A posição sujeito­aluno na redação ENEM: a escri­ta e seus efeitos de sentido

  • Amilton Flávio Coleta Leal Universidade do Estado da Bahia, Pós-Crítica.

Resumo

Resumo: Este artigo tem por objetivo suscitar algu­mas reflexões sobre o processo de constituição do su­jeito através da língua escrita. Pensar em escrita nos manuais de ensino é considerar o apagamento e a re­sistência do sujeito, bem como a literalidade e a su­perficialidade na produção de sentido(s). Dessa for­ma, ancorados na Teoria da Análise do Discurso de Linha Francesa, buscaremos um lugar de interpreta­ção/investigação para as escritas “homogeneizadas”dos alunos, a partir dos critérios que quantifi­cam/qualificam as competências e habilidades do E­nem. Com isso, faremos um paralelo entre as políti­cas de ensino e as políticas voltadas ao Exame, a fim de perceber o quê é feito durante todo percurso escolar para garantir e dar seguridade a esses alunos de se marcarem na/pela língua e, portanto, constituírem­se como sujeitos­autores de sua escrita.

Palavras-chave: Análise do Discurso. ENEM. Escrita. Sujeito.

Downloads

Não há dados estatísticos.
Publicado
2017-02-13
Métricas
  • Visualizações do Artigo 221
  • PDF downloads: 144