A Literatura como um jeito de corpo – Entrevista com Douglas de Almeida

  • Marcelise Lima de Assis Universidade do Estado da Bahia, Pós-Crítica.

Resumo

Douglas de Almeida é um dos expoentes do Movimento
Poetas na Praça que aconteceu em Salvador (1979-1989).
Poeta e produtor cultural inquietante, não perde a oportunidade
de recitar versos em praça pública semanalmente como
gesto de enfrentamento aos modus operandi de todas as
formas de censura. Como reflexo de bom herdeiro e devorador
de livros deixados pelo seu pai, coordena a biblioteca
Betty Coelho no bairro Boca do Rio, em Salvador, além de
impulsionar recitais de poesia na cidade. Organizou o livro
Movimento Poetas na Praça: entre a transgressão e a tradição
(2015) e lançou o livro Confissões de um pecador ateu (1983).

Downloads

Não há dados estatísticos.
Publicado
2018-04-27
Métricas
  • Visualizações do Artigo 165
  • PDF downloads: 79