Literatura, contação de histórias e inclusão nos anos iniciais

relato de experiência com os gêneros orais

Autores

  • Raphaela Montana Gomes de Lima Universidade Federal Rural de Pernambuco - UFRPE
  • Jane Cristina Beltramini Berto Universidade Federal Rural de Pernambuco - UFRPE https://orcid.org/0000-0002-1588-828X

DOI:

https://doi.org/10.30620/gz.v10n2.p117

Palavras-chave:

Contação de histórias, Gêneros orais, Escola

Resumo

Este estudo preocupa-se com o desenvolvimento da oralidade e a valorização da Literatura nas séries iniciais, nas escolas da Educação básica, tendo como objetivo geral investigar como a oralidade se apresenta no aprendizado inicial das crianças através da contação de histórias e em quais estratégias de ensino em sala de aula, além de observar as práticas discursivas de interação humana, e explorar o senso crítico e reflexivo dos educandos em sala de aula. Os objetivos específicos: Observar e analisar como as crianças se manifestam frente às estratégias de ensino; averiguar as manifestações que emergiram no ambiente investigado. Para fundamentar a pesquisa: Abramovich (1991), Dolz (2013) e Antunes (2009), e orienta-se metodologicamente pela pesquisa–ação (THIOLENT, 1988) discutindo a importância dos gêneros orais, a sua presença nas escolas, no ensino de língua portuguesa e em especial, na contação de histórias e, por fim, trataremos dos resultados de um relato de experiência, como forma de subsidiar e confirmar nossa hipótese.

[Recebido em: 31 maio 2022 – Aceito em: 26 out. 2022]

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Raphaela Montana Gomes de Lima, Universidade Federal Rural de Pernambuco - UFRPE

Graduada em Letras – Português e Inglês pela Universidade Federal Rural de Pernambuco, Unidade Acadêmica de Serra Talhada (UFRPE/UAST) em 2022. Em 2020, prestou serviços a Cooperativa de Educadores da Escola Nova Geração (COOENGE), ministrando aulas de Português no ensino infantil e fundamental. É membro integrante do Grupo de Pesquisa em Linguagem e Educação – GEPLE (UAST-UFRPE). Atualmente vem desenvolvendo sua pesquisa na área de ensino-aprendizagem de língua materna, intitulada: “Contação de histórias: A oralidade como objeto de ensino aprendizagem de Língua Materna na Escola”, com apresentações em eventos acadêmico-científicos e simpósios na área.

Jane Cristina Beltramini Berto, Universidade Federal Rural de Pernambuco - UFRPE

Doutora em Letras pela Universidade Estadual de Maringá (UEM) com doutorado sanduíche na Universidade de Aveiro-PT. Foi professora de Língua Portuguesa nos Anos Finais de Ensino Fundamental e Ensino Médio, e Técnica Pedagógica em Língua Portuguesa nos Núcleos Regionais de Educação de Campo Mourão, Loanda e Maringá ao longo de sua carreira na educação básica no Estado do Paraná. Líder do Grupo de Estudo e Pesquisa em Linguagem e Educação (GEPLE), cadastrado no Diretório de Grupos de Pesquisa do CNPq. Possui experiência no ensino superior como tutora em Educação a Distância – EaD, coordenadora adjunta do PIBID-Letras e como membro da Comissão da Extensão da UAST_UFRPE. Atualmente é professora Adjunta da Universidade Federal Rural de Pernambuco, Unidade Acadêmica de Serra Talhada (UFRPE-UAST) e pós-doutoranda no Programa de Pós-Graduação em Crítica Cultural (Pós-Crítica) na Universidade Estadual da Bahia – UNEB e desenvolve trabalhos nas áreas de ensino-aprendizagem de língua materna, formação de professores, ensino da escrita e Educação do Campo.

Referências

ABRAMOVICH, F. Literatura infantil: gostosuras e bobices. São Paulo: Editora Scipione, 1991.

ABRAMOVICH, Fanny. Literatura Infantil. São Paulo: Scipione, 1995.

BRASIL. Ministério da Educação. Governo Federal. Base Nacional Curricular Comum – BNCC. MEC, 2018.

BRASIL Ministério da Educação. Conselho Nacional de Educação. Câmara de Educação Básica. Diretrizes Curriculares Nacionais Para a Educação Infantil. Resolução CNE/CEB 5/2009.

DOLZ, Joaquim; SCHNEUWLY, Bernard; HALLER, Sylvie. O Oral Como Texto: Como Construir um Objeto de Ensino. In: SCHNEUWLY, Bernard; DOLZ, Joaquim. Gêneros Orais e Escritos na Escola. / Tradução e organização Roxane Rojo e Glais Sales Cordeiro. Campinas, SP: Mercado de Letras, 2013.

JOLIBERT, Josette. Formando crianças leitoras. Vol. 1; Trad. Bruno C. Magne. Porto Alegre: Artes Médicas, 1994.

MACHADO, Ana Maria. Menina bonita do laço de fita. 7. ed. São Paulo: Ática, 2000.

MARCUSCHI, Luiz Antônio. Produção textual, análise de gêneros e compreensão. São Paulo: Parábola editorial, 2008.

MARCUSCHI, Luiz Antônio; DIONISIO, A. (Org.). Fala e escrita. Belo Horizonte: Autêntica, 2005.

MARCUSCHI, Luiz Antônio. A oralidade no contexto dos usos linguísticos: caracterizando a fala. In: Fala e Escrita. Luiz Antônio Marcuschi e Angela Paiva Dionisio.1. ed., 1. reimp. – Belo Horizonte: Autêntica, 2007. p. 57-84.

Referencial curricular nacional para a educação infantil / Ministério da Edu-cação e do Desporto, Secretaria de Educação Fundamental. – Brasília: MEC/SEF, 1998.

SCHNEUWLY, Bernard; DOLZ, Joaquim. Os gêneros Escolares - Das Práticas de Linguagem aos Objetos de Ensino. In: SCHNEUWLY, Bernard; DOLZ, Joaquim. Gêneros Orais e Escritos na Escola. / Tradução e organização Roxane Rojo e Glais Sales Cordeiro. Campinas, SP: Mercado de Letras, 2013.

ZILBERMAN, Regina. Guia de leitura para alunos de 1° e 2° graus. São Paulo: Cortez, 1989.

Publicado

2022-12-29

Como Citar

LIMA, R. M. G. de; BERTO, J. C. B. Literatura, contação de histórias e inclusão nos anos iniciais: relato de experiência com os gêneros orais. Grau Zero – Revista de Crítica Cultural, Alagoinhas-BA: Fábrica de Letras - UNEB, v. 10, n. 2, p. 117–142, 2022. DOI: 10.30620/gz.v10n2.p117. Disponível em: https://revistas.uneb.br/index.php/grauzero/article/view/14426. Acesso em: 15 abr. 2024.