“Ilha das Lágrimas”: uma transgressão dos padrões hegemônicos de masculinidade

Resumo

O presente texto analisa o caráter social da construção das identidades de gênero e sexuais, e como o pensamento hegemônico cria padrões para a sociedade e limita as vivências das pessoas. Dentro dessas limitações analisamos a masculinidade hegemônica que determina que para ser um “homem de verdade” é preciso ser e agir dentro de um modelo, e assim, com ajuda de Connell (2013), Finco (2010;2012), Louro (2000), Miskolci (2012), Santos (2020) e Saffioti (2012), buscamos compreender as consequências deste pensamento conservador, pautado no binarismo de gênero masculino/feminino, dentro das instituições de ensino, tendo em vista as crianças e, mais especificamente,  os meninos e suas subjetividades. Por fim, trazemos como possibilidade de prática pedagógica o livro infantil Ilha das Lágrimas, que busca por masculinidades positivas e revela que é possível meninos e homens sentirem e expressarem suas emoções e seus sentimentos.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Milena Pereira Rabelo, Universidade Federal de Lavras (UFLA)

é graduanda em pedagogia pela Universidade Federal de Lavras (UFLA). Membra do Grupo de Pesquisa Laroyê — Culturas Infantis e Pedagogias Descolonizadoras, UNIFESP. É Bolsista do Programa Residência Pedagógica, com o projeto: "Contexto e práticas de alfabetização e letramento: a ação docente em foco". Atuou como Coordenadora do Centro Acadêmico de Pedagogia (UFLA) — Gestão Ágatha (2020).

Larissa Figueiredo Salmen Seixlack Bulhões, Universidade Federal de Lavras (UFLA)

possui graduação em psicologia pela Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho (2010) e é doutora em Educação Escolar pela Faculdade de Ciências e Letras, UNESP, campus de Araraquara (2016). É professora adjunta da Faculdade de Educação, Linguagens e Ciências Humanas (FAELCH) da Universidade Federal de Lavras (UFLA) e do Programa de Pós-Graduação em Educação Científica e Ambiental (PPGECA). Tem experiência na área de Psicologia, com ênfase em Psicologia Escolar e Educacional, atuando principalmente nos seguintes temas: psicologia histórico-cultural; produção do fracasso escolar; patologização da vida escolar; educação para a diversidade. É membro do Grupo de Estudos em Psicologia Concreta (GEPCO) e do Núcleo de Estudos e Pesquisas em Psicologia Concreta (NUPSICO).

Publicado
2021-12-13
Métricas
  • Visualizações do Artigo 32
  • PDF downloads: 23