Identidade, subjetividade e nação guineense na poesia de odete semedo

  • Karina de Almeida Calado
  • Maria Nazareth Soares Fonseca

Resumo

Este artigo objetiva analisar o relato de nação da GuinéBissau na póscolonialidade, presente no livro No Fundo do Canto, de Odete Semedo, interrelacionandoo à construção da identidade nacional, a partir do discurso de busca da identidade individual. Pretendese discutir como a voz poética, em busca de sua ancestralidade, evoca o passado e se coloca como mãe, mulher e mensageiro da nação, voz da reflexão e do desabafo diante dos horrores da guerra civil. A imagem do sujeito fragmentado, construída por Semedo, vai ao encontro da noção de identidade do sujeito pósmoderno como uma “celebraç~o móvel”, proposta por Hall (2003), que, ao afirmarse, ampliase para o plano da identidade nacional sugerido por Augel (2007). Convém também se analisar até que ponto as imagens e os conceitos de nação propostos por Hobsbawm (2008) convergem com a imagem de nação construída por Semedo.


Palavraschave: Literatura guineense. Odete Semedo.Identidade. Nação.

Downloads

Não há dados estatísticos.
Publicado
2016-04-11
Métricas
  • Visualizações do Artigo 215
  • PDF downloads: 461