O ministério da cultura de Gilberto Gil e a noção de cultura da tropicália

  • Paula Oliveira Campos Augusto Universidade do Estado da Bahia, Pós-Crítica.

Resumo

Resumo: Este trabalho trata da atualização da Tropicália no campo das políticas culturais com a chegada de Gilberto Gil ao Ministério da Cultura, em 2003. A partir da recuperação de uma identidade tropicalista em sua postura pública, o músico-gestor fez emergir reflexões sobre uma “maneira tropicalista” de pensar a cultura. Desse modo, pretende-se compreender quais elementos presentes na gestão de Gilberto Gil indicam uma sobrevivência da Tropicália na contemporaneidade. Sem perder de vista a instabilidade semântica dessa manifestação artística e cultural brasileira, prefere-se o caminho que aponta para o caráter de ruptura desse signo. Percebe-se, enfim, nesta abordagem, uma noção de cultura que leva em conta o digital, a criatividade da multidão, a diferença, e que, além disso, põe em xeque o modelo hegemônico e unívoco de Brasil.

Palavras-Chave: Tropicália. Políticas Culturais. Ministério da Cultura. Gilberto Gil. ]

Downloads

Não há dados estatísticos.
Publicado
2017-02-13
Métricas
  • Visualizações do Artigo 167
  • PDF downloads: 390