Representações sobre oralidade e escrita na tradição africana e sua presença/ausência na formação educacional brasileira

  • Débora Cristina de Araujo

Resumo

São diversos estudos sobre oralidade e escrita que atribuíram à segunda condição de superioridade à segunda. Nessa lógica, a escrita seria capaz de desenvolver habilidades cognitivas mais abstratas que a oralidade. No caso do Brasil, a oralidade associada à cultura africana é apresentada nessa mesma lógica inferiorizante, refletindo tal processo na formação escolar. Torna-se imprescindível uma reflexão sobre a necessidade de valorização
de culturas com fortes marcas da oralidade e a superação de um modelo curricular eurocêntrico.


Palavras-chave: Oralidade e escrita. Hierarquização. Tradição oral africana. Griots.

Downloads

Não há dados estatísticos.
Publicado
2016-03-30
Métricas
  • Visualizações do Artigo 262
  • PDF downloads: 1084