Entre conflito e cooperação: algumas reflexões sobre as comunidades tradicionais do Parque Nacional da Chapada Diamantina / Bahia – Brasil

  • Maria Medrado Nascimento Graduação em Sociologia UFBA Mestrado em Sociologia UNB Doutorado em Ciências Sociais UFBA
Palavras-chave: comunidades tradicionais, parques nacionais, conflito e cooperação, Chapada Diamantina.

Resumo

Este artigo visa apresentar algumas reflexões de pesquisa de doutorado sobre vinte e quatro comunidades tradicionais localizadas no interior do Parque Nacional da Chapada Diamantina, Bahia, Brasil. Ameaçadas de serem realocadas de seus territórios, conforme orientação da legislação ambiental brasileira, a classificação como "tradicionais" se configura como uma ferramenta na luta pela permanência. Procurando uma reflexão mais apurada sobre esse tema, serão apresentados alguns dados sobre o diagnóstico socioambiental destas populações, identificando os elementos que as caracterizam como tradicionais, assim como as relações de conflito e de cooperação que se estabelecem entre o modo de vida dessas populações e as demandas nacionais e globais por proteção ambiental.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Maria Medrado Nascimento, Graduação em Sociologia UFBA Mestrado em Sociologia UNB Doutorado em Ciências Sociais UFBA
Pesquisadora, professora e militante junto a comunidades tradicionais e movimentos sociais na região da Chapada Diamantina.

Referências

ARRUDA, Rinaldo. Populações tradicionais e a proteção dos recursos naturais em Unidades de Conservação. In: DIEGUES, Antônio Carlos. Etnoconservação: novos rumos para a conservação da natureza. São Paulo: Ed. Hucitec: São Paulo, 2000.

BAUMAN, Zygmunt. Identidade. Rio de Janeiro: Zahar. 2005.

BANDEIRA, Renato Luís. A Guerra dos coronéis e os garimpos na Chapada Diamantina. Salvador: Edição do autor, 2014.

BOURDIER, Pierre, CHAMBOREDON, Jean-Claude & PASSERON, Jean-Claude. Ofício de Sociólogo: metodologia da pesquisa na sociologia. Petrópolis: Vozes, 2005.

BRASIL, DECRETO no. 6.040 (2007), que institui a Política Nacional de Desenvolvimento Sustentável dos Povos e Comunidades Tradicionais (PNPCT), datado de fevereiro de 2007.

BRASIL. Constituição (1988). Constituição da República Federativa do Brasil. Brasília: Senado, 1988.

CANDIDO, Antônio. Os Parceiros do Rio Bonito: estudo sobre o caipira paulista e a transformação dos seus meios de vida. São Paulo: Livraria duas cidades, 1982.

CHAYANOV, Alexander. Teoria dos sistemas econômicos não-capitalistas. In: CARVALHO, Horácio Martins de (org). Chaianov e o campesinato. São Paulo: Expressão popular, 2014.

CONVENÇÃO No. 169 (2011) sobre povos indígenas e tribais e Resolução referente à ação da OIT / Organização Internacional do Trabalho. Brasília: OIT, 2011.

CREADO, Eliana; MENDES, Ana Beatriz; FERREIRA, Lúcia e CAMPOS, Simone. Entre “tradicionais” e “modernos”: negociações de direitos em duas unidades de conservação da Amazônia brasileira. In: Revista Ambiente e Sociedade, vol.11, n. 03, Campinas, 2008.

DIEGUES, Antônio Carlos.. El mito moderno de la naturaleza intocada. São Paulo: NUPAUB/USP, 2005.

GUANAES, Senilde. “Meu Quintal não é Parque!”: Populações Locais e Gestão Ambiental no Parque Nacional da Chapada Diamantina-BA. Orientadora: Emilia Pietrafesa de Godoi. Campinas, SP: [s. n.], 2006.

HAESBAERT, Rogério. Territórios alternativos. Niteroi: EDUFF, 2002.

ICMBio (2007). Plano de Manejo do Parque Nacional da Chapada Diamantina. Palmeiras,

Bahia, 2007.

IRVING, Marta; HORTA, Claudia e MELO, Gustavo. Interpretando a gestão de parques nacionais na Amazônia pelo olhar local: PARNAS Montanhas do Tumucumanque e Cabo Orange em análise. In. Revista Floresta e Ambiente, v. 14, n. 02,p. 01-13, 2007.

LEFF, Enrique. Epistemologia ambiental. São Paulo: Ed. Cortez, 2007.

MORIN, Edgar. Saberes Globais e Saberes Locais: o olhar transdisciplinar. Coleção Idéias Sustentáveis. Garamond, Rio de Janeiro, 2004.

SACHS, Ignacy. Desenvolvimento: includente, sustentável e sustentado. Rio de Janeiro: Ed. Garamond, 2008.

Publicado
2021-06-10
Métricas
  • Visualizações do Artigo 22
  • PDF downloads: 22