquisador no DIVERSO - Grupo de Pesquisa Docência, Narrativas e Diversidade e no DIFEBA - Diversidade, Formação, Educação Básica e Discurso. Doutorando em Educação e Contemporaneidade no Programa de Pós-graduação em Educação e Contemporaneidade pela Universidade do Estado da Bahia. Tem experiência na área de Educação, com ênfase em Coordenação Pedagógica, atuando principalmente nos seguintes temas: identidade, diversidade, formação de professores e educação do campo.

Fabício Oliveira da Silva, Universidade Estadual de Feira de Santana - UEFS

Pós-doutorando e Doutor em Educação e Contemporaneidade pela Universidade do Estado da Bahia - UNEB (2017). Mestre em Filologia e Língua Portuguesa pela Universidade de São Paulo (2003). Especialista em Gestão de Pessoas com ênfase em Competências no setor público pela Universidade Federal da Bahia - UFBA (2019). Especialista em Gestão Escolar pela Faculdade de Tecnologia e Ciências - FTC - (2009). Especialista em Linguística Aplicada ao Ensino de Língua Portuguesa pela Universidade Estadual de Feira de Santana - UEFS (1998). Possui graduação em Licenciatura em Letras Vernáculas pela Universidade Estadual de Feira de Santana - UEFS (1997). É Professor Adjunto da Universidade Estadual de Feira de Santana - UEFS, lotado no Departamento de Educação. Professor permanente do Programa de Pós-Graduação em Educação - PPGE da UEFS. Professor pesquisador do Grupo de Pesquisa Docência, Narrativas e Diversidade na Educação Básica ? DIVERSO. Coordenador e membro do Núcleo de Estudos e Pesquisas sobre Pedagogia Universitária - NEPPU da Universidade Estadual de Feira de Santana - UEFS. É membro do GT 4 - Didática da Associação Nacional de Pesquisadores da Educação - ANPEd. Tem experiência na área de Educação, com ênfase em Educação Superior (graduação e pós-graduação), atuando como professor e pesquisador nos seguintes temas: formação do educador, identidade docente, didática, leitura e produção textual, ensino de língua portuguesa, pesquisa em educação, pesquisa (auto)biográfica e docência universitária e na Educação Básica.

Referências

CATANI, Denice Barbara. As leituras da própria vida e a escrita de experiências de forma. Revista da FAEEBA – Educação e Contemporaneidade, Salvador, v. 14, n. 24, p. 31-40, jul./dez. 2005. Disponível em: file:///C:/Users/charl/Dropbox/My%20PC%20(DESKTOP-MRONKKQ)/Downloads/228-117-PB.pdf. Acesso em: 23 maio 2019.

DUBAR, Claude. A socialização: construção das identidades pessoais e profissionais. Lisboa, Porto editora. 2005.

FERRAROTI, Franco. Sobre a autonomia do método biográfico. In: NÓVOA, António; FINGER, Mathias. O método (auto)biográfico e a formação. Lisboa: MS/DRHS/CFAP, 1988. p. 31-59.

JOSSO, Marie-Christine. Experiências de vida e formação. São Paulo: Cortez, 2004.

JOSSO, Marie-Christine. Caminhar para si. Porto Alegre: EDIPUCRS, 2010.

JOSSO, Marie-Christine. As narrações centradas sobre a formação durante a vida como desvelamento das formas e sentidos múltiplos de uma existencialidade singular-plural. Revista da FAEEBA: Educação e Contemporaneidade, Salvador, v. 17, n. 29, p. 17-30, jan./jun., 2008.

LARROSA, Jorge. Notas sobre a experiência e o saber de experiência. Rev. Bras. Educ. [online]. 2002, n.19, p. 20-28. ISSN 1413-2478. http://dx.doi.org/10.1590/S1413-24782002000100003.

LARROSA, Jorge. Pedagogia profana. Danças, piruetas e mascaradas. Tradução de Alfredo VeigaNeto. — Belo Horizonte: Autêntica, 2015.

