Ensino superior a distância

perspectivas e olhares dos imperatrizenses universitários

Autores

  • Bruna Ferreira de Oliveira Universidade Estadual do Maranhão - UEMA
  • Nayane Cristina Rodrigues de Brito Universidade Estadual de Ponta Grossa - UEPG
  • Ronísia Mara Moura Silva Universidade Estadual de Ponta Grossa - UEPG

DOI:

https://doi.org/10.30620/gz.v5n1.p57

Palavras-chave:

Educação a distância, Aluno, Professor, Imperatriz

Resumo

O artigo retrata os olhares e perspectivas dos imperatrizenses universitários do ensino regular e a distância a cerca do Ensino Superior a Distância. Fizemos uso de pesquisa bibliográfica, aplicação de questionários e entrevistas semi-estruturadas. A partir da coleta dos dados, verificamos que a maioria dos universitários do ensino regular faria uma graduação a distância, mas acreditam que essa modalidade de ensino não supri todas as necessidades dos alunos, como também não substituirá o ensino presencial. Constatamos ainda que a Educação a Distância tem como foco a auto-aprendizagem do aluno, que deve ser gestor do seu aprendizado. Nota-se que os mesmos reconhecem essa responsabilidade.

[Recebido: 04 ago. 2016 – Aceito: 09 nov. 2016]

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Bruna Ferreira de Oliveira, Universidade Estadual do Maranhão - UEMA

Graduada em História Licenciatura pela Universidade Estadual do Maranhão (UEMA).

Nayane Cristina Rodrigues de Brito, Universidade Estadual de Ponta Grossa - UEPG

Jornalista, formada pela Universidade Federal do Maranhão. É formada em História Licenciatura pela Universidade Estadual do Maranhão. Atualmente é mestranda em Jornalismo pela Universidade Estadual de Ponta Grossa.

Ronísia Mara Moura Silva, Universidade Estadual de Ponta Grossa - UEPG

Graduada em História pela Universidade Estadual do Maranhão. Bolsista pela Fundação de Amparo a Pesquisa e ao Desenvolvimento Científico e Tecnológico do Maranhão (FAPEMA) 2016. Mestranda em História pela Universidade Estadual de Ponta Grossa (UEPG).

Referências

ALVES, João Roberto Moreira. A nova regulamentação da EAD no Brasil. In: Silva, Marcos (Org.). Educação online. 2. ed., São Paulo: Edições Loyola, 2006.

BELLONI, Maria Luiza. Educação à distância. 4. ed., Campinas, SP: Autores Associados, 2006 (Coleção educação contemporânea).

BELLONI, Maria Luiza. Educação à distância. 5. ed., Campinas – SP: Autores Associados, 2009 (Coleção educação contemporânea).

CASTELLS, Manuel. A Sociedade em Rede. Trad. Roneide Venancio Majer. 6. ed. São Paulo: Paz e Terra, 1999.

GOMES, Lamuel Kesley Sá, Imperatriz–MA, de outubro de 2012, entrevista concedida à Nayane Cristina Rodrigues de Brito.

MARQUES, Camila. 2004. Ensino a distância começou com cartas agricultores. Disponível em: http://www1.folha.uol.com.br/folha/educacao/ult305u16139.shtml. Acesso em: 15 out. 2012.

MOORE, M.; KEARSLEY, G. Educação à distância: uma visão integrada. São Paulo: Thomson Learning, 2007.

NETO, Lobo; SILVEIRA Francisco José da. Educação a Distância: Regulamentação, Condiçõesde Êxito e Perspectivas. Disponível em: http://www.prossiga.br/edistancia/Educacao-a-Distância–BibliotecaVirtual_arquivos/lobo1.htm. Acessado em 12 de nov. 2012.

STUMPF, Ida Regina C. Pesquisa Bibliográfica. In: BARROS, Antonio; DUARTE, Jorge (Org.). Métodos e Técnicas de Pesquisa em Comunicação. 2. ed., São Paulo: Atlas, 2006.

SOUSA, Ricardo de Oliveira Sousa,Imperatriz–MA, de outubro de 2012, entrevista concedida à Nayane Cristina Rodrigues de Brito.

SOARES, Luzinalva Alves, Imperatriz–MA, de outubro de 2012, entrevista concedida à Nayane Cristina Rodrigues de Brito.

TORRES, Patrícia Lupion. Laboratório online de aprendizagem: uma proposta crítica de aprendizagem colaborativa para a educação. Tubarão: Unisul, 2004.

VEIGA, Ilma Passos Alencastro. Lições de didática. Campinas: Papirus, 2006.

Publicado

2017-04-12

Como Citar

OLIVEIRA, B. F. de; BRITO, N. C. R. de; SILVA, R. M. M. Ensino superior a distância: perspectivas e olhares dos imperatrizenses universitários. Grau Zero – Revista de Crítica Cultural, Alagoinhas-BA: Fábrica de Letras - UNEB, v. 5, n. 1, p. 57–74, 2017. DOI: 10.30620/gz.v5n1.p57. Disponível em: https://revistas.uneb.br/index.php/grauzero/article/view/3494. Acesso em: 28 fev. 2024.