LARROSA, Jorge. Elogio da escola. (Org.) Tradução Fernando Coelho. 1 ed. Belo Horizonte: Autêntica Editora, 2017.

LIBÂNEO, José. O/a professor/a e a construção da sua identidade profissional. In: LIBÂNEO, José Carlos (Ed.). Organização e gestão da escola: teoria e prática Goiânia: Alternativa. 2001. p. 62-71.

Marcelo C (2009). Desenvolvimento Profissional Docente: passado e futuro. Ciências da Educação, 1(8): 7-22. Disponível em: http://www.unitau.br/files/arquivos/category_1/MARCELO___Desenvolvimento_Profissional_Docente_passado_e_futuro_1386180263.pdf. Acesso em: 10 maio 2021.

MOLL, Jaqueline. Alfabetização possível: reinventando o ensinar e o aprender. 8° edição revisada e atualizada. Porto Alegre. Mediação, 2009.

NÓVOA, António; FINGER, Mathias. O método (auto)biográfico e a formação. Lisboa: MS/DRHS/CFAP, 1988.

NÓVOA, A. Desafios do/a professor/a no mundo contemporâneo. São Paulo. Sinpro, 2007.

PALOMO, Victor. Um ritual de reinvenção de si. In: Elizeu Clementino de Souza, Maria Helena Mena Barreto Abrahão (Orgs). Tempos, narrativas e ficções: a invenção de si. Porto Alegre: EDIPUCRS, 2006. p. 61-76.

PINEAU, Gaston. A autoformação no decurso da vida: entre a hetero e a autoformação. In: FINGER, M. NÓVOA, A. (Org.). O método (auto)biográfico e a formação. 2. ed. Natal: EDUFRN, 2014. p. 91-110.

SILVA, F. O. da; ALVES, I. da S. Contribuição do PIBID para a prática profissional: aprendizagens da docência por homologia na formação inicial. Revista Exitus, [S. l.], v. 10, n. 1, p. e020104, 2020. DOI: 10.24065/2237-9460.2020v10n1ID1499. Disponível em: http://www.ufopa.edu.br/portaldeperiodicos/index.php/revistaexitus/article/view/1499. Acesso em: 19 maio 2021

SILVA, F. O da. Tessituras constitutivas da abordagem (auto) biográfica como dispositivo de pesquisa qualitativa. Práxis Educativa (Brasil) [en linea]. 2020, 15 (), 01-15. ISSN: 1809-4031. Disponível em: https://revistas2.uepg.br/index.php/praxiseducativa/article/view/12960. Acesso em: 10 de maio 2021.

SOUZA. Pesquisa narrativa e escrita (auto)biográfica: interfaces metodológicas e formativas. In: SOUZA, Elizeu Clementino; ABRAHÃO, Maria Helena Menna Barreto. (Orgs.). Tempos, narrativas e ficções: a invenção de si. Porto Alegre: EDIPUCRS; Salvador: EDUNEB, 2006. p. 135-148.

SOUZA, Elizeu Clementino de. Territórios das escritas do eu: pensar a profissão; narrar a vida. Educação, Porto Alegre, EDIPUCRS, v. 34, n. 2, p. 213-220, 2011. Disponível em: https://revistaseletronicas.pucrs.br/ojs/index.php/faced/article/view/8707/6359. Acesso em: 23 maio 2019.

Downloads

Publicado

2021-05-31

Como Citar

MOTA, C. M. A.; SILVA, F. O. da. Constituição da docência pelas narrativas de si: práticas educativas na educação básica. Revista Brasileira de Pesquisa (Auto)biográfica, [S. l.], v. 6, n. 17, p. 392–410, 2021. DOI: 10.31892/rbpab2525-426X.2021.v6.n17.p392-410. Disponível em: https://revistas.uneb.br/index.php/rbpab/article/view/8792. Acesso em: 13 jul. 2024.